Como seria a bagagem de cabine ideal? Quais as características essenciais? Quais marcas que se aproximam da perfeição?

Eu não achei ainda uma bagagem de cabine que fosse perfeita. Uma mala tamanho regulamentar que reunisse um conjunto de característica essenciais.

. Que fosse sólida.

. Leve.

. Que tivesse rodinhas que funcionam, quer dizer, 4 rodinhas com movimento perfeito 360 graus.

. Que tivesse além da alça vertical, outra também na lateral facilitando assim o movimento para colocá-la no espaço acima das poltronas.

. Que tivesse compartimentos internos inteligentes, ou seja, com função de proteção, separação. E que os compartimentos fossem móveis: ao chegarmos no hotel bastaria colocá-los nas prateleiras

. Que tivesse pelo menos um compartimento externo, fácil acesso, para passagem e leitura.

. Que tivesse sistema de segurança TSA.

Na minha procura, eliminei as bagagens de alto luxo de marcas como Vuitton, Dior, Hermès, Goyard, Chanel, Prada, Gucci…Elas são todas maravilhosas, sem dúvida alguma, mas fora do objetivo estabelecido. Estas malas me (nos) seduzem por outras razões. Além do design e da elegância, a função delas seria chatouiller, como dizem os franceses, meu (nosso) ego.

Meu objetivo é outro, somente a busca de uma bagagem que se adapte às minhas necessidades.

Procurei muito e cheguei à conclusão que na fabricação de uma bagagem, a introdução de uma qualidade destrói outra.

Uma bagagem tipo mochila é super leve e comporta grande volume de roupas e objetos. Todo o espaço interno e livre. Mas carregá-la não é fácil e no final da viagem já decidi comprar uma valise com rodinhas.

A bagabem 2 rodas é confortável, mas a de 4 rodas é bem mais prática, sobretudo quando passamos nos estreitos corredores do TGV. Mas a introdução das duas rodinhas suplementares aumenta o peso da mala e diminue espaço interno.

A mala rígida protege melhor roupas e objetos, mas é mais pesada. Além do mais, se não tiver mais espaço no alto impossível colocá-la abaixo da poltrona da frente.

Como a mala ideal não existe – se souberem, por favor deixem a dica nos comentários – cheguei à conclusão que deveria estabelecer prioridades. Minha primeira prioridade é não carregar peso, preciso de rodinhas. A segunda, é a proteção dos objetos, melhor escolher malas rígidas.

Züca Pro Travel

Algumas opções

Infelizmente minhas opções eliminam o modelo Züca Pro Travel que, na minha opinião, possui a melhor organização interna. Chegando no hotel basta abrí-la e colocar todos os seus compartimentos ou no armário ou no banheiro.

Victorinox

Apesar de não ser rígido, a marca suiça Victorinox perpetua a tradição da qualidade dos produtos fabricados neste país. Esta mala cabine é uma das raras que possui compartimentos externos inteligentes. Ela possui também outra qualidade, ser extensível. Ideal para viagens de trem com normas bem mais flexíveis que viagens aéreas. A mala acima pesa somente 2.6 kg.

Minhas opções me conduzem às marcar como Tumi, Rimowa, Samsonite…

Tumi Bagage à main Continental

A Tumi é ótima, 4 rodinhas e possui uma alça vertical muito confortável. Ela é em alumínio e pesa 5.31 kg, não sendo assim a mais leve das bagagens rígidas.

Rimowa

Mas a Rimowa Ultralight Cabin Multiwhee é melhor ainda. Ela pesa apenas 2 kg e é bem mais barata que a Tumi. A bagagem possui o sistema TSA integrado e uma alça telescópica que pode ser regulada à vontade. O serviço de consertos da Rimowa é excelente. A marca possui um atelier em Paris, no 73 rua Faubourg Saint Honoré.

Nós colocamos links para todas as marcas e modelos citados. Assim poderão consultar os preços e a lista de características de cada uma delas.


Leia  também:


Como seria a bagagem de cabine idealNa nossa agência online Minha Viagem Paris você vai descobrir e reservar passeios incríveis em Paris e no interior da França.