por Rodrigo Lavalle

A internet é um vasto mundo e a gente acaba esbarrando em pessoas que não esbarria no dito mundo real. A última pessoa que eu tive o prazer de encontrar virtualmente foi o Dênis Pagani, autor do delicioso site sobre perfumes e perfumaria 1nariz.

Na mesma semana fui até a loja da Regina e, em meio a conversas, gargalhadas e experimentações, ela e a Maria me contaram quais foram os perfumes mais vendidos no ano de 2013 para os brasileiros na sua loja.

Pedi então ao Dênis que descrevesse os perfumes da lista da Regina do seu jeito peculiar e repleto de analogias gastrônomicas e inusitadas. Eu mesmo nunca senti o cheiro da maioria desses perfumes mas, pelas descrições afiadas do Dênis, consigo saber se vou amar ou odiar cada um deles.

Regina disse – e a lista comprova – que nós brasileiros amamos os perfumes da Chanel. Às vezes o estoque da loja acaba e a empresa se recusa a repô-lo dizendo que muitos perfumes da marca já foram vendidos naquele mês. Outra curiosidade é a forte presença na lista do perfume 212 da Carolina Herrera que, de acordo com a Regina, é desconhecido e ignorado pelos franceses.

PERFUMES FEMININOS:

Perfume

212 Carolina Herrera

5°) 212 – Carolina Herrera

Um gordo acorde de almíscar e sândalo em busca do efeito conhecido como “perfume de mulher rica”: talcado, com textura de nuvem, ligeiramente cremoso, colorido por uma combinação de flores.

4°) Chance – Chanel

Frutas e flores e açúcar num efeito desmiolado como aquele prazer adolescente de comer um pote inteiro de sorvete vendo tv. Coco Mademoiselle (mais a frente na lista) é o Chance depois da graduação, já consegue bater papo, trocar idéias.

3°) N°5 – Chanel

Um coração clássico, suntuoso, de rosa, jasmim e ylang ylang feito moderno por um coquetel de aldeídos – ingrediente que tem um cheiro metálico, brilhante, um flash no nariz. Quem achar antiquado pode ser feliz com o ‘N°5 Eau Première’, um véu delicado que cita o original com imensa elegância.

2°) J’adore – Dior

A marca da perfumista Calice Becker aparece logo na saída: um floral-chá com brilho, radiante, com foco no pêssego e jasmim, que muda do avesso e encerra num fim de tarde, com um âmbar leve e acento floral, que fica rente a pele. Quem usa J’adore desde o lançamento reclama das reformulações.

1°) Coco Mademoiselle – Chanel

A abertura é com uma textura deliciosamente borbulhante, efeito do patchouli num tratamento moderno e limpo, sem a parte terrosa, úmida, com cheiro de fundo de armário. Depois entra numa reta geléia de frutas cor de rosa com flores.

PERFUMES MASCULINOS:

Perfume

1 Million de Paco Rabanne

5°) Azzaro – Azzaro

O clássico fougère, que é um acorde centrado na lavanda para fantasiar sobre a vegetação rasteira do bosque, de sensação herbal, levemente mentolada e um pouco pontuda, com os cantos arredondado pelo anis. Perfume de peito cabeludo.

4°) Terre d’Hermès

Abre com a ponta cítrica do incenso misturado com a textura granulada da pimenta do reino. No coração, o tema da grapefruit que o perfumista Jean-Claude Ellena tanto gosta, é a deixa para o final amadeirado de vetiver. Impressão adulta e refinada, frescor e madeira sem cair em clichê.

3°) 212 – Carolina Herrera

Uma combinação de verdes para apontar no caminho de um frescor sem muita expressão. O problema é que termina num decepcionante almíscar de sabão em pó – é sério, é a mesma matéria prima. Valorize seu dinheiro e prefira o Bleu de Chanel.

2°) Bleu – Chanel

Eis um gênero vergando sobre o próprio peso, todo perfume lançado para homens vai nesta direção do frescor aromático com acento de madeira e especiaria. Esse é o mais bem acabado da safra. Menta doce e grapefruit na saída, o levemente picante do patchouli vai crescendo durante o uso, reforçado por noz moscada e gengibre.

1°) 1 Million – Paco Rabanne

Uma tortinha de maçã com toques de cravo e canela levada às últimas consequências por madeiras sintéticas com a mesma difusão do plutônio enriquecido. Veja o nome e o frasco: perfume-ostentação, talvez seja o equivalente olfativo da BMW branca.

Le Parfum de l’Opera, 3 rue Helder, 75009 , metrô linhas 3, 7 e 8; estação Opéra