Paris é uma cidade perigosa? Posso voltar sozinha para o hotel tarde da noite? O metrô é perigoso? Quais são as regiões perigosas de Paris?

Uma parte das leitoras e dos leitores do blog se inquietam com a questão da segurança em Paris. Mesmo os franceses se inquietam porque ontem, em um jantar na casa de amigos, a discussão girou em torno da segurança nos transportes em comum. Como o anfitrião tem uma cave de vinhos excelente, tínhamos todos deixado o carro na garagem. Amigos deveriam pegar o RER, o trem que vai até outras cidades perto de Paris, e nós deveríamos pegar o metrô. A questão era RER, metrô ou táxi.

Paris não é uma cidade violenta, sobretudo para nós brasileiros acostumados com índices de violência absurdos. Um dos aspectos que mais prezo da minha vivência parisiense é sair de casa sem olhar para os lados, andar nas ruas sem olhar para trás, caminhar com minha máquina fotográfica nas mãos, não ter medo o tempo todo.

Mas os índices de violência aqui já foram mais baixos. A abolição de fronteiras entre países europeus, a imigração, os conflitos internos entre grupos de origem étnicas diferentes, o turismo, tantos fatores que explicam o aumento da violência nestes últimos anos.

Como se caracteriza esta violência?

A violência pesada que resulta em agressões físicas, algumas vezes mortais, está situada nos bairros mais pobres de Paris e se manifesta entre grupos de jovens. Ela se manifesta também nos trens da periferia, nas horas onde os vagões estão vazios.

O turista está fora destes circuitos e acho pouco provável encontrar um brasileiro passeando nas áreas difíceis do arrondissement número 19. É neste bairro que se encontra o La Villette e vou continuar indicando-o como um excelente passeio porque não tem perigo. O perigo é localizado em certas áreas do setor.

O turista deve se precaver contra delitos menores como roubo de bolsas e sacolas. De acordo com um amigo, engenheiro da empresa encarregado do metrô parisiense, a linha que registra o maior número de ocorrências de roubos é a de número 2. Ela atravessa todo o norte de Paris, onde se situam os bairros mais pobres e problemáticos. Dado interessante, é às 3 horas da tarde, hora de pouco movimento pois os parisienses estão trabalhando, que estas agressões acontecem.

Mas não se esqueçam que estes casos são raros e que o número de agressões a turistas é baixo comparado ao número de turistas que circulam pela cidade todos os dias.

Mas como ausência total de perigo só no paraíso perdido e olhe lá, dizem que Eva era perigosa, o que os turistas devem evitar?

O que os turistas devem evitar?

Uma turista sozinha deve evitar os vagões vazios do metrô e as estações com longos corredores tarde da noite. Neste caso, volte para casa de táxi. É o que faço quando saio desacompanhada. Se estou acompanhada volto normalmente de metrô sem problemas.

De todas as maneiras, sozinha ou acompanhada uma astúcia seria entrar no primeiro vagão, logo atrás da cabine do condutor. A presença deste agente da SNCF é uma garantia de segurança. Qualquer problema ele está logo ali e sabe como reagir.

Mas não se esqueçam, repito mais uma vez, Paris não é uma cidade violenta. Fiquem tranquilos.

Leia também: Questões sobre segurança em Paris.


França Entre Amigos oferece transfers, traslados e passeios privativos de carro com motorista brasileiro por Paris e pela França.

No site Booking você reserva hotéis com segurança e tranquilidade e tem a possibilidade de cancelamento sem cobrança de taxas.

Pesquise horários de trens e preços de passagens e compre a sua com antecedência para garantir os melhores preços.

No site Seguros Promo você compara os preços de várias empresas seguradoras e contrata online o seu seguro de viagem.

Obtenha o orçamento das principais locadoras de carro na França e faça sua reserva para garantir seu carro na Rentcars.

Veja as melhores ofertas de passagens aéreas da Air France.