Ele é o mais turístico de todos. Acho mesmo que talvez seja o maior representante dos programas sentiers battus (1). Já tinha vivido a experiência, mas fora de situações puramente turísticas. Uma vez, para festejar o casamento de uma amiga francesa e outra, para um encontro de antigos colegas do liceu do meu marido. Mas, nestas duas vezes os barcos tinham sido privatizados. Pois um dia eu disse a mim mesma que deveria testar o verdadeiro programa, os famosos passeios de barco pelo rio Sena.

O passo mais importante é a escolha do barco. Existem várias companhias,  barcos e mais barcos. Aqueles com holofotes, que iluminam as margens do rio, foram eliminados da minha escolha. Queria ver a cidade com a iluminação própria de cada monumento e de cada ponte. Os franceses são mestres nesta arte. Os horrorosos e poderosos holofotes esmagam a sutileza de uma iluminação planejada com carinho. Por isto escolhi um barco discreto, todo de vidro e com o interior mergulhado em uma penumbra confortável.

A música era agradável e longe de ser vulgar. O jantar foi correto, com coquilles saint jacques de entrada, um peixe como prato principal, queijo, o saint marcellin (que foi artigo recente aqui no blog) e como sobremesa, peras caramelizadas com sorvete de doce de leite. O vinho, correto e farto. Farto até demais.

Mas para falar a verdade, nada disso teve muita importância. Quando o cruzeiro começou, não conseguia desviar minha atenção do espetáculo das pontes e do desfile das margens do Sena.

Após o jantar, noivos (bem franceses), foram convidados a abrirem a pista de dança, seguidos por jovens japoneses, hiper fashions e sorridentes. Um ambiente agradável, com franceses festejando seus casamentos e turistas bem vestidos. No final do passeio, enquanto muitos ainda dançavam e os marinheiros ancoravam o barco aos pés da torre Eiffel, tive a certeza que este programa não tem erro.

Bateaux Parisiens (www.bateauxparisiens.com): Port de la Bourdonnais 75007 Paris.

(1) sentiers battus é uma expressão francesa que quer dizer caminhos convencionais