A França decidiu tranformar a refeição gastronômica em fato cultural. E conseguiu. O “Repas Gastronomique Français” entrou para a lista de práticas culturais da Unesco.

Não se trata da receita do pato com laranja ou da mousse de chocolate. Estamos falando aqui de uma forma de sociabilidade que envolve  uma mesa,  bons pratos associados a bons vinhos. De uma sociabilidade que envolve regras e hábitos.

A toalha, a posição dos talheres e taças, a qualidade da porcelana, a iluminação.

A sucessão de pratos: a entrada,

o prato principal,

os queijos

e a sobremesa.

O champagne que acompanha o aperitivo e as ostras.

O vinho tinto para o pato com molho de laranja e queijos.

No final um café e um álcool.

O objetivo é chamar a atenção das novas gerações que se afastam desta festa gastronômica e integrar ao sistema educacional a transmissão destas informações.

O fato foi considerado de várias maneiras pela imprensa francesa.

Gosto do humor do crítico gastronômico François Simon que pergunta na sua coluna no Le Figaro “quando o mal humor do francês será transformado em patrimônio da humanidade?”.

Fotos: jantar informal entre vizinhos. Outubro 2010.