Duas esculturas de Michelangelo denominadas Les Esclaves (os Escravos) fazem parte da lista das principais obras do museu do Louvre.

Um dos escravos se chama Le Captif – o Cativo – uma obra inacabada, simbolizando um homem que se debate em uma contorção brutal.

O outro foi denominado Esclave Mourant – Escravo Morrendo – e simboliza um homem jovem e belo, entregue a um sono talvez eterno.

Estas duas esculturas chamam atenção pela contradição dos sentimentos que elas exprimem: de um lado a rebelião, e de outro, a aceitação, a entrega.

O escravo Mourant foi objeto de vários debates. Estaria ele morrendo lentamente, se abandonando ao sono eterno ou, ao contrário, este jovem imberbe estaria em um êxtase sensual profundo? O braço esquerdo serve de apoio para a cabeça ligeiramente inclinada, a mão direita acaricia o corpo desnudado e o rosto exprime um prazer intenso?

Diante desta obra de um dos maiores artistas de todos os tempos, ficamos indagativos e mergulhados  em um prazer estético intenso.

Leiam o primeiro artigo que escrevi sobre as principais obras do Louvre.