Os itens que estão sempre presentes no guarda-roupa e no dia-a-dia da parisiense. Continuação do primeiro artigo, leia aqui.

01 – Vestidinho preto (la petite robe noire): não tão usado no dia-a-dia mas bastante usado nas soirées, o vestidinho preto continua sendo sinônimo de chique e elegante. É a aposta certa e segura. O brechó de luxo Didier Ludot (24 Galerie Montpensier – Jardin du Palais Royal) é especializado em antigos vestidos pretos de alta costura e lança também uma pequena coleção anual com alguns modelos. É o próprio Didier Ludot quem diz: “O vestidinho preto é mágico pois ele esconde os defeitos de uma mulher enquanto valoriza suas qualidades. C’est la quintessence du chic parisien.”

02 – Meia-calça preta: usada na primavera (e também no outono) enquanto as temperaturas ainda não permitem sair só de vestido ou saia ou short. A marca austríaca Wolford (66 rue Rennes ou 45 rue Vieille du Temple) vende os mais variados tipos de meias-calça.

03 – Cardigã: o cardigã de cashmere tem mais durabilidade, é mais macio e quente que os cardigãs de merino ou semelhantes. Com exceção do verão, pode-se usar um cardigã praticamente o ano inteiro. A marca francesa Eric Bompard (26 rue Vavin ou 14 rue de Sévigné) é especializada em cashmere.

04 – Suéter longo: de lã mais grossa que parecem um abraço bem dado de tão confortáveis e gostosos.

O toque final, cabelos naturais. O cabelo curto à la Inès de la Fressange não é o corte mais popular entre as parisienses como a gente costuma pensar. Assim como as brasileiras, elas amam usar os cabelos compridos. A grande diferença é que as parisienses saem de casa com os cabelos meio desarrumados, meio bagunçados. Às vezes um coque desabando e pronto!

E, pra finalizar, como disse a supracitada Inès de la Fressange em uma entrevista: “A mulher francesa tem uma certa arrogância, como quem diz: eu ignoro a moda, eu faço do meu jeito”.

Falou e disse.

Leia também: