Como um acessório banal e corriqueiro como o colete amarelo se transformou em símbolo de revolta e força.

Antes

Para circular de carro na França é necessário possuir um colete espalhafatoso amarelo fluo no interior do veículo. Ele deve ser utilizado pelo motorista em caso de parada urgente em áreas de grande circulação. O carro pifou na estrada? Vista imediatamente o colete amarelo para marcar sua presença.
O colete amarelo é usado por outras pessoas e em outras circunstâncias. Por exemplo, pelos ciclistas nas ruas de Paris ou pelos agentes da limpeza pública, os varredores de rua. Em todas as situações, o colete amarelo serve de farol. Sua função é chamar a atenção, dar visibilidade – e proteger – aquele que o veste.

Video, Le Monde

Período transitório

Há algumas semanas atrás, um francês publicou um vídeo sugerindo que todos aqueles que estivessem contra o aumento do preço do combustível colocassem o colete amarelo visível no console do veículo. Como todo mundo possui um, pois é obrigatório, os coletes deixaram os porta luvas dos carros e saíram para a luz do dia.

Colete amarelo, símbolo de uma França desamparada

De acessório a símbolo

Algumas semanas mais tarde o colete amarelo se tornou o gilet jaune mundialmente conhecido. De acessório imposto pela legislação, ele se tornou símbolo de um movimento contra a elite autora das leis. De acessório usado em estado de urgência na faixa lateral da estrada, ele se tornou símbolo daqueles que estão em estado de urgência na faixa lateral da sociedade.
Toda manifestação é um espetáculo visual. Ela pode adquirir várias modalidades, mas em todas elas o objetivo é chamar a atenção. Mesmo as manifestações sóbrias, de tristeza e luto, são um espetáculo. Para que a manifestação se torne espetáculo é necessário reunir pessoas diferentes em torno de um sinal de identidade. Em torno de uma imagem, de um símbolo.
Em poucas semanas, o gilet jaune se tornou símbolo de uma parte da população francesa que está ameaçando o quinquênio do presidente Macron.

A cor amarela

Em 2013, os franceses escolheram o vermelho, como sinal de revolta, o bonnet rouge. Aqui também temos um objeto simples e de cor viva.
Em 2018, é o amarelo que se impõe. Uma proeza. Do ponto de vista histórico ela é associada a fatos negativos. Alguns exemplos. Na época feudal ela foi a cor dos doentes e banidos da sociedade. Judas foi representado várias vezes com roupas amarelas. Mais tarde os nazistas coloriram a estrela de David de amarelo.
Na França, no final de 2018, os gilets jaunes conseguiram transformar o amarelo em símbolo de revolta e de força.