Concertos de Chopin no Jardim Luxembourg

O jardim mais romântico de Paris acolhe o mais romântico de compositores.

A partir de 26 de junho até dia 24 de julho, todos os domingos, às 17h, músicos poloneses darão concertos gratuidos no kiosque de música do jardim Luxembourg. Eles interpretarão o grande compositor Frédéric Chopin.

Concertos organizados pelo Instituto Polonês de Paris, a cidade de Varsóvia e o Senado francês.

Domingo 26 junho 2011 à 17h, Iwona Tober, soprano, Leszek Świdziński, ténor, Paweł Skrzypek, piano

domingo 3 julho 2011 à 17h, Julia Kociuban, piano, Helène Tysman, piano

domingo 10 juillet 2011 à 17h, Paweł Wakarecy, piano

Domingo17 juillet 2011 à 17h, Mateusz Kołakowski, piano jazz

Domingo 24 juillet 2011 à 17h, Karol Radziwonowicz, piano, Quintette I Solisti di Varsavia

Publicidade

O conteúdo deste post foi decidido pela equipe editorial do Conexão Paris, tendo como critério a relevância do assunto para nossos leitores, não havendo nenhum vínculo comercial com qualquer empresa ou serviço citado no texto. Não recebemos qualquer tipo de remuneração pela escrita e publicação deste texto. Conheça a política de remuneração do Conexão Paris.

Veja Também

Elyx, herói parisiense

Comédia musical: O Baile dos Vampiros

Cinema ao ar livre: verão em Paris

15 pitacos, participe desta conversa

  1. Andrea disse:

    Lina,

    Em agosto vai ter algum concerto ou algo parecido nos parques ?

    Grata

    Andrea

  2. Marcela disse:

    Lina, muito obrigada!!! Com certeza irei passear no Marais!

  3. Jacqueline disse:

    Haide
    Já tive essa experiência desagradável em Buenos Aires. Vupt! E lá se foram cartões de crédito, identidade, máquina fotográfica. Lá, contornei com outro cartão internacional, carteira de habilitação e a compra de nova máquina. Mas, em Paris, onde estarei em setembro/outubro, acho que ficaria desesperada. O que mais temo mesmo é pela máquina fotográfica, da qual não se pode tirar cópias, não tem como descarregar as fotos diariamente em viagem, e não se tem de volta as fotos já tiradas. Imagine isso no último dia de viagem. Em Buenos Aires, retornei aos lugares e tentei retomar algumas das mais de 300 fotos perdidas. Aliás, onde poderia em Paris passar as fotos para cd? Isso me deixaria mais tranquila. E quanto custa um serviço desses? Aí, acho que serão mais de 3.000 fotos!

  4. haide disse:

    Então, tudo é muito bonito, Paris à noite tb.é muito bonita, mas os batedores de carteira estão aos montes em todos os lugares turísticos. Isso faz perder o encanto, pois o trabalho que dá depois é muito grande. Foi decepcionante a minha estada lá.

  5. Nivea disse:

    Eu fui no último domingo, uma pena que o ventinho frio não ajudava muito. Mas, é um bom programa e recomendo chegar uns 15 minutos antes pra sentar bem pertinho do coreto.

  6. Jane disse:

    Programa gostoso.Realmente imperdível.

  7. Beth disse:

    Lindo programa!

  8. Marcela disse:

    Olá! Eu vou estar em Paris num domingo em agosto e gostaria de dicas do que fazer neste dia, já que a maioria das coisas está fechada… Já conheço a maior parte dos museus e vou aproveitar para ir ao Rodin neste dia, mas nãos ei mais o que pdoeria fazer… as lojinhas no Marais ficam abertas?

  9. Rita Fonseca disse:

    Obrigada Lina, por mais uma dica maravilhosa e imperdível.

  10. Rita Fonseca disse:

    Maravilhoso!!!!!!! Eu terei a felicidade de estar lá. Irei com certeza nos dias 10 e 17. Realmente é o programa perfeito no lugar perfeito.

  11. Marcia disse:

    Lugar perfeito, compositores incomparáveis….. Só faltava eu estar aí para apreciar um dos momentos únicos na Cidade Luz!!!

  12. eymard disse:

    Programa perfeito; lugar perfeito; musica dos Deuses. Imperdível para quem estiver em Paris nestas datas…

  13. Janaina disse:

    Além de toda sua musicalidade indiscutível, Chopin representa a união entre a França e a Polônia. O músico teve vasta experiência em seu país de origem, sendo sua primeira aparição em público em 24 de fevereiro de 1818, num concerto organizado pela princesa Zofia Zamoyska, e só em 1831 ele decide mudar-se para Paris, no momento dos ataques russos a seu país. Mesmo em meio a viagens e temporadas em diferentes locais, Paris tornou-se seu lar, cidade pela qual se apaixonou sem dificuldades, não tendo nem mesmo o desafio linguístico de Aprender francês na França, língua que seu pai lhe havia ensinado, assim como a alemã. Foi também o local onde, em 17 de outubro de 1849, ele veio a falecer.

Participe e deixe seu comentário

Seu comentário pode demorar alguns minutos para aparecer no blog.