Vamos a Chartres conhecer a catedral, e claro, vamos também para visitar a Maison do Picassiètte. Este nome é um  jogo de palavras entre pique assiètte, o que literalmente quer dizer “rouba pratos”, expressão empregada para designar aqueles que visitam os amigos exatamente na hora das refeições e a palavra pic, ou seja, um objeto pontudo utilizado para quebrar pedras.

No início do século XX, Raymond Isidore, homem simples e sem cultura, construiu para si e sua família uma casa minúscula. Para decorá-la utilizou pedaços de cerâmica coloridas, como pratos, xícaras e bules quebrados. Durante mais de 30 anos Raymond decorou o interior da casa, em seguida o exterior e mais tarde todo o terreno.

Assim surgiu a Maison do Picassiètte, mais um exemplo do que chamamos de arquitetura ingênua.

Raymond morreu e em 1982 e a casa foi tombada pelo patrimônio histórico. Ela não se encontra nas imediações da catedral e fica longe para ir a pé. A solução é pegar um táxi, para aqueles que chegam a Chatres de trem.

Maison Picassiètte – 22 rue du Repos 28000 Chartres. Para maiores informações e horários de funcionamento, olhem o site abaixo.

http://www.ville-chartres.fr/site/site.php?rubr=71&srubr=80&ssrubr=336