Semana passada, por acaso, acabei indo a dois famosos e tradicionais bistrôs que o Conexão Paris cita no guia Restaurantes e outras delícias. Unindo o útil ao agradável aproveitei para conferir se eles continuavam excelentes.

Coincidentemente os dois ficam no 11° arrondissement de Paris, região atualmente mais conhecida pelos novos e jovens restaurantes como o Septime, o Servan e o Pierre Sang.

Bistrot Paul Bert

Na quarta-feira fui com uma “colega de trabalho” ao Bistrot Paul Bert (eu já havia escrito sobre o seu irmão mais jovem e intelectualizado, o 6 Paul Bert, aqui). Nós dois pedimos o mesmo dentro das opções do dia: creme de topinambour* com uma fatia de foie gras como entrada, magret de canard e purê de batatas como prato principal e um prato de queijos para arrematarmos a refeição. Estava tudo delicioso e no ponto certo: o creme leve, o pato macio e o purê amanteigado. Os queijos estavam médio, alguns muito curados pro meu paladar não tão acostumado. Com mais 2 cafezinhos e um jarra de 500ml de vinho, a conta ficou, no total, em 63€. As fotos da refeição eu ficarei devendo pois, por coincidência, o Plínio, leitor do CP, sentou ao nosso lado e ficamos todos muito entretidos com a conversa animada.

Bistrot Paul Bert – 18, rue Paul Bert, 75011 – metrô 8 estação Faidherbe – Chaligny

O restaurante Astier

O restaurante Astier

Astier

Na sexta fui com uma amiga ao Astier (sobre o qual a Lina já escreveu aqui e que pertence ao mesmo dono das épiceries Jeanne A e Jeanne B). Assim como no Paul Bert, aqui também temos o ambiente tradicional e aconchegante de bistrô francês, até mesmo com guardanapos vichy (aquele quadriculadinho vermelho e branco) e frequentadores típicos que passam 2 horas almoçando em um dia de semana.

Mesa montada

Mesa montada

Como entrada dividimos um foie gras com mini perinhas caramelizadas. Delícia!

Foie Fras

Foie Fras

Como prato principal pedimos o salmão que vinha acompanhado de bucatini com molho de queijo. O salmão estava um espetáculo, pele crocante, carne firme e no ponto. Macarrão é macarrão, né? Não sou muito fã. Esse tipo eu nunca tinha experimentado.

Salmão acompanhado de nnn.

Salmão acompanhado de bucatini.

O Astier é famoso mesmo pela sua bandeja de queijos que passa de mesa em mesa e da qual os clientes se servem à vontade. São todos excepcionais e merecem ser provados. Uma sugestão é pular a entrada, pedir somente o prato principal e depois se jogar na bandeja de queijos.

A bandeja de queijos.

A bandeja de queijos.

O Astier é mais caro que o Paul Bert. Não há vinho em jarras, os vinhos na taça não são baratos e o prato de queijos custa 16€. Porém tudo vale a pena. Nossa conta ficou em 104€: uma entrada, dois pratos principais escolhidos do cardápio, dois pratos de queijos e 2 taças de vinho. Água da torneira, sempre.

Restaurante Astier – 44, rue Jean-Pierre Timbaud, 75011 – metrô 3 estação Parmentier

Clique aqui para reservar um mesa no restaurante Astier.

Nota de rodapé

*Aprendi que topinambour é um tubérculo que, por se espalhar como mato, foi muito consumido durante o racionamento de comida na 2ª Guerra Mundial. Depois desse período as pessoas tomaram ojerija do pobre coitado que, somente de uns tempos para cá, foi reabilitado pelos novos chefs.


Guias dos melhores restaurantes em ParisConheça o guia do Conexão Paris Restaurante e Outras Delícias. Ele traz uma seleção dos melhores restaurantes da cidade, além de queijarias, patisseries, caves, bares etc. À venda no site Minha Viagem Paris. Acesse para descobrir e reservar passeios incríveis em Paris e no interior da França.