Opera Bastille

Opera Bastille

A ópera Bastille, situada na praça da Bastille em Paris, foi inaugurada em 1989. Até então Paris possuía só uma ópera – Opéra Garnier – insuficiente diante da demanda cultural da capital francesa. Foi o presidente Mitterand que decidiu a construção de uma segunda ópera. O projeto vencedor foi do arquiteto Carlos Ott. A Ópera Bastille possui uma acústica excelente e um dispositivo de tradução simultânea projetado em uma tela colocada ao lado do palco. Este dispositivo é essencial para a compreensão dos espetáculos. Como para a Ópera Garnier, você pode visitá-la. E se quiser, faça uma visita virtual clicando aqui.

Sala de espetáculo da Opera Bastille

Sala de espetáculo da Opera Bastille. Foto Sérgio T. Gonçalves

Os parisienses apreciam a qualidade acústica mas não gostam do projeto nem da decoração interior da Ópera Bastille. A consideram fria, com uma desagradável assimetria na fachada. Durante anos de convívio com os franceses, escutei muitas vezes o seguinte comentário: nesta sala, me sinto como se escutasse música no meu banheiro.

A ópera foi construída no lugar de uma antiga estação ferroviária e o viaduto, que conduzia os trens até a antiga estação, existe ainda. Ele foi restaurado e hoje acolhe, nas lojas do térreo, todos os grandes nomes do artesanato francês. E a parte superior, onde se encontravam os trilhos, foi transformada em jardim suspenso, a famosa Promenade Plantée de Paris.

A histórica praça da Bastille foi o palco de momentos importantes da vida francesa. Mas a coitada é muito feia e a construção da nova ópera não melhorou em nada a situação. De acordo com um amigo muito crítico, esta praça mereceria um Barão Haussmann. Este último,  na segunda metade do século XIX, destruiu uma parte da Paris medieval para construir a cidade que hoje nós conhecemos.

Opéra Bastille: place de la Bastille, 75012 Paris – metrô Bastille.