O que ver em torno de Nice? Comecem pelo arrière-pays, quer dizer, as cidades das montanhas, atrás de Nice. Em primeiro lugar Saint Paul de Vence.

Cidade-museu, ponto de encontro de ricos e famosos. Nas suas ruelas medievais, milhões de obras de arte e de galerias de arte, de lojas com artigos para turistas e de pequenos restaurantes. É turístico demais? Claro, mas ao mesmo tempo o charme se impõe e saímos de Saint Paul felizes por ter conhecido este mito da Côte d’Azur.

Mas o lugar mais famoso de Saint Paul de Vence se encontra na entrada da cidade e fora do burgo medieval.

Bem na tradição européia, esta casa com um aspecto exterior mal cuidado é na realidade o ponto de encontro da elite que frequenta a região: La Colombe d’Or. Por aí passaram Matisse, Truffaut, Prévert, Simone Signoret, Montand, Picasso, Alain Delon, Calder e a lista é longa. Um conselho, almocem no restaurante do hotel: www.la-colombe-dor.com. Reservas no: contact@la-colombe-dor.com.

Jardim Fondation Maeght

Após Saint Paul de Vence, parem na famosa Fondation Maeght (www.fondation-maeght.com) que se encontra a 500 metros da entrada da cidade. Mas atenção, o site informa que a Fondation está fechada para reformas até a primavera de 2010. As obras de artistas tais como Giacometti, Calder, Miró e Tal-Coat se encontram espalhadas por um magnífico jardim.

Não deixem de passear por Vence que se encontra perto de Saint Paul e da Fondation.

Uma cidade maior do que Saint Paul, menos cidade-museu e mais autêntica. A feira de antiguidades que se instala nas segundas  em Nice, aqui em Vence ela acontece nas quartas. Vence também possui uma parte histórica e medieval com suas ruelas e restaurantes.

Comemos aqui um crepe sublime, na Creperie Bretonne, 6 Place Surian, na parte histórica da cidade. Estas são as principais cidades a serem vistas no arrière-pays.

Voltando para a orla marítima, aconselho pegarem a estrada que vai de Nice até Saint Jean de Cap Ferrat, passando por VilleFrance-sur-Mer. Este trecho é um dos mais bonitos da orla. Esta estrada se chama Petite Corniche e preciso explicar o detalhe das três Corniches. Entre Nice e Menton, les Corniches são três estradas específicas, cada uma oferecendo uma vista diferente do Mediterrâneo. La Grande Corniche, a mais alta, oferece uma vista espetacular do Mediterrâneo. A Corniche Moyenne é aquela que vai passar pelas cidades incrustadas nas montanhas e a última, a Petite Corniche une as diversas cidades da orla.

Pegando a Petite Corniche vocês irão visitar a pequena cidade de Villefranche sur Mère e sua capela Saint Pierre decorada por Cocteau.

Em Cap Ferrat, visitarão a mansão de Beatrice Ephrussi de Rotchschild

e seus famosos jardins (www.villa ephrussi.com)

Èze Village

O passo seguinte será visitar uma das cidades mais bonitas da Côte e que se chama Èze. Èze possui três níveis porque ela se estende da praia até o ponto mais elevado da costa, ou seja o nível da Grande Coniche. A Èze-bord-de-mer, a da praia, não possui grandes atrativos. A mais bonita é aquela que se encontra na Moyenne Corniche e que se chama Èze-Village. Pequena cidade encantadora e com uma vista única do Mediterrâneo.

E não deixem de percorrer, também, os famosos jardins de Èze.

Claro que a Côte d’Azur possui muitos outros atrativos. O objetivo destes três artigos foi de propor um roteiro de alguns dias pela Riviera e Provence. Escolhi o que mais me interessa e que não deixa de representar, também, a opinião dos parisienses sobre estas duas regiões. Acho Nice muito mais interessante do que Cannes e Saint Tropez. Aliás, esta última cidade é um pequeno porto onde ancoram barcos milionários, onde peoples possuem casas escondidas nos arredores. Se você for people, tiver um barco enorme e possuir uma agenda com o nome e telefone das celebridades, vá a Saint Tropez. Senão, faça o roteiro descrito nestes artigos.

Clique aqui para ler o primeiro artigo sobre a Côte d’Azur.