Sophie Pedder dirige a revista Economist em Paris. Recentemente ela publicou um artigo, no suplemento Intelligent Life, sobre a famosa questão: os parisienses são mal educados?

Não conheço o artigo mas li a entrevista que deu à revista francesa Le Point.

Seu ponto de vista é idêntico ao meu. Os turistas chegam à capital pensando que os parisienses são mal educados e arrogantes. Na realidade tudo depende da maneira como estes são abordados. Cada país tem suas regras e códigos. Uns respeitam mais que os outros estas regras. Os parisienses dão uma grande importância aos pequenos detalhes do cotidiano, à etiqueta que ordena as relações sociais.

Sophie Pedder cita dois exemplos corriqueiros. O simples boa noite senhor endereçado ao garçon resulta na melhor mesa da brasserie. Ao entrar no elevador, todos dizem bom dia e na saída até logo. Em Londres, o escritório da revista se encontra em um andar elevado de uma torre e o silêncio total dentro do elevador é a regra de ouro.

Na entrevista do Le Point, a jornalista inglesa cita, para terminar, seus dois lugares preferidos de Paris. Nesta aspecto também estamos em sintonia. Ela gosta do restaurante L’Atelier de Joël Robuchon e da praça Furstemberg. No meu Roteiros para Paris em quatro dias levo os leitores até esta praça, um cantinho mágico da cidade.