Conexão Paris: as melhores dicas de Paris e da França

Horário de verão

 

Horário Verão

Horário Verão

Na noite de sábado, 28, para domingo, 29, de março 2015, as 2h da manhã, passamos para 3h. Uma hora de sono a menos. Os relógios avançam de 1 hora e a diferença horário com o Brasil será de 5 horas.

 

 

 

O conteúdo deste post foi decidido pela equipe editorial do Conexão Paris, tendo como critério a relevância do assunto para nossos leitores, não havendo nenhum vínculo comercial com qualquer empresa ou serviço citado no texto. Não recebemos qualquer tipo de remuneração pela escrita e publicação deste texto. Conheça a política de remuneração do Conexão Paris.
Últimos pitacos (3/4), ver todos os comentários
  • "Pena Concordo vai ficar mais difícil falar co ..."

    Mara
  • "Q tristeza,,,vai ficar mais dificil de eu fal ..."

    Rejane magna
  • "Quando termina o horário de verão na França e ..."

    Amaury
Deixe seu pitaco

França e suas placas antigas

Passagem Panorama, Paris

Passagem Panorama, Paris

Em Paris mesmo, ou no interior da França, encontramos placas, antigas ou recentes, com o nome de uma empresa ou com o desenho da descrição de uma atividade manual. Trata-se de uma longa tradição européia.

Estas placas, enseignes em francês, são ou foram feitas em madeira ou pedra esculpida e pintada ou então em ferro forjado, resistentes a tudo, mais duráveis e as mais bonitas.

Alsácia, placa

Alsácia, placa

Alsácia, placas

Alsácia, placas

É sobretudo no interior da França que encontramos belíssimas enseignes. As da Alsácia são famosas e ninguém fica indiferente à estas formas projetadas contra o céu azul.

Champagne, placas

Champagne, placas. Foto: Edu

Linda também, esta placa assinalando um pequeno hotel da região do champagne.

O Museu Carnavalet, no Marais,  possui uma sala somente de placas antigas datando do século XVI até o início do século XX. Não sei se vocês sabem, o Carnavalet se dedica à história de Paris e seus habitantes desde a pré-história até hoje. Ele expõe obras de arte, lembranças e maquetes da cidade que evocam a vida quotidiana e intelectual em diversas épocas.

Museu Carnavalet, sala das "enseignes"

Museu Carnavalet, sala das “enseignes”

O Carnavalet possui uma sala somente com placas de ferro forjado, madeira e pedra.

Nos séculos passados, as ruas não tinham numeração e a população era analfabeta. Os comerciantes e artesãos usavam estas placas figurativas para explicarem o que vendiam ou a atividade que exerciam. Hoje, estas placas nos fornecem um retrato de como eram as ruas de Paris e da diversidade econômica e comercial da cidade.

São placas de comerciantes de vinhos, de fabricantes de armas, de padarias, de restaurantes, de cabarés, de hotéis.

O estudo das enseignes revela os costumes de uma cidade ou de um país.

Le Chat Noir

Le Chat Noir

Uma das placas mais famosas do Carnavalet  é a o Gato Preto, Chat Noir, um cabaré famoso de Montmartre fundado em 1881, ponto de encontro de artistas e símbolo da vida boêmia do final do século XIX.

O conteúdo deste post foi decidido pela equipe editorial do Conexão Paris, tendo como critério a relevância do assunto para nossos leitores, não havendo nenhum vínculo comercial com qualquer empresa ou serviço citado no texto. Não recebemos qualquer tipo de remuneração pela escrita e publicação deste texto. Conheça a política de remuneração do Conexão Paris.
Últimos pitacos (3/10), ver todos os comentários
  • "Ola pessoal, quero parabeniza-los por esse ex ..."

    Maisa
  • "Pedro, 1. Você comprou um ingresso para a To ..."

    Rodrigo Lavalle
  • "Olá, pessoal, parabéns pela excelente página ..."

    Pedro
Deixe seu pitaco

Festival do Cinema Brasileiro de Paris

O cinema Arlequin faz parte da história de Saint Germain. Inaugurado em 1930, hoje ele é classificado como cinema de Art et Esssai com uma programação exigente incluindo restrospectivas e festivais. Do dia 7 ao dia 14 de abril 2015, o Arlequin organiza o décimo sétimo Festival do Cinema Brasilero de Paris. Como todos os […]

Leia mais →

Singing in the Rain, no final do ano

Após ter lido a crítica do jornal Le Figaro, volto a citar a comédia musical Singin’in the Rain. Resumindo a crítica do jornalista  Thierry Hillériteau: …não é fácil adaptar os grandes monstros sagrados de Hollywood e este filme culte é particularmente difícil. Apesar do risco de toda adaptação, desde 12 de março o teatro Châtelet […]

Leia mais →

Etienne Daho, Padrinho da French Pop

Por Diego Milatz Talvez vocês tenham observado que eu tenho uma atração maior pelas vozes femininas do que pelas masculinas. Institivamente, eu escuto com muito mais atenção uma cantora do que um cantor. Esta regra tem algumas excessões e eu gostaria de apresentar a vocês um cantor chamado Etienne Daho, mas eu o chamo de “cantor gentleman”. Alçado […]

Leia mais →
4232 posts