Quando publicamos artigos sobre as praias francesas, às vezes recebemos comentários sobre a beleza da nossa orla brasileira. Estes comentários contém o seguinte pressuposto: ninguém atravessa o Atlântico para conhecer as praias européias.

Concordo que a maioria dos viajantes não está à procura de areia, sol, cerveja e água de coco, sobretudo porque aqui a areia é rara, a cerveja quente e a água de coco produto importado e caro.

Mas discordo do argumento em si. Conhecer as praias francesas é conhecer um aspecto da cultura local. Conhecer as praias da Normandia e da Bretanha, por exemplo, é entrar em contato com um universo marítimo completamente diferente do nosso. Durante uma boa parte do verão, as temperaturas não são muito elevadas, a água é fria e o pequeno suéter faz parte do cotidiano. Neste caso a praia é vivida com botas de borracha de cano alto e a principal atividade das crianças – e dos adultos – é procurar conchas e frutos do mar na maré baixa.

Tenho muitos amigos que adoram este verão normand e breton oposto do verão tropical. Eles não gostam do calor tórrido, apreciam ar fresco e cheio de iodo, gostam de esportes marítimos e de longas caminhadas pelas trilhas à beira mar.

Outros franceses, ao contrário, escolhem as praias do Mediterrâneo porque estão à procura de sol de verdade, de água mais quentinha, de ambientes mais festivos e cosmopolitas onde a efervescência do social acompanha a do champanhe. Este grupo aprecia riqueza, conforto contemporâneo e as belas praias onde os vinhos geladinhos são servidos ao lado da chaise longue.

Paloma Beach, Saint Jean Cap Ferrat

Paloma Beach, Saint Jean Cap Ferrat

E assim chegamos no objeto deste artigo, a praia Paloma Beach.

Quando topo com listas como “as mais bonitas praias da França” encontro sempre as mesmas: Palombaggia na Córsega, Pampelonne em Saint Tropez… e Paloma Beach de Saint Jean de Cap Ferrat.

Para quem não conhece ainda, Saint Jean de Cap Ferrat é um dos mais bonitos e elegantes endereços da Côte e Paloma Beach sua mais bonita praia. Trata-se de uma praia emblemática e há anos frequentada por nomes conhecidos como Matisse, Cocteau, Churchill, Roger Moore, Sean Connery, Elton John…

Ela é semi privada, quer dizer, um restaurante ocupa, com suas espreguiçadeiras, a parte central da pequena praia mas as duas bandas laterais são públicas. Ela não tem areia e sim galets (pedrinhas redondas) e está ao lado de uma bela mata. Da praia, temos uma vista privilegiada da baía de Beaulieu sur Mer, das mansões da região e das falésias de Eze.

Paloma Beach

Paloma Beach

O acesso só é possível pelo mar ou à pé por uma trilha que se chama Sentier de la pointe Saint Hospice. Aí seu segredo. Como ela não é visível e de difícil acesso, a praia é um endereço quase confidencial (se você você estiver ancorado na baía, telefone para o restaurante e eles te buscam com o zodiac).

Paloma Beach

Paloma Beach

A astúcia é reservar uma mesa ou mesa+chaise longue ou somente chaise longue do restaurante e passar o dia na praia. Mas atenção, a Côte d’Azur é entupida em julho e agosto com todos os inconvenientes conhecidos. Em junho ou em setembro, aí sim, a Côte se torna um lugar elegante.

Paloma Beach

Paloma Beach

O restaurante Paloma Beach funciona de maio até final de setembro. Ele oferece também a possibilidade de praticar jet-ski, ski náutico, kayak…

Outra dica, se você pegar as trilhas da beira mar encontrará praias mínimas e vazias. Basta instalar sua toalha e curtir o que a região oferece de melhor.

Clique aqui para ver o site do Paloma Beach e fazer suas reservas.

 

MinhaViagemParis1Acesse nosso novo site Minha Viagem a Paris para descobrir e reservar passeios incríveis em Paris e no interior da França.