O jornal Le Figaro levanta a questão: qual é o melhor presunto europeu? O parma ou o pata negra?

Tanto a Itália quanto a Espanha afirmam possuirem o melhor presunto do mundo.

O italiano é feito com o porco branco e o espanhol com o negro.

O italiano deve ser fatiado na máquina e possui uma coloração rosada. O espanhol é cortado com faca e apresenta uma cor avermelhado escuro.

O presunto de Parma é protegido por um consortium que garante origem e fabricação. O presunto bellota possui vários nomes – jabugo, pata negra, guijuelo, real ibérico – o que dificulta a escolha do consumidor.

O presunto de parma é afinado  no mínimo 12 meses. Melhor escolher um de 18 ou 24 meses. Ele é degustado em fatias finas senão perde o seu aspecto macio.  Seu preço varia entre 50 e 70 euros o quilo ( 18 meses ).

O presunto ibérico é fabricado com porcos negros que possuem uma carne com ligeiro sabor de avelãs. Isto porque vivem em liberdade e comem os frutos (bellota) da árvore chêne. Ele requer 24 meses de afinagem e custa entre 200 e 300 euros o quilo. Mas atenção, como não existe um label, é difícil comprar um produto correto. Verificar a procedência já permite uma seleção. As cidades que fabricam bons presuntos são Jabugo, Guijuelo e Extremadura.  E os melhores produtores são: San Luis et Sanchez Romero em Jabugo, Sierra de Sevilla em Guijuelo.

E então?

Aqueles que adoram produtos refinados e delicados preferem o parma que pode ser degustado acompanhado por aspargos, legumes grelhados, figos assados e um vinho branco fruité.

Os que gostam de sensações fortes degustarão, sem acompanhamento,  o presunto ibérico e beberão um vinho branco seco.

Para todos os dois casos, o presunto nunca é consumido gelado e sim temperatura ambiente.

No Da Rosa vocês podem comprar um excelente parma e os grands crus ibéricos.

Aqui o artigo publicado pelo jornal.

E o presunto  francês?

O presunto francês não possui a qualidade dos acima citados, mas se escolhermos bem achamos bons produtos. Eu nunca os compro em super-mercados e já fatiados. Os bons açougueiros e as boas épiceries de Paris vendem bons presuntos fatiados na hora.  Quanto as épiceries indico a Coesnon em Saint Germain ( vocês se lembram das batatas fritas azuis da LuciaC?) e a Grande Épicerie de Paris em Sèvres Babylonne.

Os meus amigos nascidos na Córsega consideram o presunto cru fabricado na ilha tão bom quanto o Parma. Em francês não diria nunca o contrario. Mas aqui entre nós, o presunto corso é gostoso mas não possui a maciez tão característica do italiano. Ele é sempre sêco e salgado demais.

E o presunto brasileiro?

Uma grande icógnita para mim. Adoramos a carne de porco, somos os grandes especialistas da feijoada e do lombinho assado e o nosso presunto é vergonhoso. Pode até ser que a indústria brasileira tenha lançado um verdadeiro presunto e que eu não o conheça. Neste caso, aguardo com impaciência conhecê-lo.

Obs. LuciaC me telefonou aflita para informar que a maravilhosa loja Coesnon fechou. Uma pena. Anotem.