Respondemos nesse artigo os questionamentos dos leitores sobre a presença do coronavírus em Paris e na França. Iremos atualizando o post à medida que novos desdobramentos foram acontecendo.

Atualização feita dia 25/02/2020

Com a entrada da Itália na lista dos países atingidos pelo coronavirus, o governo francês tranquiliza a população francesa. As últimas declarações oficiais foram as abaixo.

  • Não existe hoje, na França, nenhum doente infectado pelo coronavirus. O último doente recebeu alta e voltou para seu país. O episódio de 12 casos de infecção por coronavírus no solo francês terminou com saldo de 11 curas e uma morte, a do turista chinês de 80 anos. Até agora não há novos doentes identificados nem circulação de vírus no território francês.
  • Com o agravamento da situação na Itália a França toma todas as medidas necessárias para evitar contaminações vindas deste país.
  • A estratégia do governo francês é flexível e se adapta à evolução da situação.

A última declaração do Ministro da Saúde é que existe um grande número de alertas na França, o que em si é um dado positivo. Quer dizer que as pessoas estão cientes do perigo e no primeiro sintoma de febre ou tosse elas procuram o SAMU. E até agora nenhum teste se revelou positivo. É este estado de alerta que ajudará no controle da epidemia.

Como vivemos o quotidiano em Paris? A vida segue de maneira normal. A única diferença é o estado de alerta que se manifesta em pequenas mudanças de comportamento. No lugar de pegar o metrô nas horas “vermelhas” (de rush) preferimos caminhar, pegar uma bicicleta, patinete ou táxi. E o álcool para higiene das mãos não sai mais da nossa bolsa.

Aconselho lerem os dois resumos abaixo com atenção.

Resumo atual da situação na EU, Reino Unido e todos continentes feito pelo European Center for Disease Prevention and Control.

Até 25 de fevereiro, foram notificados 276 casos e sete mortes na EU e no Reino Unido:

  • 229 casos na Itália (três importados, 226 adquiridos localmente),
  • 16 casos na Alemanha (dois importados, 14 adquiridos localmente),
  • 13 casos no Reino Unido (12 importados, um adquirido localmente),
  • 12 casos na França (cinco importados, sete adquiridos localmente),
  • 3 casos na Espanha (três importados),
  • 1 caso na Bélgica (importado),
  • 1 caso na Finlândia (importado),
  • 1 caso na Suécia (importado).
  • 6 mortes foram relatadas na Itália; uma morte foi relatada na França.
  • Desde 31 de dezembro de 2019 e em 25 de fevereiro de 2020, foram relatados 80.134 casos de COVID-19 (de acordo com as definições de casos aplicados nos países afetados). Em 25 de fevereiro de 2020, foram relatadas 2.698 mortes na China (2663), Hong Kong (2), Irã (12), Coréia do Sul (8), em transporte internacional (Japão) (3), Itália (6), Taiwan (1), Filipinas (1), Japão (1) e França (1).

Até 25 de fevereiro foram relatados casos nos seguintes continentes:

  • África: Egito (1).
  • Ásia: China (77.658), Hong Kong (81), Macau (10), Coréia do Sul (893), Japão (144), Cingapura (90), Irã (61), Tailândia (37), Taiwan (30), Malásia (22), Vietnã (16), Emirados Árabes Unidos (13), Kuwait (5), Índia (3), Filipinas (3), Bahrein (2), Israel (2), Omã (2), Afeganistão (1), Iraque (1), Camboja (1), Nepal (1), Sri Lanka (1) e Líbano (1).
  • América: Estados Unidos (53) e Canadá (11).
  • Europa: Itália (229), Alemanha (16), Reino Unido (13), França (12), Espanha (3), Rússia (2), Bélgica (1), Finlândia (1) e Suécia (1).
  • Oceania: Austrália (22).
  • Outros: Casos com transporte internacional (Japão) (691).

Coronavírus: Expansão Mundial

Os países afetados pelo coronavírus 2019-nCoV até agora são: China, Tailândia, Japão, Coréia do Sul, Vietnã, Cingapura, Malásia, Nepal, França (5 pessoas), Canadá, Austrália e Estados Unidos (5 pessoas). Fora da China, os casos confirmados até agora são de viajantes que estiveram em Wuhan – a cidade ponto de partida da epidemia – ou em outras cidades chinesas.

Casos de coronavírus em Paris e na França

Até hoje 5 casos de coronavírus 2019-nCoV foram confirmados na França de acordo com a Ministra da Saúde, Agnès Buzyn. Os doentes na França são chineses de férias no solo francês ou franceses que estiveram recentemente na China. O modo de expansão da doença na França confirma o modo de expansão mundial.

Um dos infectados é um cidadão francês que voltou de uma viagem, no mês de dezembro, à China. Ele está hospitalizado na cidade de Bordeaux. Há também um casal de turistas chineses hospitalizados em Paris no Hospital Público Bichat. O último caso contabilizado se trata da filha do turista chinês já hospitalizado.

Coronavírus em Paris e na França

Coronavírus em Paris, últimas notícias. Foto: Peggy und Marco Lachmann-Anke | Pixabay

Medidas do governo francês contra propagação do coronavírus em Paris e na França

O governo francês está atento à propagação da doença e tomando as medidas necessárias em dois campos:

1) Proteção dos habitantes e turistas presentes em solo francês

Nos sites do Ministère des Solidarités et de la Santé e da France Diplomatie podemos baixar documentos (baixe aqui em francês / baixe aqui em inglês) com conselhos de como agir em caso de sintomas, como evitar o contágio, além de obter as últimas informações da evolução nacional e internacional.

Outras medidas tomadas pelo governo e empresas a fim de evitar a propagação do vírus:

  • A França e todos os outros países recomendam evitar estadias na China.
  • As companhias aéreas United Airlines, British Airways, Lufthansa, Ibéria, Lion Air anunciaram a suspensão de seus voos para a China Continental. Cathay Pacific suspendeu a metade dos seus voos para a China. A Air France suspendeu os voos entre Paris-CDG e o aeroporto de Wuhan-Tianhe. A linha Air France Shanghai Pudong e Pequim (Beijing) é mantida com somente 1 voo diário. A Swiss Air Lines suspendeu as rotas entre o aeroporto Zurich-Kloten e Pequim e Shanghai e a Australian Airlines interrompeu a ligação entre Viena e Pequim.

2) Repatriação de cidadãos presentes em áreas afetadas pelo coronavírus

A França, assim como os Estados Unidos, Itália, Alemanha, Canadá, Austrália, Inglaterra, Nova Zelândia, começaram os procedimentos para o repatriamento dos seus cidadãos com residência em Wuhan. Os repatriados franceses não apresentam a priori os sintomas da doença. Os franceses doentes que desejam voltar para a França serão repatriados em aviões sanitários específicos.

Qual o perigo real do coronavírus em Paris?

Você deve cancelar ou adiar sua viagem a Paris devido ao coronavírus? A situação atual não exige medida tão drástica.

Se você, assim como eu, é um pouco germofóbica, com certeza já prática nas suas viagens os conselhos do governo francês citados no documento oficial (veja o item abaixo) a fim de evitar o contágio e a propagação do vírus.

Desde sempre eu viajo com máscaras faciais ao alcance da mão. Se, no avião ou trem, um passageiro estiver tossindo e gripado, eu a coloco. Se eu estiver tossindo, a coloco também por respeito aos outros. Já me aconteceu pedir para trocar de assento quando me encontrei ao lado de um senhor com forte gripe.

Para os menos fóbicos aconselhamos adotarem as regras preconizadas no documento oficial francês (veja abaixo) e flanar por Paris leve e solto.

Seja você preocupado ou não, é importante não esquecer o seguro viagem. Além de ser um dos documentos que podem ser exigidos na sua entrada na França, esse seguro é extremamente importante no caso de acidentes ou emergências médicas durante a sua viagem. Acesse o site da Seguros Promo e faça a cotação do seu seguro entre dezenas de seguradoras.

Das seguradoras presentes no Seguros Promo, a GTA foi a única que manifestou cobertura para um primeiro atendimento emergencial. Em todas as demais, não haverá cobertura, pois epidemias e pandemias são tratadas como riscos excluídos.

Coronavírus: sintomas e o que fazer

Resumimos abaixo o documento francês acima citado. Em caso de sintomas de infecção respiratória (febre, tosse, dificuldades respiratórias), que não são necessariamente indícios de contaminação pelo coronavírus, você deve:

  • Usar uma máscara médica e se manter longe da família e dos amigos.
  • Utilizar somente lenços de papel descartáveis.
  • Lavar as mãos com frequência.
  • Proteger a boca quando tossir.
  • Contatar rapidamente o Samu discando o número 15. Explicar os sintomas e enumerar os países onde esteve recentemente.
  • Não contatar um médico perto do hotel ou da sua casa e não ir às urgências dos hospitais. Contate o Samu, os médicos que aí trabalham foram treinados para tratar as consequências do coronavírus 2019-nCoV.

Máscaras médicas / máscaras faciais

Os especialistas em epidemias recomendam o uso da máscara médica, ou máscaras faciais. Alertamos aqui para que não leve em consideração artigos e conselhos sobre e ineficiência do procedimento. Use a máscara sim e de maneira correta, ela deve tapar o nariz e a boca. E atenção, é necessário trocar a máscara a cada 4 horas.

Coronavírus, medidas higiene nas viagens

Coronavírus em Paris, medidas de higiene nas viagens. Foto: Imagem de Ryan McGuire por Pixabay

Aeroporto Charles de Gaule e o coronavírus em Paris

Para controlar a expansão do coronavírus em Paris e na França, o aeroporto parisiense Charles de Gaulle criou um balcão especial para receber os passageiros de voos de proveniência da China, Hong-Kong e Macao. O serviço receptivo é feito por pessoas ligadas à segurança civil e profissionais médicos ligados à reserva sanitária do Ministério da Saúde.

Coronavírus e a Economia Mundial

O jornal francês Les Echos publicou artigo sobre a relação entre a epidemia chinesa e a empresas internacionais. O artigo começa com a frase “quando a China tosse a economia mundial gripa”. Todos os setores da economia estão expostos às consequências da epidemia. Como sabemos todos, a China é o primeiro mercado mundial para a maioria dos vendedores internacionais e um dos principais fornecedores das indústrias do planeta. Entre as empresas citadas as do fast food e dos cafés como Starbucks; as empresas de entretenimento como Disney; a indústria automobilística impactada dos dois lados, tanto para a venda como para a fabricação e a indústria do luxo, que é dependente do mercado chinês para obter seus excelentes resultados.

Sobre a Seguros Promo

No site da Seguros Promo – uma empresa do grupo Belvitur (53 anos no segmento de turismo) – você compara os preços e propostas de várias empresas seguradoras sérias e contrata com tranquilidade o seu seguro viagem. Se tiver dúvidas, você pode falar imediatamente com um consultor online, no email ou por telefone. Além disso, é possível parcelar a compra do seu seguro em até 10 vezes sem juros.

Para os leitores do Conexão Paris, a empresa está oferecendo um desconto. Para obtê-lo, basta inserir o código CONEXAO5 no campo “VOUCHER DE DESCONTO” na tela de pagamento.

Outros artigos sobre seguro viagem:


A Travelwifi aluga dispositivos portáteis que fornecem conexão wifi e também vende chips para celular que funcionam na França e Europa.

No site Booking você reserva hotéis com segurança e tranquilidade e tem a possibilidade de cancelamento sem cobrança de taxas.

Pesquise horários de trens e preços de passagens e compre a sua com antecedência para garantir os melhores preços.

No site Seguros Promo você compara os preços de várias empresas seguradoras e contrata online o seu seguro de viagem.

Obtenha o orçamento das principais locadoras de carro na França e faça sua reserva para garantir seu carro na Rentcars.

Veja as melhores ofertas de passagens aéreas da Air France.