Geadas castigam vinhedos franceses

Geadas castigam vinhedos franceses

Por Ana Carolina Dani, sommelière das Caves Legrands e  parceira do Conexão Paris.

Técnica para proteger os vinhedos das baixas temperaturas

Técnica para proteger os vinhedos das baixas temperaturas

Os vinhedos da Bourgogne e parte do Vale do Loire foram gravemente atingidos pelas geadas ocorridas nos últimos dias na região, já consideradas as mais severas das últimas décadas. Ainda é difícl prever os danos para a safra 2016, mas um primeiro balanço indicaria uma amplitude geográfica inédita, pois mesmos zonas ou parcelas que ficam tradicionalmente ao abrigo das geadas foram atingidas.

Na Bourgogne, os vinhedos  de Chablis ao Norte,  passando pelas célebres Côte de Nuist et Côte de Beaune, até  as vinícolas da região do Mâconnais, au sul, sofreram com as temperaturas que alcançaram  picos entre 4 e 6 graus negativos na madrugada do dia 26 para o dia 27 de abril. Na região do Loire, os municípios de Bourgueil, Saint-Nicolas de Bourgueil e Chinon já estimam as perdas a 50 % da colheita para a safra de 2016.

Técnica para proteger os vinhedos das baixas temperaturas

Técnica para proteger os vinhedos das baixas temperaturas

As chamadas geadas de primavera são um dos fenômenos climáticos mais temidos pelos produtores franceses. Normalmente, acontecem durante a brotação, período crucial para o desenvolvimento da vinha, quando os brotos e as primeiras folhas aparecem. Esse ano, não foram tanto as temperaturas negativas que maltraram as vinhas na Bourgogne, mas um conjunto de condições desfavoráveis que amplificaram o efeito das geadas, entre elas a forte humidade do ar causada pela chuva e neve dos dias anteriores e a ausência de vento. Alguns produtores falam nas piores geadas desde 1981.

Em um comunicado divulgado à imprensa, o Escritório Interprofissional dos Vinhos de Bourgogne (BIVB) se diz « muito preocupado » com a situação. Estima-se que as regiões menos habituadas e adaptadas às geadas, como os vinhedos da Côte de Nuits, Côte de Beuane, Côte Chalonnaise e Mâcon (ou seja, toda a Bourgogne, excepto Chablis) serão os mais atingidos.

O gelo protege de temperaturas negativas

O gelo protege de temperaturas negativas

Já Chablis, devido à localização mais ao norte, é uma região mais habituada às geadas. Mesmo assim,  somente 1 mil hectares dos 5 .500 hectares de vinhas da região, estão preparados para as geadas. Normalmente, os produtores dão prioridade para proteger os vinhedos classificados em 1ers e Grands Crus.

Aquecimento das vinhas

Aquecimento das vinhas

Entre as técnicas utilizadas para minimizar os efeitos das geadas estão a utilização de sistemas de aquecimento ao ar livre. Os produtores acendem velas de parafina entre as videiras ou espécies de aquecedores com fogo,  alimentados com oléo. Outra opção é borrifar água sobre as vinhas. Essa solução pode parecer paradoxal, mas a água borrifada sobre os brotos congela e forma uma espécie de casulo que protege a planta, mantendo a temperatura à zero grau, quando a temperatura ambiente é negativa.

  • Acesse nosso novo site Minha Viagem a Paris e conheça as degustações de vinho oferecidas pela Cave Legrand. Descubra também outros passeios incríveis em Paris e no interior da França.
  • Leitores do Conexão Paris têm atendimento personalizado na Cave Legrand com a sommelière brasileira Ana Carolina Dani. Veja aqui.

Leia os outros artigos da Ana Carolina:

 


Vai para Paris? Reserve sua passagem no site oficial da Air France - o melhor preço para mais de 900 destinos em todo o mundo.
O conteúdo deste post foi decidido pela equipe editorial do Conexão Paris, tendo como critério a relevância do assunto para nossos leitores, não havendo nenhum vínculo comercial com qualquer empresa ou serviço citado no texto. Não recebemos qualquer tipo de remuneração pela escrita e publicação deste texto. Conheça a política de remuneração do Conexão Paris.
Seja o primeiro a dar um pitaco
Deixe seu pitaco

Um endereço na Borgonha

Visitando o vinhedo Romanée Conti, na Borgonha, descobri uma rua chamada Rua do Tempo Perdido.

Leia mais →

Champanhe e Borgonha na lista Unesco

A Unesco acabou de inscrever a Borgonha e a Champanhe na sua lista de Patrimônio Mundial da Humanidade. O organismo internacional reconhece o valor universal único destas duas regiões e de seus vinhos. Mas não se trata do reconhecimento destas duas áreas na sua totalidade e sim das casas, das caves, dos túneis, e dos […]

Leia mais →

A cidade de Chablis

Por Marina Giuberti, sommelière responsável pelos cursos de vinhos do Conexão Paris A cidadezinha de Chablis fica a apenas 180km de distância de Paris. Devido à esta proximidade, ela é um fornecedor de longa data de vinhos ao mercado parisiense, o que beneficiou seu renome mundial. Apesar de possuir apenas 2.600 habitantes, a cidade muda de dimensão quando […]

Leia mais →

TripAdvisor e o melhor restaurante da France

TripAdvisor apresentou o resultado dos prêmios Traveler’s Choice dos melhores restaurantes do mundo.   Para a França, o melhor restaurante foi a Maison Lameloise, um três estrelas Michelin situado na Borgonha. No nível mundial, este restaurante ficou em terceiro lugar. Para estabelecer estas listas, TripAdvisor analisou, durante 12 meses, os comentários dos 280 milhões de […]

Leia mais →
18 posts