[Atualizado em 2022] Os doces franceses são inigualáveis e inesquecíveis. Muitos deles são receitas tradicionais, conhecidas no mundo todo. Sempre belos e atrativos, eles fazem parte do patrimônio cultural da França e são a cara do país.

Nosso artigo te apresenta 15 sobremesas e doces franceses tradicionais e onde degustá-los em Paris.

Durante sua passagem pela França, esqueça a dieta e se jogue no mundo colorido, açucarado e amanteigado dos doces franceses.

ONDE FICAR EM PARIS – DICAS DOS MELHORES BAIRROS E HOTÉIS

 

15 doces franceses e onde degustá-los em Paris

Na nossa lista, há doces franceses – os quais você consegue comprar rapidamente nas confeitarias (pâtisseries) e padarias (boulangeries) da cidade – e há sobremesas francesas – para degustá-las será preciso ir a um restaurante. Clique aqui ou na imagem para baixar o infográfico.

No térreo das Galeries Lafayette Gourmet e Casa (35 boulevard Haussmann) você encontra muitos dos doces citados abaixo. Clique aqui e leia nosso artigo sobre o local e clique aqui para assistir ao vídeo que fizemos.

doces franceses infografico

15 Doces Franceses e onde comê-los em Paris. Clique aqui ou na imagem para baixar.

 


Não esqueça seu seguro viagemum dos documentos necessários para entrar na França.

Seguros Promo

Compare os preços no site Seguros Promo. Use o código CONEXAO5 e ganhe 5% de desconto.


 

1) Éclair / bomba

O éclair é a nossa conhecida bomba. O doce é feito com uma massa de farinha de trigo cozida duas vezes (pâte à choux) recheado com creme – que pode ter vários sabores – e coberta com uma calda endurecida, geralmente com o mesmo sabor do recheio.

Até meados do século XIX, o éclair era chamado de pain à la duchesse ou petite duchesse. O nome éclair (relâmpago, em português) vem do fato de comermos o doce rapidinho! Já o nome em português, bomba, diz respeito ao fato de, à primeira mordida, o doce “estourar” na boca com seu recheio cremoso.

Outros doces feitos com a mesma massa do éclair  — a pâte à choux — e que você também encontra nas confeitarias e padarias francesas: paris brest, profiterole, religieuse, saint-honoré.

Onde comprar: L’Éclair de Génie nas Galeries Lafayette Gourmet (35 boulevard Haussmann, 75009) ou na loja própria (14 rue Pavée, 75004). 

Clique aqui e leia nosso artigo sobre o L’Éclair de Génie.

2) Macarons

O macaron é o “doce frances pequeno redondo e recheado” que tanta gente adora e nos pergunta o nome. Ele e o éclair são os dois doces franceses mais conhecidos no mundo.

O macaron parece um biscoitinho recheado: as casquinhas são feitas de amêndoas em pó, açúcar e claras em neve e o recheio pode ser geleia, ganache ou creme à base de manteiga.

macaron doces franceses

Macaron, o mais famoso dos doces franceses. Foto: Pexels no Pixabay

A história mais difundida é que o macaron – ainda na sua versão sem o recheio – nasceu no Oriente Médio, sendo introduzido na Europa – principalmente Itália – durante a Idade Média. De lá, ele chegou à França durante o Renascimento. Foi Catarina de Médici, ao se casar com o futuro rei francês Henri II, quem apresentou os franceses ao maccherone no século XVI.

O macaron que conhecemos hoje – dito parisiense, com duas casquinha unidas pelo recheio – foi inventado em meados do século XIX por Pierre Desfontaines, primo de 2° grau do fundador da Ladurée, então uma simples confeitaria e casa de chás, e hoje o império mundial do macaron.

Onde comprar: Pierre Hermé (39 avenida Opéra, 75002 | 86 avenue des Champs Elysées, 75008 | 18 rue Sainte-Croix de la Bretonnerie, 75004)

3) Crème brullée

Creme feito com gemas de ovos, aromatizado com baunilha e coberto por uma camada crocante de açúcar caramelizado.

O creme brulée provavelmente é uma versão do famoso creme catalão. Em 1691, de passagem por Perpignan, François Massialot — oficial responsável pela alimentação do rei — anotou as receitas interessantes das regiões que atravessou, incluindo, provavelmente, a do creme catalão. Para aquecer um creme frio servido ao pequeno Philippe d’Orleans (o futuro regente), ele usou um ferro quente na cobertura de açúcar polvilhado, que caramelizou.

Onde degustar: restaurante Bouillon Racine (3 rue Racine, 75006) ou restaurante Chez Janou (2 rue Roger Verlomme, 75003)

4) Mi-cuit au chocolat

O mi-cuit au chocolat é o nosso famoso petit gateau! Aquele bolinho que ‘solta’ uma calda quente quando partido.

Foi o chef francês Michel Bras que, em 1981, em seu restaurante na cidade de Laguiole, inventou o mi-cuit au chocolat.

Atenção quando estiver lendo os cardápios nos restaurantes franceses para não confundir o mi-cuit com o fondant au chocolat. Esse último é um bolo mais denso, firme e pegajoso.

Onde degustar: Le Castiglione Café (235 rue Saint Honoré, 75001). 

5) Tarte au citron

A torta de limão é também um clássico dos clássicos dos doces franceses.

Feita com uma base fina de massa chamada sablée sobre a qual, depois de assada, jogamos o creme feito com ovos, açúcar, suco de limão e raspas da casca do limão.

A torta de limão pode vir também coberta com merengue.

Onde comprar: Pâtisserie Sébastien Gaudard (22 rue des Martyrs, 75009 | 1 rue des Pyramides, 75001).

Clique aqui e leia sobre a confeitaria Sebastien Gaudard.

 


Compre ingressos para museus, monumentos e atrações em Paris, França e Europa no Tiqets.

Use o código CONEXAOPARIS e ganhe 5% de desconto.


 

6) Millefeuille

O millefeuille (mil folhas) é feito de 3 camadas de massa folhada crocante separadas por um creme chamada patissière (o mesmo tipo de creme que recheia o éclair). Devido a natureza da massa folhada, cada uma das três camadas do millefeuille é formada de várias folhas, daí o nome mil folhas. Esse é um dos doces mais leves e delicados que existem.

Os bizantinos, na época romana, já preparavam um bolo feito de várias camadas de massa crocante e coberto com mel. Alguns séculos depois, as invasões árabes do século IX trouxeram para o sudoeste da França receitas muito semelhantes à do millefeuille.

Mas o millefeuille atual teria sido criado por François Pierre de La Varenne – que o descreve em seu livro Le Cuisinier François em 1651 – e aperfeiçoado por Marie-Antoine Carême no começo do século XIX.

Onde comprar: Pâtisserie Des gâteaux et du pain (89 rue du Bac, 75007) ou Pâtisserie Hugo & Victor (40 Boulevard Raspail, 75007).

Clique aqui e leia mais sobre a confeitaria Des gâteaux et du pain.

7) Baba au rhum

O baba au rhum é um bolo leve e areado, embebido com rum e servido com creme chantilly.

Diz a lenda que esta sobremesa teria sido inventada durante a primeira metade do século XVIII, quando o rei da Polônia, Stanislas Leszczynski, sogro de Luís XV, achando o kougelhopf (um brioche da região da Alsácia) muito seco pediu que ele fosse regado com vinho Tokay (um vinho húngaro). Mais tarde, o vinho foi substituído pelo rum.

Onde comprar: Pâtisserie Cyril Lignac (133 rue de Sèvres, 75006 | 24 rue Paul Bert, 75011).

8) Tarte tatin

Torta invertida de maças caramelizadas. “Invertida” pois a torta é servida com a massa no fundo e as maças por cima; diferente da tradicional torta onde a massa cobre as maças. É servida quente com creme chantilly ou sorvete de baunilha.

tarte tatin doces franceses

Tarte tatin, uma das mais deliciosas sobremesas francesas. Foto: marmiton.org

Diz a lenda que a tarte tatin foi inventada por acidente, no fim do século XIX, pelas irmãs Tatin (Caroline e Stéphanie) proprietárias do Hotel Tatin, na cidade de Lamotte-Beuvron.

A receita da torta foi sendo ensinada oralmente de pessoa para pessoa até aparecer, em 1921, na publicação Blois et le Loir-et-Cher, escrita por Paul Besnard em 1921, que a chamou de “La Tarte des Demoiselles Tatin” (a torta das senhoritas Tatin). Em 1926, o famoso crítico culinário Curnonsky publicou essa mesma receita em seu livro La France Gastronomique e então a tarte tatin ganhou fama.

Quando estiver em Paris, aprenda a fazer a tarte tatin no curso rápido de culinária proposto pelas Galeries Lafayette em parceria com a escola de gastronomia Ferrandi. Leitores do Conexão Paris tem 10% de desconto, basta usar o código GLCONEXAO ao fazer sua reserva no site da Lafayette (clique aqui). Leia sobre a nossa experiência no curso clicando aqui.

Onde comprar: Au Petit Versailles du Marais (1 rue Tiron, 75004).

Clique aqui e conheça a história desse doce e sua receita.

9) Tarte au chocolat

A torta de chocolate francesa não tem nada a ver com as nossas tortas úmidas e com várias camadas. Assim como a torta de limão, ela se parece com um empadão sem a ‘tampa’.

A base é também feita com a massa sablée que, depois de previamente cozida, é preenchida com um calda feita de chocolate derretido e creme de leite.

Onde degustar: Pierre Hermé (86 avenue des Champs-Elysées, 75008 | 53-57 rue de Grenelle, 75007).

Se você ama chocolate, clique aqui e aprenda a fazer 3 receitas deliciosas criadas pelo chef Alain Ducasse.

10) Île Flottante

O que chamamos hoje em dia de île flottante é, na verdade, a sobremesa conhecida como œuf à la neige, ou seja, ovo em neve. Na sua origem, o nome île flottante designava uma outra sobremesa, feita com biscoitos da Savóia.

doces franceses ile flottante

Doces franceses: île flottante. Foto: Inspirational Food no Flickr

A île flottante (ilha flutuante, em português) atual é feita de pedaços de claras em neve – previamente cozidas em água ou leite fervente – servidas flutuando em creme sabor baunilha (crème anglaise).

Onde degustar: Restaurante Georgette (44 rue d’Assas, 75006).

 


Conheça os guias turísticos do Conexão Paris. Eles vão te ajudar a organizar sua viagem.

Paris: 5 Roteitos, 4 Dias | Essencial Museu LouvreParis com CriançasEssencial da Provence


 

11) Riz au lait

O riz au lait é como o nosso arroz doce: arroz cozido no leite com açúcar, aromatizado com baunilha e, geralmente na França, servido com calda de caramelo.

Mas o o riz au lait não existe somente na França e no Brasil. Há versões dessa sobremesa no mundo todo: na Escandinávia, é uma tradição de Natal; na Índia, é aromatizado com cardamomo, açafrão e outras especiarias; na Turquia, é engrossado com gemas de ovos; no Marrocos, ele é bem cremoso e muitas vezes aromatizado com flor de laranjeira e canela.

Onde degustar: restaurante À l’Épi d’Or (25 rue Jean-Jacques Rousseau, 75001).

12) Soufflé au chocolat

O suflê é um prato leve, super areado e versátil que durante anos foi o símbolo da culinária francesa no exterior. Ele pode ser doce ou salgado e ter vários sabores, sendo os mais famosos o de queijo e o de chocolate.

Alguns dizem que o suflê foi criado pelo chef Vincent de la Chapelle no começo do século XVIII. Outros dizem que o prato foi inventado no fim do século XVIII por Antoine Beauvilliers, chef que abriu o primeiro restaurante em Paris, no Palais Royal, pouco antes da Revolução Francesa.

Onde degustar: restaurante Le Récamier (4 rue Juliette Récamier, 75007).

Clique aqui e leia nosso artigo sobre o restaurante Le Récamier.

13) Caramelos

O caramelo é amplamente usado na culinária francesa em uma variedade de doces, sobremesas, coberturas e balas: nougats, pralines, pudins, crème brûlée, crème caramel, tarte tatin etc.

As balas de caramelo salgado são a especialidade da região francesa da Bretanha. O caramelo salgado foi inventado em 1977 pelo chef confeiteiro francês Henri Le Roux – em Quiberon, na Bretanha – que misturou o caramelo com nozes trituradas e manteiga contendo cristais de sal – e se tornou um sucesso instantâneo e duradouro.

Segundo matéria publicada em 2017 pelo jornal britânico The Independent, o caramelo salgado – por conter açúcar, sal e gordura – deixa o nosso cérebro curioso e sedendo por mais pois, a cada mordida, nosso paladar detecta um sabor diferente. Esse processo é conhecido como hedonic escalation, em oposição ao hedonic adaptation, quando nosso cérebro “cansa” de algo que já comemos muito.

Onde comprar: Jacques Genin (133 rue de Turenne, 75003).

Clique aqui e aprenda a receita do caramelo com manteiga salgada.

14) Paris Brest

O Paris Brest é um doce em forma de roda de bicicleta em homenagem à corrida de bicicleta entre as cidade de Paris e Brest. É feito de massa choux (a mesma do éclair) recheada com um creme mousseline praliné (avelãs), polvilhado com amêndoas cortadas.

paris brest doces franceses

A sua criação é atribuída a vários chefs cujas confeitarias ficavam ao longo do trajeto da corrida, entre eles: Louis Durand, da cidade Maisons-Laffitte, que o teria inventando em 1909; Monsieur Bauget, também de Maisons-Laffitte, mas em 1891; um chef confeiteiro dos subúrbios de Paris o teria criado em 18915 e, finalmente, um chef confeiteiro de Chartres chamado Gerbet.

Quando estiver em Paris, aprenda a fazer o Paris Brest no curso rápido de culinária proposto pelas Galeries Lafayette em parceria com a escola de gastronomia Ferrandi. Leitores do Conexão Paris tem 10% de desconto, basta usar o código GLCONEXAO ao fazer sua reserva no site da Lafayette (clique aqui). Leia sobre a nossa experiência no curso clicando aqui.

Onde comprar: Yann Couvreur nas Galeries Lafayette Gourmet (35 Boulevard Haussmann, 75009).

Clique aqui e leia sobre a confeitaria Yann Couvreur.

15) Crepes

O crepe é a food truck francesa por excelência, antes mesmo da comida de rua virar moda. Os crepes doces são como panquecas, feitos com farinha de trigo branca e com vários tipos de recheios (calda de chocolate, nutella, geleias variadas e, o mais básico de todos, somente açúcar).

Na França, o crepe surgiu na Bretanha, no século 13, mas diz a lenda que ele existe no mundo há mais de 7 mil anos. Leia nosso artigo que explica mais sobre os crepes e ensina duas receitas.

Onde degustar: Breizh Café (1 rue de l’Odeon, 75006 | 109 rue Vieille du Temple, 75003 | 14 rue des Petits Carreaux, 75002).

Clique aqui e leia nosso artigo sobre o Breizh Café.

O QUE FAZER EM PARIS: DICAS PARA VOCÊ MONTAR SEU ROTEIRO

 

O chef pâtissier – o mestre dos doces franceses

Dominar arte dos doces franceses demanda tempo e habilidade. O chef pâtissier deve ser bem mais meticuloso que o chef tradicional.

Diferente dos pratos salgados, onde a improvisação e a adaptação das receitas são bem vindas, os doces seguem regras e receitas precisas na sua confecção. Um grão de açúcar a mais e a receita desanda.

Tiramos a toque (o nome em francês do chapéu de chef de cozinha) à habilidade e genialidade dos chefs pâtissiers franceses. Tudo que fazem é delicioso!

 

A melhor escola de confeitaria da França

Quer aprender a fazer doces franceses? A melhor escola de confeitaria (e de gastronomia em geral) da França é a Ferrandi.

O curso intensivo de pâtisserie dura 5 meses com até 12 horas diárias de aula e, em seguida, um estágio de alguns meses em uma confeitaria. Há aulas práticas e teóricas, inclusive de artes, afinal de contas, a pâtisserie é considerada uma arte na França.

Para saber mais leia esse artigo.

Leia também sobre doces franceses:

Infográficos Conexão Paris

Clique aqui e veja todos os nossos infográficos sobre Paris e a França – eles te ajudarão a planejar sua viagem!


 

 


Saia do Brasil com o chip para que você chegue à Europa com o celular já funcionando: internet, chamadas, mensagens. Saiba mais informações no site da Viaje Conectado ou da America Chip.

Compre com antecedência seus ingressos para museus, monumentos e atrações em Paris, na França e na Europa no site Tiqtes. Use o código CONEXAOPARIS e ganhe 5% de desconto.

No site Seguros Promo você compara os preços de várias empresas seguradoras e contrata online o seu seguro de viagem. Use o código CONEXAO5 e ganhe 5% de desconto.

No site Booking você reserva hotéis e hostels com segurança e tranquilidade e tem a possibilidade de cancelamento sem cobrança de taxas.

Pesquise preços de passagens e horários de trens e ônibus e compre a sua passagem com antecedência para garantir os melhores preços.

Obtenha o orçamento das principais locadoras de carro na França e faça sua reserva para garantir seu carro no Rent Cars.

Inscreva-se na newsletter e receba as novidades do Conexão Paris

* necessário