Na mídia francesa o tema desta semana são crepes e crêperies. A França festeja a Chandeleur dia 2 de fevereiro degustando crepes.

A Chandeleur, na realidade a Festa das Chandelles (velas), é antiga. Ela data do século 5 e foi instituída pela Igreja Católica.

Como fazer e degustar crepes. Crepe do Breizh Café

Para a Chandeleur 2017, o jornal le Figaro publicou a lista das melhores crêperies de Paris e entrevistou o proprietário da primeira colocada. Sem surpresas a Breizh Café ficou em primeiro lugar. Leia aqui nosso artigo sobre o Breizh Café.

O crepe

Aparentemente a confecção de um crepe pode parecer simples. Achamos que basta uma receita correta da massa e nossos recheios preferidos. Os crepes são classificados, com frequência, na categoria easy food. Mas realizar um bom crepe não é tão fácil assim. O primeiro segredo é a qualidade dos ingredientes e em seguida a técnica para obter uma massa crocante. O crepe perfeito é crocante nas beiradas e macio no interior.

O verdadeiro crepe não é preparada com farinha de trigo branca e sim com farinha de trigo sarraceno. E poucos sabem que o sarraceno é sem glúten e muito saboroso. Como para a pizza, cuja massa tem que ser saborosa, o crepe não é somente um envelope. Degustado pura, sem recheio, ele deve ser gostoso.

Na Breizh Café o crepe é preparado com um sarraceno bem escuro, o que explica a cor dos crepes. E para os recheios, Breizh escolhe os melhores produtos da França.

Crêperies como a Breizh Café aumentaram o atrativo deste prato tradicional francês. Hoje eles não representam mais uma receita “antiquada” ou “provinciana”.

O que beber com um crepe?

Cidre brut, claro. Nós brasileiros temos que deixar de ver a sidra como um produto “menor” ou kitsch. O Breizh Café possui no seu cardápio mais de 20 sidras. A mais saborosa é a Kervéguen, envelhecida em barril de carvalho. Para quem não tem familiaridade com esta bebida, é melhor começar pelo cidre doux, que possui a qualidade de ser menos alcoolizado.

Breizh Café: 109 rue Vieille du Temple, 75003. Metrô linha 8, estação Filles du Calvaire.

Como fazer e degustar crepes

Receita

Dentro dos festejos da Chandeleur, a famosa casa de chá Ladurée publicou a receita de um crepe histórico: crepe com laranja e licor Grand Marnier. Este crepe é diferente do crepe salgado, preparado com sarraceno. O crepe doce utiliza a farinha de trigo branca.

O crepe ao Grand Marnier é servido na hora do chá, no lanche das crianças ou como sobremesa.

Receita crepe Grand Marnier da Ladurée (para 20 crepes)

.1 laranja orgânica. Como somente a casca da laranja será utilizada, melhor que ela seja orgânica, sem pesticidas.

.165 gr de farinha de trigo branca

.40 gr de açúcar

.4 ovos

.500 ml de leite

.40 gr de manteiga, sendo 20 g para a frigideira

.1 colher sopa óleo

.1 colher de sopa de Cointreau ou de Grand Marnier

Preparação:

Descasque a laranja e corte sua pele em tirinhas fininhas.

Peneire a farinha de trigo e coloque em recipiente fundo. Acrescente o açúcar, as tirinhas de casca de laranja, os ovos e o leite progressivamente. À medida que for acrescentando o leite, bata o tempo todo com um batedor. Se por acaso a massa não ficar lisa, bata tudo no liquidificador rapidamente. Sem fazer espuma. Somente para diluir as bolas de farinha.

Dissolva a manteiga e acrecente na massa. Por último coloque o óleo e os álcools.

Deixe a massa repousar 1 hora em temperatura ambiente.

Em uma frigideira anti adesiva, ligeiramente amanteigada, coloque uma concha de massa. O necessário para cobrir a frigideira. Não coloque muito massa. Ajude a espalhar inclinando a frigideira. Deixe dourar de um lado e depois de outro.

À medida que os crepes ficarem prontos, coloque-os uns sobre os outros, assim eles não secam.

Mesmo sem recheio, estes crepes são deliciosos e podem ser servidos somente com açúcar. Mas você pode servir com geléias ou chocolate derretido.


restaurante libanês em ParisConheça o guia do Conexão Paris Restaurante e Outras Delícias, à venda na nossa agência online Minha Viagem Paris. O guia traz uma seleção dos melhores restaurantes da cidade, além de queijarias, pâtisseries, caves, bares etc.