Moro neste bairro e segui de perto as tranformações da rue Scribe (leiam aqui o primeiro artigo sobre esta rua). Acompanhei a instalação  das novas lojas e a transformação do Hotel Scribe que passou de um tradicional e empoeirado hotel a um dos poucos cinco estrelas de Paris.


Na minha reportagem sobre esta rua não poderia deixar de visitar este hotel que festeja, este ano, seus 150 anos.  Ele ocupa um belo prédio na esquina da rue Scribe e do boulevard des Capucines. A localização é perfeita: no centro da cidade entre a Opera Garnier, a Madeleine, a Galeria Lafayette. Perto do Louvre, do Palais Royal, da Concorde, do Jardin des Tuileries e da Place Vendôme.

Ele foi inteiramente reformado e decorado pelo famoso embaixador do gosto francês, Jacques Grange.

No térreo, eu gosto particularmente do seu Salão de Chá. Elegante espaço aberto das 12h às 20.30h onde costumo pedir uma salada ou um carpaccio (€18), um chá (€7) e pâtisseries (€8) ou simplesmente uma taça de vinho (€9).

 

O Restaurante Café Lumières é comandado pelo chefe Sébastien Crison. Além da carta tradicional, sugiro olharem o menu que muda de acordo com os produtos encontrados no mercado. Provei agora em junho, o “menu tomate” composto por uma entrada  (sopa de tomate gelada, espuma de queijo de cabra aromatizada com alecrim (€17)), prato principal (filé de atum fresco grelhado, carpaccio de tomates verdes (€26)), sobremesa (millefeuille e caramelo à la tomate (€8)).

Os quartos e suites seguem a linha geral do hotel: elegantes.

Para informações complementares, reservas online e os melhores preços garantidos, cliquem aqui: www.booking.com

Hotel Scribe – 1 rue Scribe 75009 Paris.