Ela já foi chamada de Disneyland para adultos e está sendo considerada o melhor destino para as atuais férias de verão. Estamos falando da Cité du Vin, localizada na cidade de Bordeaux, às margens do rio Garonne.

La Cité du Vin (foto: ©Anaka - XTU architects retirada do Flickr do muses)

La Cité du Vin (foto: ©Anaka – XTU architects retirada do Flickr do museu)

Mais de 20 anos se passaram desde que o então prefeito de Bordeaux, Alain Juppé, teve a ideia de criar um museu dedicado ao vinho. Seu sonho se concretizou no último dia 1° de junho quando a Cité du Vin foi inaugurada pelo presidente François Hollande após 8 anos de trabalhos (entre projeto e construção) e um custo de 81 milhões de euros (18 milhões acima do orçamento inicial).

Apesar de ter sido descrito com o maior museu do vinho do mundo, o local se descreve como um “equipamento cultural único onde a alma do vinho se expressa através de uma abordagem envolvente e sensorial”. Seu objetivo é mostrar o vinho de forma diferente, através do mundo e das épocas e em todas as culturas e civilizações. Um espaço temático, didático e interativo que busca envolver e entreter (o segredo do sucesso para os espaços culturais na atualidade) o visitante e não somente tratá-lo como um observador passivo.

O prédio

O edifício foi projetado por Anouk Legendre e Nicolas Desmazières do escritório de arquitetura parisiense XTU, que disseram querer criar um lugar cheio de “símbolos e referências” ao vinho. Sua forma geral se assemelha as curvas e voltas que o vinho faz ao ser despejado em uma taça.

27714089241_528ff825a8_z

La Cité du Vin (foto: ©Anaka – XTU architects retirada do Flickr do museu)

Anouk conta que no início o edifício era “quadrado” mas que teve uma revelação depois de tomar um Pomerol 2009 – segundo ela um vinho “redondo e sem costuras” – e resolveu mudar o projeto. 

Comparações ao Guggenheim de Bilbao foram feitas (o próprio Juppé se referia o prédio como “meu Guggenheim”), não pela semelhança física, mas pelo estilo “arquitetura espetáculo” e seu uso como chamariz de visitantes. Porém, diferente de Bilbao, Bordeaux já é uma cidade conhecida mundialmente e visitada pelos amantes do vinho e da França. A Cité du Vin funciona como um atrativo a mais e um resumo daquilo que a região tem a oferecer: seus vinhos.

O edifício tem 8 andares (mais um subsolo), dos quais 4 são dedicados aos escritórios administrativos, e oferece várias áreas que serão utilizadas por empresas. Os principais espaços são:

  • No subsolo está localizada a cave do bar à tapas “Latitude 20”. Ela possui 14.000 garrafas de 800 referências de vinho (200 franceses e 600 do resto do mundo) de 80 países diferentes. Aqui temos 15 referências de vinhos brasileiros. O nome, Latitude 20, é uma homenagem aos vinhos do novo mundo, de países como Bali, Índia, Madagascar, Etiópia, Brasil e Taiti que se situam entre as latitudes 20° norte e 20° sul. As regiões vinícolas tradicionais se situam acima da latitude 20° norte.
13584673_1117914814936769_7952759548513817612_o

A cave do bar “Latitude 20” (foto retirada da página Facebook do local)

  • No térreo – de acesso livre – além da bilheteria, ficam o bar à vins “Latitude 20″, aberto durante todo o dia oferecendo tira-gostos e vinhos em taça de vários países; um escritório do Office du Tourisme de Bordeaux e uma concept-store com uma seleção de objetos, livros, edições limitadas, presentes e lembranças relacionados ao mundo do vinho.
13582177_1117914861603431_7303606136955347868_o

O bar à vins “Latitude 20” (foto retirada da página Facebook do local)

13613423_1117914768270107_7676482496030533693_o

A “lojinha” da Cité du Vin. (foto retirada da página Facebook do local)

  • O 2° andar – o coração da Cité du Vin – abrange cerca de 3.000m². Não há coleção permanente e sim um percurso de visita livre – com áudio-guias em 8 idiomas diferentes – através de 19 espaços temáticos e sensoriais que falam sobre a cultura do vinho: Le tour du monde des vignobles; Planètes vin; La table des terroirs; E-Vigne; Les métamorphoses du vin; Portraits de vin; Les vins au fil de l’eau; A bord; La galerie des civilisations; Le mur des tendances; Le buffet des 5 sens; Le banquet des hommes illustres; Bacchus et Vénus; Le vin divin; Boire et déboires; Tout un art de vivre; Tête à tête avec les experts; Bordeaux, une ville, un vignoble e La grande saga de Bordeaux. Esse trajeto dura cerca de 2 horas. Clique aqui para ver uma descrição mais detalhada de cada espaço.
27655569091_18fb1bc33f_z

Etapa do percurso de visita. (foto: ©Anaka – XTU architects retirada do Flickr do museu)

27452054520_bd2d4e8049_z

Etapa do percurso de visita. (foto: ©Anaka – XTU architects retirada do Flickr do museu)

  • O percurso termina no 8° andar, chamado Belvédère, que oferece vista 360° de Bordeaux. Aqui é possível degustar vinhos do mundo inteiro ou então vários tipos de sucos de uva (para as crianças ou aqueles que não bebem álcool). O ingresso para a Cité du Vin inclui a degustação de uma taça de vinho no Belvédère.
13613289_1117914468270137_5969658967979718060_o

O “Belvédère”, no 8° andar. No teto foram fixadas milhares de garrafas. (foto retirada da página Facebook do local)

  • No 7º andar fica o restaurante panorâmico “Le 7”, especializado em produtos locais e com uma carta de vinhos do mundo com mais de 500 referências de 50 países.
13603479_1117914764936774_583188126269314646_o

O restaurante panorâmico no 7° andar. (foto retirada da página Facebook do local)

  • Além de tudo isso, a Cité du Vin promove ainda eventos e espetáculos, exposições temporárias de arte e ateliês que pretendem atrair não somente os turistas mas também a população local de Bordeaux. Todos os dias às 15:00 há uma visita guiada focada na arquitetura do prédio, clique aqui. Para acessar a agenda do local com todas as atividades dia a dia, clique aqui.

La Cité du Vin: 150, 134 Quai de Bacalan, 33300 Bordeaux. Tram linha B, parada “La Cité du Vin”. Ingresso: 20€ (inclui a degustação de uma taça de vinho no Belvédère).

Como ir de Paris até Bordeaux

  • Avião: a viagem de avião dura 1 hora. Veja aqui as melhores ofertas da Air France.
  • Trem: a viagem tem cerca de 3 horas de duração. Compre sua passagem antecipadamente – clique aqui – para garantir os melhores preços.
  • Carro: passando por Orléans, Tours. Belo passeio pela região do Vale do Loire. Obtenha o orçamento das principais locadoras de carro na França aqui.
  • Ônibus: esta costuma ser a opção mais barata, mas também é a mais longa, a viagem tem cerca de 8 horas de duração. Consulte valores e faça a compra da passagem pelo site da empresa de ônibus OuiBus.

Clique aqui e leia todos os nossos artigos sobre a cidade e a região de Bordeaux.


No site Minha Viagem Paris você encontra vários passeios pela região de BordeauxClique aqui para saber mais e fazer sua reserva.