Pont des Arts, Paris

Pont des Arts, Paris

A superfície de Paris é de 105 km2. Para se ter ideia, Berlin tem 889 km2 e Londres, 1579 km2. É uma cidade pequena, ideal para se conhecer a pé ou de bicicleta, acessível à pé de todos os pontos do seu espaço. Nenhum local não é distante de mais de 5 km do seu centro geográfico que se situa em frente à Catedral da Notre Dame.

A cidade é estruturada por duas grandes divisões. A primeira os belos bairros do oeste contra os bairros populares do leste da capital. Os contrastes sociais são bem visíveis entre a avenue Montaigne e o boulevard Barbès, entre a grande burguesia e os trabalhadores imigrantes.

A segunda divisão é dada pelo rio, a rive droite (a margem direita) e o mundo dos negócios, do comércio de luxo, das grandes joalherias e a rive gauche (a margem esquerda) da cultura, da Sorbonne e do mundo literário.

Este sistema de divisões estrutura e ordena o espaço da cidade. A divisão leste/oeste é equilibrada, apesar do “emburguesamento” da região da praça da Bastille. A divisão rive droite/rive gauche é desproporcional, a segunda representando só 35% do espaço.

Na representação turística da cidade, Paris é a rive gauche com o Quartier Latin, Saint Germain, a Sorbonne e a Torre Eiffel. Mas na realidade, Paris é antes de tudo rive droite. A margem direita contribui muito mais para a construção da imagem da capital francesa.

Este sistema de oposições e a divisão da cidade em bairros numerados faz parte do mapa mental de todo parisiense. Morar no 19 ou no 16 não tem o mesmo valor. O contraste é evidente entre a bela arquitetura com seus imóveis de pedra e fachadas esculpidas dos bairros 6, 7, 8, 16 e as fachadas sem ornamentos dos prédios pintados de branco do 10, 18, 19.

Estas divisões e esta maneira de perceber a cidade são tão importantes que o endereço do domicílio pode influenciar de maneira positiva ou negativa a seleção de candidatos a um emprego. Ao indicar seu domicílio o parisiente já fornece um perfil social e econômico que poderá agradar ou não o empregador.

Para maiores informações sobre Paris leiam o excelente livro dos sociólogos Michel Pinçon e Monique Pinçon-Charlot, Paris Mosaique, editora Calmann Lévy.