Estrasburgo (em francês, Strasbourg) é uma das mais bonitas e simpáticas cidades da França.  Veja nosso artigo super completo sobre Estrasburgo.

Leitores do Conexão Paris ganham presentes nas Galeries Lafayette de Estrasburgo
Clique aqui para saber mais e baixar os voucheres! 

 

Índice Estrasburgo:

Estrasburgo, França

Estrasburgo — ou Strasbourg, em francês — é a capital da região francesa da Alsácia.

A cidade foi fundada no ano 12 — ou seja, tem 2.012 anos! — e , ao longo de sua história, pertenceu ora à França, ora à Alemanha.

Desde o final da Segunda Guerra, em 1945, Estrasburgo faz parte da França. Essa ‘dupla nacionalidade’ é percebida em cada esquina, as placas indicativas das ruas são bilíngues e o idioma alemão é ouvido aqui e ali.

Estrasburgo é uma cidade pitoresca e charmosa. Nela podemos vivenciar o constraste super interessante entre o passado medieval e a época atual: ruelas tortuosas e a lindíssima catedral gótica convivem com a arquitetura contemporânea do bairro Europeu, onde ficam as sedes de importantes instituições públicas europeias.

A cidade é uma das três “capitais europeias” ao lado de Bruxelas e de Luxemburgo e é, por vezes, referida como a capital parlamentar da União Europeia.

A cidade gradualmente se especializou em funções políticas, culturais e institucionais e é o lar de várias instituições europeias: sede oficial do Parlamento Europeu, do Provedor de Justiça Europeu e do Conselho da Europa, do qual depende, por exemplo, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

Mas Estrasburgo é também uma cidade de jovens, possuindo a 2ª maior população estudantil da França.

Estrasburgo fica na Alsácia, divisa entre a França e a Alemanha

Estrasburgo fica na Alsácia, divisa entre a França e a Alemanha

Onde fica Estrasburgo

Estrasburgo fica na França, mais especificamente na região francesa chamada Alsácia, que está à leste do país e faz fronteira com a Alemanha e a Suíça.

Estrasburgo fica às margens do famoso rio Reno (Rhin, em francês) mas o rio que atravessa a cidade é o Ill, um afluente do Reno.

 


Não se esqueça do SEGURO VIAGEM, um dos documentos necessários para entrar na França.

Seguros Promo

Compare os preços no site da Seguros Promo. Use o código CONEXAO5 e ganhe 5% de desconto.


 

Quanto tempo ficar em Estrasburgo, França

É possível fazer um bate e volta saindo de Paris mas vale a pena passar pelo menos três dias na cidade para que você possa descobrir seus segredos e contrastes e aproveitá-la bem.

Como ir de Paris para Estrasburgo

Onde ficar em Estrasburgo: hotéis e hostels

O melhor é mais gostoso é ficar em Estrasburgo na região central (a Grande Île) ou no simpático bairro Petite France. Veja abaixo nossas dicas de hotéis 3, 4 e 5 estrelas e de hostels nessas áreas:

Hotel em Estrasburgo – 3 estrelas: 

Hotel em Estrasburgo – 4 estrelas: 

Hotel em Estrasburgo – 5 estrelas: 

Hostels em Estrasburgo

Por custarem mais baratos, os hostels não ficam na região central de Estrasburgo, mas isso não é um inconveniente pois a parte turística da cidade de interesse dos viajantes não é tão grande e é fácil se deslocar a pé.

 

CLIQUE E PESQUISE OUTROS HOTÉIS EM ESTRASBURGO

 


Compre ingressos para museus, monumentos e atrações em Estrasburgo, França e Europa no Tiqets.

Use o código CONEXAOPARIS e ganhe 5% de desconto.


 

O que fazer em Estrasburgo

Estrasburgo é uma cidade pequena e ideal para ser visitada a pé. Perca-se nas ruelas, admire a arquitetura, o rio Ill e suas pontes.

A maioria dos locais a serem visitados se encontram na Grande Île – uma ilha situada no centro da cidade tombada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade – ou no simpático bairro Petite France.

Catedral de Estrasburgo

A Catedral de Estrasburgo, construída em 1015

1) Catedral de Estrasburgo

A Catedral de Estrasburgo é um dos monumentos mais marcantes da Europa. Imensa construção feita de pedra rosa e com fachadas cobertas por esculturas, que formam o maior livro de imagens da Idade Média.

Detalhe da fachada da Catedral de Estrasburgo.

Detalhe da fachada da Catedral de Estrasburgo. ortille no Flickr

A catedral se encontra “espremida” entre os prédios da cidade, causando uma estranha impressão, gênero Gulliver na ilha de Lilliput.

Quando entrei pela primeira vez na catedral de Estrasburgo sabia que retornaria muitas outras vezes. Em apenas uma visita, não conseguimos ver todos os detalhes da decoração definida, por Victor Hugo, como um “prodígio do gigantesco e do delicado“.

Relógio da Catedral de Estrasburgo. Alexandre Dolique no Flickr

Relógio da Catedral de Estrasburgo. Alexandre Dolique no Flickr

Além da beleza dos vitrais, da nave central com altura de três andares, do púlpito todo esculpido, do orgão pequeno mas ricamente decorado, o que mais chama a atenção dos visitantes e o relógio astronômico. Todos os dias, às 12h30, os bonecos autômatos “acordam”. E a cada quinze minutos aparecem as quatro etapas da vida: nos primeiros 15 minutos uma criança desfila em torno do relógio, em seguida um adolescente, um homem maduro e, no último quarto de hora, um idoso anuncia sua morte e a chegada da criança.

E se tiver preparo físico, não deixe de subir os 332 degraus até o alto da torre da Catedral de onde vemos os telhados de Estrasburgo.

A catedral se encontra na Grande Île.

2) La Petite France

O bairro chamado Petite France é o cartão de visita de Estrasburgo. Essa é a região mais bucólica, pitoresca, charmosa e histórica da cidade, onde muito antigamente moravam os artesãos e pescadores.

Estrasburgo, bairro Petite France

Estrasburgo, bairro Petite France

O bairro é entrecortado por ruelas estreitas e canais navegáveis de onde observamos casinhas — dos séculos 16 e 17 — com janelas floridas como nos contos de fada.

As Pontes Cobertas com suas torres e a Barragem Vauban estão na extremidade da Petite France (veja os dois itens abaixo).

3) Ponts Couverts / Pontes Cobertas

Apesar do nome, as Pontes Cobertas não são cobertas! Elas perderam os telhados no século 18 mas mantiveram o nome.

O que se destaca nas pontes são as três torres que datam do século 13 e são os restos das antigas muralhas que outrora garantiram a segurança da antiga República de Estrasburgo.

Imediatamente após a absorção de Estrasburgo pela França em 1681, um novo anel de fortificações foi construído por Vauban ao redor da cidade (veja o item abaixo).

4) Barragem Vauban

A antiga barragem Vauban, hoje conhecida como Ponte Vauban ou Terrase Vauban, fez parte do sistema de defesa da cidade.

A barragem Vauban, em Estrasburgo. Net Circlion no Flickr

A barragem Vauban, em Estrasburgo. Net Circlion no Flickr

Construída por volta de 1690 por Tarade com base em planos fornecidos pelo engenheiro militar Vauban, a barragem permitia, em caso de ataque, inundar certas áreas de Estrasburgo.

Um terraço, localizada no último andar, oferece uma das mais bonitas vistas da cidade: as três torres (de uma antiga ponte que não existe mais) refletidas no rio Ill e, no fundo, a catedral.

Vista da cidade de Estrasburgo a partir do topo da barragem Vauban. David Almeida no Flickr

Vista da cidade de Estrasburgo a partir do topo da barragem Vauban. David Almeida no Flickr

A barragem Vauban está entre a Grande Île e a Petite France.

Endereço: place du Quartier Blanc / rue Sainte Marguerite, Strasbourg. Entrada gratuita. Funcionamento: de 1° de março a 30 de abril: das 8h00 às 19h00; de 1° de maio a 31 de agosto: das 7h15 às 21h; de 1° de setembro a 31 de outubro: das 8h00 às 19h00; 1° de novembro a 28/29 de fevereiro: das 8h30 às 16h00.

Estrasburgo, detalhe das torres da antiga ponte

Estrasburgo, detalhe das torres da antiga ponte

5) Palácio Rohan

Strasbourg tem excelentes museus e os três principais estão no mesmo endereço: Palácio Rohan.

Estrasburgo, Palais Rohan. Claudia Schillinger no Flickr

Estrasburgo, Palais Rohan. Claudia Schillinger no Flickr

O Palais Rohan, construído em 1742, foi residência de cardeais, sede da prefeitura da cidade, palácio real e hoje abriga o Museu de Arqueologia, o Museu de Belas Artes e o Museu das Artes Decorativas.

Palais Rohan se encontra na Grande Île, nas margens do rio Ill e ao lado da Catedral.

Endereço: 2 place du Château, Strasbourg. O ingresso para cada museu custa 7,50€. Funcionamento: todos os dias (exceto terça-feira) das 10h às 13h e 14h às 18h Sábado e domingo, das 10h às 18h. Fechado nos dias 01/01, Sexta-feira Santa, 01/05, 01/11, 11/11 e 25/12.

6) Maison Kammerzell

Esta casa leva o nome do proprietário do imóvel no século 19 (Kammerzell), mas a rica decoração da sua fachada, inspirada na Bíblia, na Antiguidade Greco-Romana e na Idade Média, e pela qual a casa é mundialmente famosa, se deve a Martin Braun, comerciante de queijos, que a adquiriu em 1571.

Além da fachada rebuscada, no interior do edifício, você pode admirar os notáveis afrescos de Leo Schnug, criados por volta de 1905.

7) O distrito de Neustadt – o bairro imperial alemão

Neustadt – “cidade nova” em alemão –, às vezes chamada de “bairro imperial”, é a extensão da cidade de Estrasburgo feitas pelas autoridades alemãs durante o período do Reichsland Elsass-Lothringen (um dos períodos em que a Alsácia pertenceu à Alemanha, a.

O distrito está localizado ao norte/nordeste da Grande Île de Estrasburgo, o centro histórico da cidade. A sua construção, desde a década de 1880 até ao início da Primeira Guerra Mundial, permitiu a Estrasburgo triplicar a sua superfície.

Neustadt é composta por vários bairros e setores: a estação e as avenidas, o bairro Tribunal e Place de Haguenau, o bairro Contades, a ilha Sainte-Hélène, o eixo imperial, o bairro Orangerie e a Floresta Negra – setor Observatório.

A “cidade nova” de Estrasburgo é frequentemente considerada o melhor testemunho ainda preservado da arquitetura imperial germânica e do seu planejamento urbano. Ela constitui um grupo de dimensão e homogeneidade excepcionais que já não existe ou quase não existe na Alemanha, devido aos bombardeamentos da Segunda Guerra Mundial que destruíram a maioria dos centros das cidades alemãs.

O Neustadt é caracterizado por grandes praças e largas avenidas arborizadas, e por vários locais onde o monumental se mistura habilmente com o paisagismo (por exemplo, às margens do rio Ill com a Igreja de São Paulo).

Tanto os edifícios públicos como as residências privadas expressam um certo gosto pelo ecletismo histórico (neo-renascentista italiano ou alemão, neo-barroco, neogótico, neoclássico, neo-românico e até neobizantino), entre os quais se encontram algumas construções Art Nouveau (“Jugendstil”) muito surpreendentes, como a “casa egípcia”.

Parte de Neustadt foi listada como patrimônio mundial pela UNESCO desde 9 de julho de 2017.

8) Place Broglie

Essa é a praça do mercado! Anteriormente um mercado de cavalos, esta praça é agora onde acontece o mercado  livre de frutas e legumes às quartas e sextas-feiras, e também o Christkindelsmärik — o famoso Mercado de Natal de Estrasburgo (clique aqui e leia o item específico)!

Ao redor da Place Broglie, você pode admirar a prefeitura da cidade, a Mansão do governador militar, bem como a Opéra de Estrasburgo.

E, o mais importante, foi em uma das casas que rodeiam a Place Broglie que Rouget de l’Isle escreveu o hino nacional francês, La Marseillaise.

9) Museu de Arte Moderna e Contemporânea

O Museu de Arte Moderna e Contemporânea de Estrasburgo abriu as suas portas em 1998, oferecendo, num edifício luminoso localizado às margens do rio Ill, um generoso panorama da criação artística desde 1870 até aos dias de hoje.

O museu abriga obras de inúmeros pintores, escultores, fotógrafos, videógrafos como Monet, Rodin, Gauguin, Käthe Kollwitz, Arp e Sophie Taeuber, Max Beckmann, Picasso, Kandinsky, Marcelle Cahn, Niki de Saint-Phalle, Nam June Paik, Georg Baselitz, Bertrand Lavier, Annette Messager, Alain Séchas, Xavier Veilhan, Clément Cogitore…

O percurso de visita, que propões um diálogo entre arte moderna e contemporânea, é regularmente renovado.

Endereço: 1 place Hans-Jean-Arp, Strasbourg. O ingresso para cada museu custa 7,50€. Funcionamento: todos os dias (exceto segunda-feira) das 10h às 13h e 14h às 18h.

10) Passeio de barco em Estrasburgo

Faça um tour de barco para ter uma idéia da cidade e dos seus contrastes.

Passeio de barco por Estrasburgo

Passeio de barco por Estrasburgo

O tour ‘Estrasburgo, 20 séculos de história’, contorna a Grande Île, passa pela Petite France, pela barragem Vauban, Neustadt e vai até a o Distrito Europeu, onde fica a sede do Parlamento Europeu. Programa altamente turístico, mas lindo e ideal para ter uma vista geral da cidade, sobretudo se estiver chovendo.

O tour leva 1h10, custa 15,70€ e o local de embarque dos barcos é ao lado do Palais Rohan (item 5 da nossa lista).

Clique aqui para mais informações e fazer sua reserva.

 


Conheça os guias turísticos do Conexão Paris. Eles vão te ajudar a organizar sua viagem.

Paris: 5 Roteitos, 4 Dias | Essencial Museu LouvreParis com Crianças


 

Comidas típicas de Estrasburgo / Onde comer em Estrasburgo

Por estar na fronteira com a Alemanha e de já ter pertencido a ela, Estrasburgo é meio alemã, meio francesa. Isso se reflete também na gastronomia local, um híbrido entre os dois países.

A culinária típica é pesada, com pratos à base de batatas, salsichas, carnes variadas, queijos e cremes, sempre regados a vinhos da região, especialmente brancos, com destaque especial para os Riesleings. Que delícia!

Por falar em vinhos, leia também nossos artigos especiais sobre os vinhos da Alsácia (clique aqui) e sobre a rota dos vinhos da Alsácia (clique aqui).

Comidas típicas de Estrasburgo e da Alsácia

Em Estrasburgo – e na Alsácia em geral – você TEM QUE comer:

  • chucrute: do alsaciano Sürkrüt — “couve azeda” — é um prato de repolho fermentado servido com carne de porco e linguiça
  • baeckeoffe: assado com batatas, cebola e carnes de vaca, porco e carneiro marinadas
  • spätzle: massa da Alsácia meio sem forma, acompanhada de ensopado de lebre, caça ou qualquer outra carne
  • fleischkiechle: bolinhos de carne de boi e porco, toucinho e farelo de pão
  • lewerknepfle: bolinhos de fígado
  • schnitzel: bife fino empanado e frito
  • tarte flambée: um tipo de pizza de massa bem fina coberta por um creme de queijo e salpicada por cebolas e finas tiras de bacon. Ela vem em formato retangular sobre uma prancha de madeira e com as pontas queimadas (daí o nome), pois entra literalmente no fogo e é assada em poucos segundos. Para comer a qualquer hora e em quase todos os restaurantes. Peça um vinho alsaciano para acompanhar,