No início do século XX, Moisés de Camondo contrói uma mansão para abritar sua coleção de arte do século XVIII. Em 1917, seu filho Nissim morre lutando pela França na primeira guerra mundial. Após a morte do seu filho, Moisés lega casa, móveis e obras de arte  ao estado francês.

Durante a segunda guerra mundial, a filha de Moisés, Beatrice, seu marido e seus filhos desaparecem nos campos de concentração. A família Camondo não existe mais.

A visita do Museu Nissim de Camondo não pode ser feita sem que os visitantes saibam o destino trágico desta família que, no mesmo século,  perde um dos seu membros lutando pela defesa da França e em seguida é enviada à Auschwitz.

O que mais me interessa nestes museus que nos mostram como viviam as elites no passado – veja também o Museu Jacquemard André – não são os móveis nem as obras de arte e sim a organização do cotidiano. Onde estava localizada a cozinha, como se cozinhava nesta época, como eram os banheiros. Infelizmente, os museus revelam ao público somente as salas de recepção, as bibliotecas,  os escritórios.

No Nissim podemos visitar os banheiros e lá descobri que o hábito de separar o wc do resto já existia. Para nós esta separação é absurda, para os franceses absurdo é o nosso banheiro integrado. Eles acham mais higiênico o apartheid dos odores.

A cozinha fica escondida nos fundos da casa com enorme fogão central e panelas de cobre. Ao lado, a sala de jantar dos empregados com 20 assentos. Hoje, como ninguém mais possui um exército de empregados domésticos, a cozinha sofreu um upgrade e passou a ter localização central. Nos apartamentos haussmannianos de Paris, a cozinha também está escondida e longe das salas, situada no final de longo corredor sinistro. O que acontece, é que os jovens derrubam as paredes e aderem ao estilo cozinha americana.

A visita do Museu Nissim de Camondo é aconselhada para aqueles que já conhecem os principais museus de Paris. Ao sair do Nissim, vá conhecer o Parque Monceau. Vale a pena. Um dos parques mais bonitos de Paris.

Tanto o museu quanto o parque estão perto da praca Madeleine, o centro da gastronomia parisiense.

Musée Nissim de Camondo – 63 rue de Monceau 75008 – Paris – metro Fechado segunda e terça. Aberto das 10.30 às 17.00h.