As fotos, são de Francisco Assis Andrade. O relatório foi enviado por Francisco e Antonica.

A partir de Paris, vale a pena dar uma esticada de duas noites a Praga. Mesmo que se saia de lá com o desejo de permanecer mais uns dias. Mas isso já é um bom motivo para justificar um retorno. Praga permanece praticamente intacta com suas belas catedrais góticas e palácios barrocos bem conservados.

O vôo Paris/Praga dura 01.50h. No aeroporto de Praga procurem o balcão de informação turística, o Czech Tourism, para pegarem folhetos, mapas, planos do metrô e pedirem um táxi credenciado. Evitem pegar táxi na rua porque são mais caros. Os credenciados são de cor amarela.

A moeda é a coroa checa (kc) e o euro não é ainda moeda corrente (1 real = 10 czk e 1 euro = 25 czk). Troquem pouco no aeroporto porque o câmbio não é favorável. Deixem para trocar no centro da cidade. Mas evitem as casas de câmbio de cor amarela pois possuem cotação desfavorável também.
 
 
A cidade é pequena e é possível percorrer a pé todos os pontos turísticos importantes. Os principais monumentos são: O Castelo de Praga, a Viela Dourada, rua estreita e ladeada por casas do século XVI, a Catedral São Vito, o Antigo Palácio Real, a Basílica São Jorge, a Praça Central, o centro de Praga, ponto de partida para conhecer a cidade, o Relógio Astronômico, onde, a cada hora, um boneco representando a morte aciona o carrilhão por onde desfilam os 12 apóstolos seguindo São Pedro, a ponte Charles Karluv Most, símbolo de Praga. Vale a pena subir nas torres da ponte.
 
 
 
Vale a pena visitar, também, o bairro judeu e suas seis mais antigas sinagogas da Europa e não percam um passeio de barco de onde se pode ver o skyline da cidade, com sua massa volumétrica pesada e bela. As passagens são compradas nos ancoradouros.
Ficamos hospedados no Hotel U Jezulatka 10, Prague 01, 11800. Pequeno, perto da Ponte Carlos, aconchegante, com quarto amplo e confortável. A reserva foi feita pelo site Booking.com e tudo correu bem.
Veja todas as fotos de Francisco clicando aqui.