Cuidado com golpe nas escadarias de Montmartre

Vários leitores do blog foram vítimas de um golpe nas escadarias de Montmartre. Tudo se passa da seguinte forma.

Ao subir as escadas em direção a Igreja Sacre Coeur, o turista se vê cercado por pessoas que tentam amarrar no seu pulso uma fitinha. Elas são insistentes e capazes de uma certa violência para finalizarem o golpe. Se conseguem, reclamam, da mesma maneira intimidante,  uma soma de dinheiro. Se não conseguem ficam agressivos verbalmente. Parece que a situação é desagradável. Alguns leitores desceram por outro caminho porque ficaram amedrontados.

Enquanto a polícia parisiense não toma nenhuma medida para acabar com isto, aconselho duas soluções. A primeira, não pegar as escadarias principais situadas na frente da Igreja. Subir pelo caminho alternativo que cito no artigo Roteiro de Montmartre e que está também no Guia Conexão Paris 1. A segunda, menos interessante, pegar o bondinho. Para os que não sabem, ele se encontra ao lado das escadas principais.

Publicidade

O conteúdo deste post foi decidido pela equipe editorial do Conexão Paris, tendo como critério a relevância do assunto para nossos leitores, não havendo nenhum vínculo comercial com qualquer empresa ou serviço citado no texto. Não recebemos qualquer tipo de remuneração pela escrita e publicação deste texto. Conheça a política de remuneração do Conexão Paris.

197 pitacos, participe desta conversa

  1. Thiago Casado disse:

    Cheguei em Paris hoje e fui ao Sacré Cœur. Fui pelo caminho alternativo, mas ao descer, usei teleférico, ocasião em que fui abordado pelo grupo. Recusei a tal pulseira e um dos membros continuou a insistir; foi quando entao disse “go out”. A pessoa me perseguiu e tentou me chutar; quando senti que seria acertado, pulei alguns degraus rápido e me virei de frente para o “vendedor” com a mao no bolso ameaçando sacar uma arma (meu telefone); foi quando consegui assusta-lo e eu prosseguir.

    Fica o aviso para quem vai para aquela região:
    Ande atento e feche a cara, nao dando a entender que é turista.

  2. Juliana disse:

    Ótimas dicas, obrigada pessoal!
    Tenho vontade de visitar Sacre Coeur, mas as escadarias me impedem e fiquei feliz em saber que existe um bondinho lá. Posso acessá-lo usando cadeira de rodas?
    Abraço!

  3. Manuel Gomes disse:

    Eu já vi alguns desses golpes, a jóia no chão, as mulheres do leste grávidas, no metrô querendo ajudar etc. Quero contudo relatar uma situação por que passei e em que nem tudo é ruim. Fui de taxi da Madalena até ao Marais e paguei o taxi e sai e deixei a carteira no banco com dinheiro documentos catões e tudo mais. Verifiquei logo o que me tinha acontecido e voltei para o hotel quando cheguei o taxista já lá tinha ido deixou o telefone para o chamar quando eu chegasse e apareceu entregando-me tudo intacto dinheiro, cartões, documentos etc. Eu que era apaixonado por Paris fiquei ainda mais.

  4. Goiano Braga Horta disse:

    PARIS – CUIDADO COM OS GOLPES:
    GOLPE DO CASACO – Um carro vai parar próximo e um cara falando Português com sotaque vai oferecer, de graça, um casaco de alta costura, que sobrou de um desfile de modas. Ele está voltando para Roma e quer dar o casaco de presente. É um golpe inocente. No final ele vai pedir uma ajuda para a gasolina, lá se vão cem euros por um casaco que na feira (Marché aux Puces de Montreuil ou de St-Ouen) custa dez ou quinze euros.
    GOLPE DA JÓIA – Alguém, se abaixa na sua frente e ache uma jóia, um anel de rubi! Vai perguntar se é seu. Ele pode entregar o anel, mediante uma recompensa, É lindo, mas de latão e vidro.
    GOLPE DO TÍQUETE DO METRÔ – Você está tentando comprar tíquetes do metrô na máquina, mas está enrolado. Um bom samaritano se oferece para ajudar. Ele é tão legal que vai até retirar na máquina com o cartão dele. Ele retira os tíquetes, entrega, você paga e quando tenta passar pela roleta… babau! Os tíquetes são usados! Os bons ficaram com eles e os teus euros também.
    PICKPOCKETS NO METRÔ – Os gatunos agem principalmente no metrô: quando está cheio, aproveitam-se do aperto para enfiar mão nos bolsos, abrir bolsas. Também pegam a maleta descansando no chão na hora exata em que o trem vai partir e saem calmamente enquanto a porta se fecha.
    GOLPE DO ABAIXO-ASSINADO DOS SURDOS-MUDOS – São jovens surdos-mudos que querem apenas que você assine um abaixo-assinado. Não assine, passe direto. Ou você será, após assinar, solicitado insistentemente a dar uma contribuição ou, o que é pior, quando parar para assinar poderá ser cercado por um grupo deles, que vão te depenar. Eles ficam muito nas entradas que dão para o Louvre. Se a polícia aparece eles somem.
    GOLPE DA PULSEIRA EM MONTMARTRE – Antes da subida das escadarias, eles vêm com uns barbantinhos para fazer uma pulseirinha, já vão pegando no seu pulso para tricotá-la no seu braço. Não deixe. Vá passando. Não ligue para a insistência. Eles dirão que é grátis ou que é para conseguir dinheiro para a igreja. Mentira. Depois de fazerem a pulseira vão querer extorquir (nem pense em dar um euro que eles vão querer muito mais). Se a polícia aparecer eles somem.
    GOLPE DAS DUAS MOÇAS NOS CHAMPS ELYSÉES – Elas chegam fazendo uma pergunta de chofre: – Do you speak English? Uma delas possivelmente estará grávida. Dirão que são de um país paupérrimo do Leste Europeu. Não dê conversa, se quiser ser educado peça licença, diga que está com pressa e saia fora.
    OUTROS GOLPES EM PARIS NÃO SÃO DIFERENTES DOS APLICADOS NO RESTO DO MUNDO, como o do cara que faz aposta na rua para você adivinhar debaixo de qual caixinha está a bolinha. Alguns comparsas dele ganharão na sua frente e você pode achar que será capaz de ganhar também…
    ATENÇÃO ESPECIAL: GUARDE O DINHEIRO GROSSO, OS CARTÕES E O PASSAPORTE DENTRO DE UMA SACOLA QUE VOCÊ PODE COMPRAR EM LOJAS DE MALAS E QUE FICA PRESA À CINTURA POR BAIXO DA ROUPA. SE QUISER TIRAR FOTOS COM ESTÁTUAS HUMANAS E DAR UMA AJUDA PARA OS MÚSICOS NO METRÔ, MANTENHA NO BOLSO DINHEIRO TROCADO EM MOEDAS.

  5. Anna Erika disse:

    Gente…estou indo pela primeira vez à Paris e sozinha…fiquei preocupada…onde pego o bondinho?? Obrigada pelas dicas!

  6. Deborah Esteves disse:

    Cara Adriana,

    Estive com meu marido em Paris há vários anos atras,tipo 1998/99 e passamos por esse mesmo golpe.Como meu marido é fluente em italiano e muito sarcástico,levou o cara ,na época,um Senhorzinho dos seus 60 e poucos anos,na “brincadeira” e deu nele foi uma grande canseira “parlando italiano”e contanto tanta mentira quanto ele.Na época demos sorte ,mas realmente temos que ter muita atenção à todos esses golpes .
    Após vários anos retornaremos à Cidade Luz,em Fevereiro de 2015,se Deus quiser.

  7. Neftalí disse:

    Uma solução muito mais charmosa é simplesmente evitar a escadaria e subir até a Sacre Coeur por atrás, descendo na estação de metrô ou parada de ônibus Lamarck – Caulaincourt. É uma subida muito mais agradável, bairro bonito.
    Vi os africanos das pulseiras na parte de baixo das escadarias, eles geralmente perturbam os mais distraídos ou ingênuos, principalmente asiáticos. Mas não chega a ser perigoso, de jeito nenhum. É só ficar esperto.

  8. Ricardo disse:

    Estou indo a Paris semana que vem, está na hora desses caras que querem dar golpe da pulseirinha conhecer o brazilian jiu-jitsu.

  9. Newton Lins disse:

    Li numa matéria jornalística que os policiais não são mais rigorosos nestas situações porque temem serem acusados de racismo, em face das rigorosas leis anti racismo e a facilidade de serem acusados nesse sentido, quando se trata de terem que abordar franceses oriundos das ex-colônias e de países árabes.

  10. Carol disse:

    Hoje fui a Montmartre, sozinha, e não cheguei a notar esses grupos. Entretanto me senti um pouco insegura pela investida de três homens, que pareciam franceses, e vieram, um de cada vez, puxar assunto comigo enquanto eu passava pela rua e depois, quando entrei na lojinha de souvenir próxima ao bonde. Foi estranho por que não me pareceu uma conduta tipicamente francesa, inclusive pela insistência ao me convidarem para beber alguma coisa. Um deles chegou a se oferecer para me levar de carro para casa! Eu procuro me vestir de modo discreto, sou bastante reservada e passo uma imagem séria, por vezes um pouco mal humorada. Fiquei bastante tensa com isso.

  11. Eduardo disse:

    Aconteceu comigo e minha namorada há cerca de 2 dias atrás. Fui com total desconhecimento da causa e fiquei surpreso ao me deparar que este golpe já é aplicado no mesmo local, pelo mesmo grupo há anos e a polícia não faz nada!!! No meu caso fui completamente despreparado, inclusive com câmera embaixo do braço.. Avistamos de longe o grupo mas como vi que não tinha outra alternativa de caminho, seguimos em frente.. Logo me vi abordado no começo por um africano enrolando a fitinha no meu dedo e posteriormente enrolando no meu pulso, falando que era de graça e uma lembrança. Assim q porcaria da fitinha ficou pronta este sujeito começou a pedir dinheiro… Falei q não ia dar e logo chegaram outros 4 africanos impedindo minha passagem e apontando a carteira… Forcei a barra, chamei minha namorada e começamos a correr…acredito que se abrisse a carteira no momento iriam catar todo meu dinheiro certeza… Isso acabou com nossa manhã… Recomendo a quem for ir em grupos ou subir por uma rua alternativa!

  12. Grasiela disse:

    Ola, chegarei em Paris no final do mes vindo de Londres pelo Eurostar, estarei com minha mae, filha de 2 anos, o carrinho de bebê e duas malas grandes. Ficarei hospedada no Hotel em Saint Germain, o q devo me prrocupar nesse translado? Qual a melhor maneira confortavel e segura de chegar no hotel? Vamos nos deparar com escadas nessas estacoes? Existe elevador? Ou é melhor pegar um taxi? Obrigada!

  13. Bárbara Bento Girardi disse:

    ATENÇÃO, EM JANEIRO DE 2013 O MESMO EPISÓDIO ACONTECEU COMIGO E COM MINHAS 3 AMIGAS! ficamos com bastante medo e acabamos pedindo para nos juntar com algumas pessoas do sexo masculino, turistas, que também subiam pro Sacre-Coeur… Vale a pena ir pra lá em grupo e tomar bastante cuidado…

  14. selma disse:

    apesar de ter lido a respeito dessas abordagens antes de visitar a catedral Sacre Couer, fomos para lá imaginando que era somente desviar destas pessoas, mas nao era assim tao facil como imaginavamos, ao subir a escadaria, tentamos passar rapido pelas laterais, mas este grupo logo nos cercou como uma barreira, e um deles pegou o braço de meu esposo a força e rapido, meu esposo empurrou e eles ficaram agressivos, so sei que puxei ele rapidamente e saimos correndo, nao sei se eles so queriam intimidar, mas eles pelo menos encenaram querer brigar fisicamente e soltam palavras querendo peitar…enfim na descida fomos por outra escadaria….Mas vendo os depoimentos de outras vitimas, percebo que eles so atacam os casais !!! Nao entendo porque lá nao tem policia e imagino que foram muitas vitimas e a policia nao faz nada e nem esta presente…isso é um absurdo !!!

  15. Eduardo disse:

    No comentário anterior eu quis dizer “escadarias da Basílica de Sacre Couer”
    Perdão
    Eduardo

  16. Eduardo disse:

    Boa noite,

    Estive em Paris agora em maio.2014. Um espetáculo, tudo muito tranquilo e voltarei com certeza.
    Porém, nas escadarias de Montmartre eu não volto mais! Somente com o “bondinho”. Estes imigrantes ilegai não são “meio” agressivos, eles são muito agressivos. E não paenas verbalmente! Na descida, eles me abordaram e eu disse para eles que não queria a tal pulseira e eles agarraram meu braço e o da minha namorada. O dela soltaram, o meu eu tentei soltar e não consegui. Disse de novo para ele que eu não queria (em inglês)e ele se tornou agressivo e me puxou para o meio dos outros, segurando ainda a minha mão. Quando eu estava no meio de todos eles, e com muito medo, ele começou o me xingar na lingua deles e apontou para eu olhar no olho dele. Somente depois que eu olhei nos olhos dele, ele me soltou. Logo fui embora, com muito medo.
    Minha prima acabou de voltar de Paris (ela foi logo depois de mim) e, o episódio se repetiu da mesmíssima forma com ela e o namorado.
    No mais, a cidade é ótima, mas na Basílica tomem cuidado!

    Eduardo

Próximos 20 comentários Aguarde, carregando novos comentários

Participe e deixe seu comentário

Seu comentário pode demorar alguns minutos para aparecer no blog.