Foto: Ricardo Freire

Desde 2007 só desencontros. Mas desta vez eu estava na sua rota e o encontro foi excelente. No programa, aperitivo à la maison com muita conversa regada à champagne e jantar em bar/restaurante dos mais secretos.

Pedimos uma terrine maison (aprovada).

E andouille (totalmente desaprovado pela maioria), um embutido feito com intestino, fígado e estômago de porco. Somente Ricardo e Alby, o único francês do grupo, encararam a coisa.

Em seguida um prato leve muito bem temperado com mozzarela de búfala, tomate vermelho e amarelo e presunto ibérico.

Depois costeletas de porco ibérico e cebolas assadas.

O sucesso deste bar/restaurante repousa em uma cozinha honesta, uma carta de vinhos excelente e preços razoáveis. Além do charme do lugar. Coinstot Vino se esconde em uma antiga galeria situada na frente do Museu de Cera Grévin. Esta galeria é fantástica porque possui outros restaurantes excelentes. Por exemplo, o Passage 53  (onde almocei recentemente com a crítica gastronômica Constance Escobar), o Racines e o simpático L’Arbre à Cannelle.

Foi um prazer conhecer o grande Ricardo Freire.

No Coinstot Vino as entradas e tapas custam em torno de 7 e 10 euros e os pratos principais entre 15 e 17 euros. O vinho, ótimo, 23 euros a garrafa. A casa vende vinhos em taças à partir de 4 euros.

Coinstot Vino 26 Passage de Panorama 75002 Paris. Metrô Grand Boulevards.