Quarto de Van Gogh

Quarto de Van Gogh

O quarto de Vincent van Gogh, sua última moradia, é o lugar onde ele morreu em consequência de um tiro direcionado ao seu peito mas que acabou atingido outros órgãos. Como descreve muito bem o historiador Wouter van der Veen, no seu livro Van Gogh dans la chambre de Vincent, os 1.300.000 visitantes que aí entraram, desde 1993, não são turistas mas peregrinos. “Van Gogh é o modelo absoluto para aqueles que se sentem em desacordo com os poderes, as regras, os sistemas e as injustiças. Ele mostrou que a revolta é um formidável motor de criatividade.”

Auberge Ravoux

Auberge Ravoux

O quarto se encontra no sotão do Auberge Ravoux, hoje um restaurante, na cidade de Auvers-sur-Oise.

Entrada do Auberge Ravoux

Entrada do Auberge Ravoux

Antes de entrarmos no quarto, somos acolhidos de maneira profissional.

Aubergue Ravoux, painéis

Aubergue Ravoux, painéis

Entramos pela lateral do Auberge, compramos os tickets, passamos por um corredor com painéis que relatam  os últimos dois meses do pintor na cidade. Em seguida subimos até a livraria e loja do monumento. Lá esperamos nossa vez, somente pequenos grupos visitam o sotão. Quando chega a hora, a guia faz uma pequena apresentação e em seguida nos abre a porta da escada de acesso ao último andar.

o quarto de van gogh

Quarto de Van Gogh

A partir daí deixamos para trás o momento presente e ingressamos imediatamente no final de um século 19 miserável. Escada de madeira tosca, muros velhos, rachados, pintura descascada.

No sotão encontramos dois quartinhos. O de Vincent está vazio, sem mobílias. O segundo está mobiliado com réplicas dos originais. No verdadeiro quarto de Van Gogh não tem nada para ver e é exatamente por isso que revivemos seus últimos dois meses com intensidade. Nada para mobiliar nossos pensamentos e emoções.

Do quartinho passamos à uma sala de cinema para assistirmos um vídeo. Quase não fiquei para vê-lo com medo de perturbar o momento. Mas ele é bem feito e sensível. Com um fundo sonoro perfeitamente adequado às imagens, vemos passar os quadros que Van Gogh pintou em Auvers-sur-Oise com trechos das cartas escritas pelo artista.

Além de restaurante, o Auberge Ravoux hoje é o Institut Van Gogh e um Patrimônio Histórico. De uma certa forma, ele croncretiza o sonho do pintor que escreveu no dia 10 de junho de 1890: “Um dia ou outro, eu espero encontrar um jeito de organizar uma exposição, somente minha, em um café.”

Caso você queira fazer um bate e volta até a cidade de Auvers sur Oise e visitar o quarto onde Van Gogh passou seus últimos dias (leia o outro artigo da série aqui) envie um email para a Heloisa no vendas@minhaviagemparis.com.br


No site Minha Viagem Paris você encontra um passeio privativo guiado que segue os passos de Van Gogh pela Provence e visita os locais pintados pelo artista em Arles e Saint-Rémy. Clique aqui para saber mais.