Quem é Kohei Nawa, exposto na pirâmide do Louvre. 

A monumental escultura colocada na entrada da pirâmide possui mais de 10 metros de altura e é revestida por folhas de ouro. Sua forma foi inspirada nos carros utilizados nos desfiles religiosos orientais. A obra, denominada Trono (Throne, Trône), é do japonês Kohei Nawa, artista desconhecido do público mas queridinho nos meios do mercado de arte internacional.

Kohei Nawa

Kohei Nawa sob a pirâmide do Louvre

Aos 43 anos, Nawa é um dos representantes de um grupo de artistas que luta contra a visão limitada da cultura nipônica. Seu universo está longe dos mangas para adolescentes, das gravuras de Hokusai e do lado bonitinho da cultura pop japonesa.

Com sua imensa obra, resultado de modelização 3D e técnicas tradicionais, Nawa interroga a relação francesa com o poder. Para o autor, a pirâmide do Louvre é uma manifestação de um símbolo que, no Egito antigo, encarnava a autoridade. Ele reforça a representação piramidal do poder com seu trono flutuando na belíssima luminosidade do espaço.

Para o autor Throne reivindica também a encarnação de um outro poder. Suspensa na entrada do Louvre, a obra quer chamar a atenção para o choque entre passado e presente, entre poder tradicional e poder gerado pelo desenvolvimento da informática e da inteligência artificial.

De acordo com o jornalista Vincent Jolly, durante seis meses, no coração de Paris, três representações do poder viverão imbricadas: a pirâmide egípcia, o Throno de Kowei Nawa e o Museu do Louvre.

A obra pode ser admirada do exterior, mas vale a pena entrar para vê-la de perto e sob todos os ângulos. Se não quiser ou puder visitar o museu, aproveite o acesso grátis à pirâmide para admirá-la.

Tony Gragg sob a pirâmide em 2011

A pirâmide exibe regularmente obras monumentais de artistas internacionais. Tanto o espaço interno como suas fachadas externas se tornaram um espaço museal gratuito, aberto aos olhares de todos (leia aqui).

Michelangelo Pistoletto, 2013

Através das obras expostas na pirâmide, o Louvre provoca o confronto passado\presente, arte contemporânea e seu acervo.

Escultura de Wim Delvoye, 2012.

Exposição de Kowei Nawa, pirâmide do Louvre, até dia 14 de janeiro 2019. Aberto todos os dias menos nas terças. Fechado nos feriados de 1 janeiro, 1 de maio, 8 de maio e 25 dezembro.


Clique aqui para comprar seu ingresso com acesso prioritário para o Museu do Louvre.

No site Minha Viagem Paris você encontra o guia O Essencial do Museu do Louvre que traz um roteiro de cerca de 3 horas passando por 18 obras obrigatórias do museu. Outra opção é a visita guiada com guia brasileira que começa nas ruínas do Louvre Medieval e termina no apartamento de Napoleão III, já no século XIX.