Um dos pontos altos da nossa viagem ao Périgord foi conhecer a Gruta Lascaux. Este é o nosso quinto artigo sobre esta maravilhosa região francesa. Leia os anteriores relatando nosso roteiro clicando aqui.

As pinturas da gruta de Lascaux fascinam o mundo desde sua descoberta, por quatro adolescentes, nos anos 1940.

Henri Breuil, o primeiro cientista a analisar a gruta, a descreveu como a Capela Sistina da pré-história.

O escritor francês George Bataille vai além. Sua proposta é que a humanidade é humana na gruta Lascaux quando surge a arte capaz de comunicar estados da consciência.

Sem dúvida alguma, Lascaux representa as mais belas pinturas rupestres do mundo.

Gruta Lascaux II. N. Aujoulat © MCC-CNP

Gruta Lascaux II. N. Aujoulat © MCC-CNP

De 1948 até 1963 a gruta ficou aberta ao público e atraiu milhões de visitantes. As pinturas sobreviveram 17.000 anos em um ambiente estável e quase estéril. Uma vez aberta ao público, elas ficaram expostas ao gás carbônico resultado da respiração humana e à deterioração. Em 1963 ela foi fechada definitivamente.

Em 1983 foi criado Lascaux II em Montignac, na Dordogne, ao lado da gruta original.

Do que se trata Lascaux II?

De uma réplica de uma parte da gruta Lascaux construída em um bunker de cimento ao lado da verdadeira gruta. Uma maneira encontrada pelo estado francês de preservar os desenhos e mostrar ao mundo um dos mais bonitos patrimônios da humanidade.

Pequeno parêntese, cheguei até lá ciente dos comentários de cientistas e críticos sobre a impossibilidade da reprodução da emoção suscitada pelos desenhos originais. Sobre a impossibilidade da reprodução do impacto que cientistas e jornalistas tiveram ao conhecerem a gruta, sozinhos ou em pequeno grupo, iluminada por velas ou lamparinas.

Entrei com medo da decepção. No final do percurso, estava extremamente emocionada.

Os organizadores limitam o número de visitantes, os grupos são pequenos e raros os comentários. Os guias são preparados para passarem a informação em voz calma e baixa, como se estivéssemos em local sagrado. Todos nós ficamos em silêncio extasiados diante de uma arte perfeita.

Hoje já existe Lascaux III e Lascaux IV ficará pronta em 2016. (nota de atualização: Lascaux IV ficou pronta em dezembro de 2016)

Em Lascaux II os artistas reproduziram não somente os desenhos, utilizando as mesmas técnicas e pigmentos originais, como também o relevo das paredes da gruta com todos os defeitos e pequenos detalhes. Trabalho admirável.

Em Lascaux III – uma exposição itinerante que viaja pelo mundo até 2020 – utiliza a tecnologia de imagens em três dimensões o que permite criar uma cópia da gruta real com extraordinária precisão.

E dizem que Lascaux IV será mais impressionante ainda. Ela ficará pronta em 2016 e está localizada perto de Lascaux II. (nota de atualização: Lascaux IV ficou pronta em dezembro de 2016)

As fotos abaixo foram retiradas do site LascauxCulture.fr.

Gruta Lascaux II - N. Aujoulat © MCC-CNP

Gruta Lascaux II – N. Aujoulat © MCC-CNP

Esta foto mostra a dimensão de uma das passagens da gruta Lascaux II.

Abaixo publicamos algumas fotos das principais figuras desenhas nas paredes e teto da gruta.

Lascaux, sala dos touros. N. Aujoulat © MCC-CNP

Lascaux, sala dos touros.
N. Aujoulat © MCC-CNP

Espaço chamado “sala dos touros” com os mais imponentes desenhos da arte do paleolítico. O conjunto possui 130 figuras sendo 36 representações de animais, 50 sinais geométricos e traços de atividades. Entre os animais se encontram cavalos, vacas, touros, veados. O urso é pouco representado.

Lascaux II - Grand Taureau Noir. N. Aujoulat © MCC-CNP

Lascaux II – Grand Taureau Noir. N. Aujoulat © MCC-CNP

Este desenho é conhecido como “grande touro preto” e é considerado como a obra mais extraordinária da arte parietal. Ele mede 3.71 de largura, 1.93 de altura. A cor escura do desenho contrasta com o fundo claro.

Lascaux II - N. Aujoulat © MCC-CNP

Lascaux II – N. Aujoulat © MCC-CNP

Esta imagem, chamada “quarto touro” é o maior animal do conjunto, medindo 5.6m, da extremidade do chifre até a ponta do cauda. Todos os detalhes anatômicos são representados e a execução da cabeça e remarcável.

Lascaux. La Licorne. N. Aujoulat © MCC-CNP

Lascaux. La Licorne. N. Aujoulat © MCC-CNP

O desenho é chamado  de “licorne” mas representa um animal fantástico que não corresponde a nenhum ser vivo da época.

Informações práticas

Horários de funcionamento:

07/02 até 03/04: 10h- 12h00 et 14h – 17h30

04/04 até 03/07: 09h30 – 18h

04/07 até 31/08: 09h – 19h

01/09 até 01/11: 09h30 – 12h et 14h-18h

02/11 até 31/12: 10h – 12h et 14h – 17h30

Fechado dias 25 de dezembro, 1 de janeiro e nas segundas fora férias escolares.

Compre seu ingresso com antecedência. Do dia 4 de abril até 6 de setembro, a bilheteria está no centro de Montignac, a cidade mais próxima de Lascaux. Ela se encontra no Office du Tourisme da cidade, Place Bertrand de Born.

Horário de funcionamento: 9.30h até 18h e 9h até 19h em julho.

No outros meses a venda de ingressos é feita unicamente na entrada da gruta.

No verão, nos fins de semana e nas férias escolares, existe uma diferença de horário entre a compra do ticket e a visita. Como os grupos são pequenos, às vezes esperamos de 1 a 2 horas para entrar na gruta.

A visita dura 40 minutos para grupo de no máximo 40 pessoas.

Acessem o site oficial da Gruta Lascaux.