O castelo de Versalhes é destino obrigatório para os brasileiros que visitam Paris.  Mas, por trás de toda a beleza, o mais interessante é a história de todos que aí moraram, fatos diversos misturando glória, guerra, amor, infidelidade, egoísmo e humor. Para descobrir essa história e conseguir de fato entender toda a dimensão do palácio, nada melhor do que fazer uma visita guiada pelo interior do castelo de Versalhes.

Por Fernanda Hinke, criadora dos passeios de bike do Meia Noite em Paris.

Durante visita guiada, aprendemos que:

  • O Palácio de Versalhes foi construído em 1661 por Luís XIV como um ato de auto glorificação. Quando coroado rei, aos cinco anos, Luis XIV morava em Paris e Versalhes era um vilarejo onde a família real caçava.
  • Luis XIV nunca se esqueceu de um fato da sua infância: quando, obrigado pela população revoltada a deixar o Palais Royal, sua antiga moradia, foi obrigado a passar a noite no frio, tendo como cama o chão gelado. Traumatizado,  se tornou um rei desconfiado e não quis mais morar em Paris. E assim a capital do reino se mudou para Versailles.
Os jardins do castelo de Versalhes, obra do paisagista Le Nôtre.

Os jardins do castelo de Versalhes, obra do paisagista Le Nôtre. Foto de NetCFrance, no Flickr. 

  • Longe do povo parisiense, Versalhes era a moradia de mais de 2 mil cortesãos que viviam em apartamentos de 60m2 dentro das dependências do castelo.
  • Para distrair a nobreza,  o rei organizava festas e peças de teatro várias vezes por semana. Sem contar o grande baile que acontecia todos os sábados.
  • A hierarquia da ocupação do castelo era assim: no centro, os aposentos do rei, da rainha, a famosa galeria dos espelhos e as salas frequentadas pelos cortesãos. Na ala sul, os aposentos dos mais chegados ao rei, incluindo suas “prediletas”. Na ala norte, todos os outros.
4Fachada do castelo de Versalhes.

Fachada do castelo de Versalhes. Foto de Guillaume Cattiaux, no Flickr.

Logo na entrada, visitamos a capela palatina, última obra de Luis XIV. O rei, já em idade avançada e casado com Madame de Maintenon que era muito católica, encomendou um afresco no teto com a santíssima trindade. No centro, seu auto retrato com o Espírito Santo iluminado.

A Capela Real de Versalhes

A Capela Real de Versalhes

Além de apreciarmos a beleza das obras, dos afrescos no teto, das esculturas, dos quadros, das tapeçarias, vamos descobrindo detalhes ocultos que passariam despercebidos como, por exemplo, os “L”s de Luís inter-cruzados nas pinturas.

Cada sala cumpria uma função na vida da corte: sala de comer, sala de jogar, sala de beber, sala de música.

14828795675_183c6365f8_z

Quatro do rei. Foto de Jenis Darvis>/a>, no Flickr.

Durante o percurso, a guia Zildinha nos relata também a história de sucessão dos três reis que ali viveram. Durante cento e sete anos Versailles foi moradia real, antes de se transformar em museu. Imaginem os detalhes sórdidos ou cômicos envolvendo a privacidade da corte, como por exemplo, a moda das perucas, lançada por Luís XIV para esconder sua cabeça careca, resultado de uma doença contraída quando tinha somente vinte anos.

O ponto alto da visita é a bela Galeria dos Espelhos onde acontecia o Grande Baile. Os dezessete grandes espelhos ali foram estrategicamente colocados para refletir o jardim. E as pinturas do teto relatam as vitórias da guerra e simbolizam a grandeza do reino.

A Galeria dos Espelhos, dentro do castelo.

A Galeria dos Espelhos, dentro do castelo. Foto de Georges de Velkeneer, no Flickr

Visitamos os aposento das três rainhas e Zildinha nos contou a historia da Maria Antonieta: nascida na Áustria, ela chegou a Versailles aos 14 anos sem falar francês. Tornou-se rainha aos 19 e foi guilhotinada aos 39. Ela ficou conhecida por ser erudita, gastar muito e adorar moda. E se enganou ao achar que o povo francês a adorava.

Para finalizar a visita, Zildinha nos sugere um passeio pelo estonteante jardim composto por 850 hectares, 50 fontes e 10.000 jatos de água.

53830294_e6aae17860_z

Os jardins de Versailles. Foto de Xuemin Guan, no Flickr

Embalado pelas histórias da guia, deixe sua imaginação fluir e faça uma volta ao passado.

Faça sua reserva e leia mais sobre a visita guiada ao Castelo de Versalhes.