Por Fernanda Hinke, idealizadora dos passeios de bike e do tour de street art do Meia Noite em Paris

A arte urbana, como o próprio nome diz, é a manifestação artística nos espaços públicos. Dentro deste conceito, existem diversas ramificações:  a street-art, as instalações, a performance, a música etc.

Eu, particularmente, tenho uma paixão especial pela street art, que se caracteriza pelo grafite, pela pixação ou outras técnicas como mosaicos e projeções, por exemplo. Mas, independente da técnica usada, o muro é sempre a moldura, e a cidade, a galeria. Estas obras podem ser ilegais ou institucionalizadas.
Colagem do artista Fred Le Chevalier, nas ruas de Paris.

Colagem do artista Fred Le Chevalier, nas ruas de Paris. Foto de K-SDH no Flickr

A street art em Paris é peculiar, só aqueles que têm um olhar aguçado podem perceber. Comparada a algumas outras capitais do mundo como São Paulo, por exemplo, Paris tem pouca poluição visual, não precisando assim de grandes murais para captar o olhar do espectador. A street art em Paris é pequena, discreta.

Um bom exemplo são os mosaicos do artista parisiense Space Invaders, que estão espalhados por toda a cidade, sobretudo nas esquinas, a 3 ou 4 metros acima do nível da calçada.

Street art nas esquinas de Paris.

Street art nas esquinas de Paris. Foto de Pixishared, no Flickr

E como os artistas escolhem os muros que serão o suporte de suas obras?

O primeiro aspecto a ser levado em consideração é técnica da obra, que pode variar entre o stencil, free hand, colagem, mosaico etc.

Depois, a mensagem da obra, que pode ser poética, política, estética etc.

E o terceiro ponto  é a escolha do muro, ou seja, da moldura. A obra não deve agredir o entorno, criando assim uma sinergia entre o local, a obra e o espectador.

Recentemente, eu trouxe minha amiga artista e conterrânea (de Bauru) para um projeto de street art em Paris e tive a oportunidade única de “emoldurar” as suas obras.

Viviane Mendes é artista plástica, e há tempos vinha com um desejo de não depender de galerias para mostrar sua obra. Foi assim que tive a ideia de a convidar para trazer sua obra para as ruas de Paris.

Viviane trouxe suas obras e eu me responsabilizei pelas escolhas dos muros. No vídeo abaixo, mostramos a artista em ação, colando 20 de seus gatos coloridos pelas ruas de Paris.

Muita gente tende a não aceitar a street-art e o grafite ilegal por considerá-los vandalismo. E, de fato, muitas vezes é mesmo. Mas ainda assim existe um porquê desse “vandalismo”, que é assunto para outro artigo ou um tour comigo pelas ruas de Belleville, em Paris.

Para fazer um tour de street art em Paris com a Fernanda Hinke, clique aqui e acesse o site Meia Noite em Paris.

Leia também: