A leitora Viviane Gomes pegou o avião da Tam em Paris para São Paulo. Chegando em casa, percebeu que suas malas tinham sido abertas e vários objetos de valor roubados.

Entrou em contato com a Tam e ficou sabendo que a empresa somente aceita reclamações se o cliente descobrir o roubo antes de deixar o aeroporto e preencher, no ato, um documento chamado RIB.

Viviane não sabe se o roubo ocorreu no aeroporto de Paris ou no de São Paulo. Imagino que a empresa também não saiba. Já comentei com vocês a ocorrência de casos como este nos aeroportos de Paris. Periodicamente a polícia francesa prende um grupo de ladrões de malas, para logo em seguida aparecer um outro. Não sei como isto se passa no Brasil.

Acho que, se o roubo é bem feito, não percebemos nada no desembarque. E não me imagino, cansada, abrir as malas diante da esteira, em pleno aeroporto, para verificar o conteúdo.

A solução, de acordo com Viviane, seria aquele serviço que envolve a mala com um plástico transparente.

Alguém tem outra sugestão?