A Ilha de Ré é uma das ilhas francesas consideradas como destino privilegiado para as férias de verão. Conheça mais sobre ela e como visitá-la.

Acho que quase todos os franceses, mesmo aqueles que não conhecem a ilha, já ouviram falar na “síndrome ilha de Ré”: agricultores pobres, que de um dia para o outro acordam ricos por causa da alta fenomenal do valor dos terrenos, são obrigados a vender as terras para pagarem os impostos e com o resto do dinheiro partem para viver em regiões mais baratas. Foi assim que a ilha se tornou polêmica nacional no final dos anos 1990. Hoje Ré é conhecida como uma ilha que conseguiu preservar parte do seu patrimônio e do seu ecossistema graças ao controle desta especulação imobiliária.

Île de Ré. thierry Ilansades no Flickr

Île de Ré. thierry Ilansades no Flickr

Assim como a Córsega, ela é uma das ilhas francesas consideradas como destino privilegiado para as férias de verão.

Ilha de Ré, Abadia . thierry Ilansades no Flickr

Ilha de Ré, Abadia de Châteliers. thierry Ilansades no Flickr

Um pouco de história

Ré é uma pequena ilha de 85 km², ocupada desde a idade média quando monges aí se instalaram e construíram a Abadia de Châteliers. Foram eles que plantaram os primeiros vinhedos e foram eles também que começaram a extração do sal do mar. Mais tarde a ilha viveu momentos de tensão entre católicos e protestantes, entre franceses e ingleses. Nesta época foi construído o forte de Saint Martin e ele fazia parte do sistema de defesa da ilha.

As ruínas da abadia e o forte – bem preservado – fazem parte dos principais monumentos de Ré.

Ponte de lÎle de Ré. thierry Ilansades no Flickr

Ponte de lÎle de Ré. thierry Ilansades no Flickr

Situação geográfica

A ilha, que se encontra no Atlântico perto de La Rochelle, é ligada ao continente pela Ponte de l’Île de Ré, de 3 quilômetros. O clima da ilha é agradável, graças ao Gulf Stream. O inverno não é muito frio e o verão não é muito quente. Ela é bem ensolarada e chove sobretudo no inverno e no outono. Primavera e verão são os momentos ideais para visitá-la.

A distância entre L’Île de Ré e Bordeaux é de 2h20 de carro, 3h15 da região do Perigord e 4h do Mont Saint Michel.

Ilha de Ré e seus pássaros. thierry Ilansades no Flickr

Ilha de Ré e seus pássaros. thierry Ilansades no Flickr

Apesar de pequena ela possui paisagens diversas, todas interessantes. E, importante, Ré é um dos refúgios para os pássaros migratórios.

Ilha de Ré, ilha dos bikers. thierry Ilansades no Flickr

Ilha de Ré, ilha dos bikers. thierry Ilansades no Flickr

Como conhecer

. ela deve ser conhecida by bike com seus 110 km de ciclovias e um terreno praticamente plano. Todos usam a bicicleta como esporte, para fazer compras, para passear. Durante o verão, os centros das pequenas cidades estão quase todos fechados à circulação de carros. A bike é ideal para descobrir a ilha no seu ritmo e captar suas inúmeras paisagens: cidades, praias, campos, florestas, monumentos, ruinas, salinas…

. ou à pé: ela possui mais de 14 circuitos que atravessam cidades, margeiam as praias, entram nas florestas, passam pelas salinas. Uns circuitos são mais selvagens do que os outros.

. descobrir a ilha e seu entorno de barco é uma outra possibilidade. Dos pequenos portos de Saint Martin e Rivedoux, vedettes fazem circuitos durante o dia. Eles param aos pés das Tours de La Rochelle, ponto de partida do passeio para conhecer as muralhas e o porto. Elas se aproximam também do ilha Aix, selvagem e preservada, acessível somente pelo mar, e passam perto do Forte Boyard, uma construção histórica.

Ilha de Ré e seus parques de ostras. thierry Ilansades no Flickr

Ilha de Ré e seus parques de ostras. thierry Ilansades no Flickr

Produtos de Ré

. Ré é famosa pelas suas ostras. Na maré baixa você poderá ver “os parques de ostras” em torno da ilha e durante seus passeios cruzará os vendedores de barricas de ostras.

Île de Ré, salinas. Erwan Deverre no Flickr

Île de Ré, salinas. Erwan Deverre no Flickr

. a ilha é famosa também pelo seu sal. As salinas são hiper fotogênicas e marcam a identidade do local.

. Ré possui 650 hectares de vinhedos. Seu Rosé des Dunes já foi premiado e é altamente indicado para acompanhar as ostras.

Ilha de Ré, feiras. BenoitD1981 no Flickr

Ilha de Ré, feiras. BenoitD1981 no Flickr

. os produtos e o artesanato da ilha, como em todas as regiões francesas, são encontrados nas feiras de Ré. Elas representam um ponto de encontro dos habitués e uma forma, para os turistas, de viver um momento genuinamente local.

Ilha de Ré. tjierry Ilansades no Flickr

Ilha de Ré. tjierry Ilansades no Flickr

Como chegar à Ilha de Ré

Saindo de Paris temos quatro opções, de carro, de trem, ônibus ou de avião.

. De trem. Em 3h30 fazemos centro de Paris/centro de La Rochelle – a cidade mais proxima da ilha –  e na mesma estação pegamos o ônibus local para Ilha de Ré. Os preços variam de acordo com o mês, o dia da semana e a hora. E se comprar sua passagem com antecedência – clique aqui – consegue preços mais baratos ainda.

. De avião. Paris/La Rochelle e em seguida de carro ou ônibus até Ilha de Ré. A viagem de avião dura 4h55, mas fique de olho nas escalas. Pela Air France, você pode comprar a passagem direto do Brasil para La Rochelle, fazendo uma parada grátis em Paris (na ida ou na volta). Veja aqui as melhores ofertas da Air France.

. De carro. Passando por Orléans, Tours. Belo passeio no Vale do Loire. Obtenha o orçamento das principais locadoras de carro na França aqui.

. De ônibus. Esta é a opção mais barata – preços em torno de 40 euros – e a mais longa, 13h40 de trajeto até La Rochelle, com uma parada na Gare de Lyon. Consulte valores e faça a compra da passagem pelo site da empresa de ônibus OuiBus (clique aqui).


MinhaViagemParis1
Acesse o site Minha Viagem Paris para descobrir e reservar passeios incríveis em Paris e no interior da França.