por Rodrigo Lavalle

Fondation Jérôme Seydoux-Pathé foi criada em 2006 com o objetivo de conservar e disponibilizar ao público o patrimônio e o acervo cinematográficos da empresa francesa Pathé. Fundada em 1896 por Charles Pathé e seus três irmãos, a Pathé nasceu vendendo aparelhos fonográficos. Logo em seguida começou a rodar filmes e, ao longo de sua história, produziu e distribuiu vários títulos conhecidos da história do cinema: “A Fuga das Galinhas”, “A Moça do Brinco de Pérola”, “Slumdog Millionaire” entre outros.

Sua nova sede, criada pelo arquiteto italiano Renzo Piano e inaugurada em 2014, ocupa o espaço do antigo cinema Le Rodin, assim nomeado em homenagem à Auguste Rodin que esculpiu a fachada do edifício.

fach0

A fachada da Fondation Pathé, esculpida por Rodin (foto: Michel Denancé – Coll. Fondation Jérôme Seydoux-Pathé © 2014 – RPBW)

No seu projeto, Renzo Piano conservou a fachada histórica e concebeu um novo prédio totalmente orgânico e fechado em si mesmo que mal conseguimos perceber da rua. Algo como um tatu gigante de carapaça metálica preso entre os prédios vizinhos. Proposta bem diferente daquela do Centro Pompidou – outro famoso projeto do arquiteto em Paris – que é racional, ortogonal, de presença forte e transparente em todos os sentidos.

FP1

Corte esquemático do prédio da Fondation Pathé, projeto do arquiteto Renzo Piano.

Tomando como base o corte esquemático acima temos:

1 – A entrada/recepção de onde saem os acessos ao edifício principal que fica circundado pelos prédios vizinhos.

anex

Passarela que liga o prédio da entrada ao edfício principal (foto: Michel Denancé – Coll. Fondation Jérôme Seydoux-Pathé © 2014 – RPBW)

2 – A sala de projeção Charles Pathé, com capacidade para 68 pessoas, é dedicada ao cinema mudo. Os filmes exibidos foram na sua maioria produzidos pela Pathé na França e no exterior e variam entre títulos poucos conhecidos e obras-prima da época. O mais bacana é que todas as sessões são acompanhados por um pianista tocando ao vivo in loco, como era o costume na época do cinema mudo! Esses pianistas são estudantes do curso de improvisação de Jean-François Zygel, em parceria com o Conservatório Nacional de Música e Dança de Paris. As sessões acontecem todos os dias da semana às 14:00 e às 16:00. Veja a programação diária aqui.

3 – Espaço para exposições temporárias temáticas que exibem cartazes, fotografias, correspondências, programas e muitos documentos dos acervos da fundação. Veja a programação aqui.

4 – A galeria de aparelhos cinematográficos exibe permanentemente 150 equipamentos de cinema que traçam a história e evolução das câmeras e projetores desde 1896 até os anos 80. Pequenos filmes divertidos, apresentados em tablets, contam a história de alguns desses aparelhos e os mostram em funcionamento.

perm

Galeria de aparelhos cinematográficos (foto: Michel Denancé – Coll. Fondation Jérôme Seydoux-Pathé © 2014 – RPBW)

5 – As reservas de coleções que mantêm arquivos da empresa e de mais de 80 outras que estavam filiadas ao grupo Pathé.

6 – O centro de pesquisa e documentação fica no último andar do prédio sob uma cobertura de vidro. Ele é dedicado à história do cinema e oferece aos pesquisadores, estudantes e público em geral a oportunidade de consulta aos arquivos da Pathé. Há também uma grande biblioteca sobre cinema.

Bibliotheque

A bibioteca no último andar (foto: Michel Denancé – Coll. Fondation Jérôme Seydoux-Pathé © 2014 – RPBW)

A visita à fundação é um programa perfeito para cinéfilos e amantes da arquitetura contemporânea mundial. Todos os sábados às 17:00 há visitas guiadas ao prédio, é preciso se inscrever no email accueil@fondationpathe.com.

Fondation Jérôme Seydoux-Pathé: 73 avenue des Gobelins, 75013. Metrô linhas 5, 6 ou 7; estação Place d’Italie.

Horários da sala de cinema e das exposições: terça a sexta das 13:00 às 19:00 e sábado das 10:00 às 19:00. Preço do ingresso duplo “cinema + exposição”: 6€; ingresso somente para a exposição (depois das 16:30): 3€.

Leia também: