O Vale do Loire é conhecido por seus muitos e lindíssimos castelos – aliás, a região tem a maior concentração de castelos do mundo! Mas o que fazer no Vale do Loire? Visitar os castelos já é motivo suficiente para conhecer a região. Mas tem muito mais coisa pra se fazer!

Hoje, publicamos um infográfico com a síntese do que é o Vale do Loire.  Este infográfico faz parte da nossa série comemorativa dos 10 anos do Conexão Paris, e celebra o 11˚ post mais lido da nossa história: Como Visitar os Castelos do Vale do Loire. Escrito em 16 de julho de 2008, este post foi visto 165 mil vezes e tem 465 comentários publicados.

Clique aqui para ver o infográfico em tamanho real

O que fazer no Vale do Loire?

Antes de mais nada, vale dizer que a região como um todo é tombada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. O título a toda uma região se dá pelos seguintes motivos:

  • Pela riqueza de seu patrimônio arquitetural, sobretudo seus castelos.
  • Pelas cidades históricas tais como Blois, Chinon, Orléans, Saumur e Tours,
  • Pela paisagem cultural ao longo do rio Loire.
  • Pelo cultivo da terra, testemunho da interação do homem com o seu meio ambiente ao longo de 2 mil anos de história.
  • Pela história inscrita em seus monumentos: expressão dos ideais da Renascença e do Iluminismo, base do pensamento e da criação da Europa Ocidental.

Castelos e as cidades históricas do Vale do Loire

Visitar os castelos do Vale do Loire é, obviamente, é o que há de mais imperdível.  No infográfico acima, listamos os principais castelos, os mais bonitos. Para quem não tem tempo (que pena!), é possível fazer um bate-volta de Paris no mesmo dia.

No Minha Viagem Paris, temos um passeio de 12 horas, que inclui a visita de 3 castelos. Mais informações aqui.

A ParisCityVision oferece aos leitores do Conexão Paris 10% de desconto na excursão de ônibus de 1 dia ao Vale do Loire. Mais informações aqui.

O que fazer no vale do Loire? Visitar o castelo de Chenonceau

Chenonceau, o mais bonito castelo do Vale do Loire. Foto: Shuterstock

Pra quem tem tempo (que delícia!), vale passar 2 ou 3 noites na região. Visitar os castelos com calma vai dar outra dimensão à sua viagem: você vai ter tempo para entender a história – por vezes, dramática – dos castelos, fazer um picinic com calma nos lindos jardins…

O que fazer no Vale do Loire? Visitar o castelo de Chambord.

Chambord, o mais castelo do Vale do Loire. Foto: Shuterstock

Além dos castelos, a região tem cidades históricas como Blois, Tours (com sua linda catedral), Amboise e Orléans que precisam ser visitadas para se entender a história da região.

O que fazer no Vale do Loire? Conhecer a cidade histórica de Blois.

A cidade de Blois, nas margens do Rio Loire, foi residência de 7 reis franceses.Foto: Shuterstock

Os vinhos do Vale do Loire

Entre um castelo e outro, você vai passar por muitos vinhedos. A região é a primeira produtora de vinhos brancos da França, a segunda maior de rosés, e a terceira de maneira geral. A rota dos vinhos, com dezenas de produtores que oferecem degustação, é passeio obrigatório para quem busca mais do que castelos. No site Vins de La Loire, você pode consultar o mapa da rota e planejar suas degustações. Dica: em outubro, é o momento da colheita das uvas.

O que fazer no Vale do Loire? Visitar e fazer degustações nos produtores de vinho da região.

Vinhedos em torno do castelo de Saumur. Foto: Shuterstock

Para quem quiser se aprofundar, oferecemos uma viagem guiada à região, com 1 ou 2 noites, em  companhia de um sommelier brasileiro. Além de visitas a pequenos produtores e degustações, a viagem inclui castelos e cidades históricas. Mais informações, entre em contato conosco.

A natureza e os campos do Vale do Loire

Ao lado dos vinhedos, estão os campos cultivados. No início da primavera, entre fim de março e começo de maio, os campos estão floridos. Destaque especial para os campos de canola, que cobrem de amarelo a paisagem.

O que fazer no Vale do Loire? Ver os campos floridos na primavera.

Os campos de canola floreiam entre fim de março e inicio de maio. Foto: Shuterstock

No outono, é a vez do espetáculo das florestas e da vegetação às margens do rio Loire. E também, época da colheita das uvas- ver os viticultores em ação, iniciando o preparo de uma nova safra, é uma experiência à parte! Abaixo, veja nosso video sobre a colheita das uvas no Loire, apresentado pela sommeliere Marina Giuberti.

A história do Vale do Loire

Ao visitar castelos, cidades históricas e vilarejos, aos poucos, você vai entendendo a importância histórica da região. Começando pela guerra dos 100 anos, que teve Joana d’Arc como  grande heroína ao liderar a batalha que encerrou o domínio inglês sobre essa parte da França.

Com o fim da guerra, os reis da França, encantados com a beleza da região, trouxeram a corte para às margens do Loire. A aristocracia, para manter a proximidade, seguiram os passos da corte, também se instalando na região. O resultado: castelos e mais castelos.

Leonardo da Vinci passou os últimos anos da sua vida na região – sua casa, Cló Lucé, é um museu dedicado ao gênio e seu túmulo pode ser visitado no castelo de Amboise.

O que fazer no Vale do Loire? Conhecer a residência de Leonardo da Vinci, Clo Lucé

Clo Lucé, última residência de Leonardo da Vinci, é hoje um museu dedicado ao gênio. Foto: Shuterstock

Trouxe com ele sua tela favorita – a Mona Lisa. Ao morrer, ele deixou a tela para seu assistente, Salaì, que acabou a vendendo para o rei da França, François I. Como resultado, a tela mais famosa de Da Vinci pode hoje ser vista no Museu do Louvre.

Vale do Loire by Bike

Se você planeja passar pelo menos 1 noite no Vale do Loire, é imprescindível alugar um carro. Uma opção simpática (e inesquecível) é conhecer o Vale do Loire de bicicleta.

O que fazer no Vale do Loire? Cicloturismo.

Conhecer o Vale do Loire de bicicleta é uma experiência única. Foto: Shuterstock

A região é entrecortada pela EuroVelo 6, uma ciclovia com cerca de 3.600 km, que corta a França de leste a oeste e mais 8 países, ligando o oceano Atlântico ao mar Negro. Além da EuroVelo 6, a região é majoritariamente plana, conta com um total de 800 km de rotas balizadas para bicicletas e é um dos principais destinos para o cicloturismo.

Para quem quiser se aventurar (e nem precise ser atleta), oferecemos no Minha Viagem Paris uma viagem de 3 ou 5 dias pela região. Mais informações aqui.