Criada em 1984 a Fondation Cartier pour l’art contemporain tem por objetivo difundir e apoiar a arte contemporânea, seja a pintura, o vídeo, o desenho, a fotografia ou a moda.

A Fundação exerce um papel de descoberta de novos talentos, apresentando artistas desconhecidos do público europeu. Ela “descobriu” Pierrick Sorin, Marc Newson, Seydou Keita, Francesca Woodman, Alair Gomes,  Gerard Garouste, Shirley Jaffe, Vija Celmins, Adriana Varejão, Takashi Murakami.

Todo passeio de descoberta de Montparnasse deve começar, obrigatoriamente, pela Fundação.

O prédio da Fundação é maravilhoso. Um projeto do arquiteto Jean Nouvel, que criou também o Institut du Monde Arabe e o Musée du Quai Branly. Nouvel é celebrado na França e no mundo todo pela sua maneira de desmaterializar a arquitetura. As paredes de vidro e de espelho do imóvel deixam ver as obras expostas ou refletem as nuvens, as pessoas que passam e os imóveis vizinhos. Um verdadeiro palácio de vidro em constante metamorfose.

O jardim merece atenção especial. O artiste que o criou, Lothar Baumgarten, inventou um jardim selvagem que envolve o prédio da Fundação. Neste jardim estão 35 essencias de árvores e 200 espécies vegetais da flora francesa:figueiras, morangos silvestres, violetas, cerejeiras e mentas.

O jardim está separado do boulevard Raspail por um muro de vidro, preservando assim a leveza e a transparencia do conjunto.

Aproveitem para ver a exposição de Lee Bul, uma grande instalação ocupando duas salas, toda em cristal e malha de aço. Até o dia 27 de janeiro 2008.

Informações: fondation.cartier.com

A fondation Cartier está aberta todos os dias, menos na segunda feira, de 12h às 20h. A entrada custa 6.50 euros. Tarifa reduzida para estudantes, menos de 25 anos, 4.50 euros.

Endereço: 261 boulevard Raspail, 75014 Paris. Metrô linhas 4 e 6, estações Raspail e Denfert – Rochereau. Ônibus 38, 68, 88, 91.

Leiam o terceiro artigo sobre Montparnasse