A amante estrangulada de Cézanne

A amante estrangulada de Cézanne

A exposição sobre o Marquês de Sade, atualmente no Museu Orsay, merece algumas considerações.

A primeira, sobre o personagem o escritor francês chamado Donatien Alphonse François de Sade, falecido em 1814. Todos reconhecem que seus livros influenciaram de uma maneira radical a história da literatura e das artes.

Sua obra não pode se esgotar no substantivo sadismo – Sade, antropônimo+ismo – definido simplesmente como o prazer de ver ou fazer sofrer algúem. A obra do Marquês liberou o nosso olhar dos pressupostos religiosos, ideológicos, morais e sociais. E questionou as questões do belo, do feio, do sublime.

O Monge e a jovem, Auguste Rodin

O Monge e a jovem, Auguste Rodin

Segundo, eu felicito a coragem e a maturidade dos franceses. Esta exposição não poderia ser montada em países que possuem uma política cultural repressiva. Me indago mesmo, se a América do Norte suportaria as imagens exibidas no Musée d’Orsay. A exposição possui um lado subversivo, nos permitindo uma nova leitura de obras já conhecidas.

No site do museu, na página da exposição que se chama Sade. Attaquer le Soleil, um aviso diz: “o caráter violento de certas obras e de certos documentos é suscetível de chocar a sensibilidade dos visitantes.”

O rapto de Helena, Giambattista Piazzetta

O rapto de Helena, Giambattista Piazzetta

Isto dito, a exposição nos mostra como os textos de Sade provocaram uma revolução da representação dos temas como ferocidade e singularidade do desejo, do extremo, do bizarro e do monstruoso, através das obras de Goya, Ingres, Rodin, Picasso, Géricault, Duchamp, Man Ray, Delacroix…

exposição Sade

Texto de Friedrich Nietzsche

“Todo mal é justificado a partir do momento que um Deus o aceita (concorda ou tira prazer)”

E como Sade influenciou Baudelaire, Flaubert, Breton, Bataille, Apollinaire, Nietzsche

A introdução da exposição mostra a presença do pensamento de Sade na sétima arte, com telas exibindo os filmes L’Âge d’or de Bunuel, 120 dias de Sodome de Pasolini, Império dos Sentidos de Nagisa Oshima, O Corpo e o chicote de Maria Bava.

Museu Orsay, até o dia 25 de janeiro 2015.

Ingressos e visita guiada

Para evitar filas compre com antecedência seu ingresso para o Museu Orsay, há uma entrada prioritária para quem já tem o ingresso (clique aqui).

Se você quiser fazer uma visita guiada ao Orsay com a guia-conferencista brasileira Zilda Figueiredo clique aqui para mais informações.

Leia também:


orsayNa nossa agência online Minha Viagem Paris você vai descobrir e reservar passeios incríveis em Paris e no interior da França.