Conexão Paris e Air France fazem a seleção dos melhores chocolates de Paris. Mais um infográfico da série em comemoração aos 10 anos do Conexão Paris.

Os chocolates franceses não são tão famosos quanto os belgas e suíços, nem tão adorados quanto as pâtisseries francesas, mas a presença do chocolate na França remonta séculos.

A 1ª menção ao consumo de chocolate em solo francês data de 1615, na corte de Louis XIII. A 1ª loja de chocolates em Paris foi aberta em 1659 na rue de l’Arbre Sec, perto do Louvre, por David Chaillou, que recebeu de Louis XIV o título de “Chocolateiro do Rei”.

Durante todos esses séculos e até os anos 1970, existiram marcas francesas tradicionais e clássicas. Mas foi somente em 1977 que o chocolate francês artesanal se modernizou e se mediatizou. Nesse ano, Robert Linxe lança a Maison du Chocolat, com uma abordagem mais gourmet e adulta do chocolate: mais cacau e menos açúcar.

A partir de então, o chocolate passou a ser tratado pelos grandes chefs como um ingrediente gastronômico e desafiador. O foco é quase sempre no chocolate escuro, amargo, considerado o melhor. Alain Ducasse e Patrick Roger oferecem chocolates com 100% de cacau, zero açúcar.

Um movimento que começa a aparecer é o do chocolate cru, no qual os grãos de cacau não passaram por torrefação nem compressão de alta temperatura; eles são colhidos, fermentados, secos ao sol e esmagados a frio (clique aqui e leia nosso artigo sobre o assunto).

Nosso infográfico de hoje lista os melhores chocolates de Paris e cobre desde as marcas clássicas até os atuais chefs chocolateiros, sempre focando no artesanal:

Os melhores chocolates de Paris. Clique aqui para ver o infográfico ampliado.

Como degustar o chocolate utilizando nossos 5 sentidos?

A degustação do chocolate desperta todos os nossos sentidos e é um verdadeiro ritual para os apreciadores mais fervorosos.

  • A visão: observe a cor do chocolate e suas nuances, sua forma e aparência. Um bom chocolate deve ser liso, brilhante e marrom.
  • O tato: sinta se o chocolate é macio, suave, frio, quente, pegajoso, com relevos.
  • A audição: o ruído que o chocolate faz ao ser quebrado ou mordido nos mostra sua qualidade, um “croc” forte e preciso é a garantia de um bom chocolate.
  • O olfato: o cheiro pode ser suave, forte, equilibrado, harmonioso, com aromas de frutas ou especiarias, etc.
  • E, por fim, o paladar: o sabor pode ser doce, salgado, amargo, ácido, adstringente. A textura pode ser oleosa, seca, granulada ou farinhenta. Um bom chocolate derrete suavemente na boca, sem rugosidade. O amargor chega sem agredir.

O que beber enquanto degustamos um chocolate?

Para desfrutar plenamente o chocolate, a água sem gás é a melhor pedida. O chocolate também se harmoniza bem com os vinhos doces (Xéres, Pineau, Muscat de Rivesaltes, Banyuls) ou com um brandy (armagnac, conhaque, uísque).


Clique aqui e veja todos os nossos infográficos – eles te ajudarão a planejar sua viagem!


melhores chocolates de Paris
Este infográfico foi produzido pelo Conexão Paris em parceria com a Air France