Os parisienses não dizem Centre Georges Pompidou e sim BeaubourgVamos ao Beaubourg?

O Beaubourg é um espaço polivalente composto por um museu com uma das maiores coleções de arte moderna e contemporânea do mundo; uma biblioteca que foi uma das primeiras bibliotecas abertas à todos, sem nenhuma forma de seleção para a consulta do acervo e espaços dedicados à musica e ao cinema. O Centre George Pompidou sempre foi considerado como um dos monumentos mais democráticos de Paris. E ainda abriga ótimas exposições temporárias, o que nos faz visitá-lo mais de uma vez por ano.

Este museu foi uma revolução na área da arquitetura. Projetado por Renzo Piano, Richard Rogers e Gianfranco Franchini, ele tem uma concepção original do espaço. Todos os canos e tubos são externos e visíveis. Os condutos de água são verdes, os da climatização são azuis, os elétricos amarelos e os elevadores e o sistema anti fogo são vermelhos. O resultado é um espaço interno inteiramente livre e aproveitado da melhor forma possível. O prédio deste museu foi durante anos objeto de grandes polêmicas envolvendo arquitetos, políticos e parisienses.

Centre George Pompidou, o Beaubourg

O térreo do Beaubourg e os tubos aparentes

Vale a pena subir até o quinto andar nem que seja para apreciar a linda vista lá de cima. A subida é pelas famosas escadas rolantes.

Escadas rolantes do Beaubourg

Escadas rolantes do Beaubourg

No alto, você pode tomar uma taça de champanhe no restaurante Georges. Apesar do serviço horroroso do lugar, a vista é tão linda que vale a pena.

Vista do restaurante Georges, no Beaubourg

Vista do restaurante Georges, no Beaubourg

Antes de entrar no Beaubourg preste atenção nos arredores do museu. A grande esplanada na frente da entrada principal se tornou uma espécie de grande circo popular: músicos tocando seus instrumentos, atores em representações solitárias, pintores propondo retratos e os turistas curiosos se divertindo.

Turistas e artistas na esplanada do Beaubourg

Turistas e artistas na esplanada do Beaubourg

Em seguida observem a pequena praça, ao lado direito do museu. Ela se chama Place Stravinsky e foi construida em 1983. Um projeto do artista Jean Tinguely para receber as esculturas e os móbiles de outro artista, Niki de Saint Phalle. Os móbiles são em ferro e as esculturas em resina plástica e se chamam as Nanas. Nanas em francês quer dizer as garotas. Eu acho esta praça absolutamente genial. Tomara que vocês tenham sorte e cheguem quando todos os móbiles estejam em movimento. É lindo.

Place Stravinsky

Os móbiles da Place Stravinsky

Por último, na frente da fachada principal e mais à esquerda está a reprodução do atelier do grande artista Brancusi. Este escultor viveu e trabalhou em Paris no seu atelier situado no bairro número 15. Antes de morrer ele doou ao Estado francês este atelier e suas obras, com a condição que ele fosse reproduzido em um museu.  Cláusula que eu sempre achei pertinente porque  é interessante ver a obra inserida no espaço e no ambiente  em que foi criada.

Vale a pena ver o site do Beubourg. São 59.000 obras online e inúmeros vídeos de conferências e entrevistas com artistas. www.centrepompidou.fr

endereço: Place Georges Pompidou (rue Saint Martin) 75004 Paris – metrô Rambuteau e Hotel de Ville.

Obs.: Este post foi escrito originalmente em 2007. Republicamos agora com informações e foto atualizadas e complementares.