A Galeries Lafayette celebra a criatividade do continente africano.

De hoje até o dia 25 de junho, a Galeries Lafayette Paris Haussmann apresenta o evento Africa Now. Composto por exposições, happenings, lojas efêmeras e conferências, o evento celebra o dinamismo da produção cultural africana atual. Por toda a loja é possível admirar o trabalho de artistas, fotógrafos, estilistas e criadores vindos da África.

Galeries Lafayette celebra a criatividade do continente africano

Africa Now

Principais atrações

  • Sob a belíssima cúpula art nouveau da loja principal está a instalação do artista Joel Andrianomearisoa. Nascido em Madagascar, ele divide seu tempo entre sua cidade natal, Antananarivo, e Paris. A obra – poética e política – exposta na Lafayette fala sobre amor não correspondido, sobre estar dividido entre duas realidades e sobre a África. Mas sem cor e sem imagens, somente palavras brancas impressas sobre panos pretos.
Galeries Lafayette celebra a criatividade do continente africano

A instalação do artista Joel Andrianomearisoa sob a cúpula da Lafayette.

  • Na galeria de arte da Lafayette – a Galerie des Galeries, localizada no 1° andar da loja principal – está em cartaz a exposição “Le Jour Qui Vient”, apresentando trabalhos de 15 artistas africanos da nova geração. Alguns deles mostrados pela 1ª vez na França. Assim como o continente africano, as obras são ecléticas e tratam de temas universais (como o amor e os perigos do plástico), de identidade, origem e tradição. A entrada é gratuita, a exposição vai até o dia 10/06.
  • As vitrines principais voltadas para o boulevard Haussmann foram concebidas em torno das fotos do nigeriano Lakin Ogunbanwo. Antes de se tornar fotógrafo de moda, Lakin havia estudado Direito na Nigéria e na Inglaterra. Suas fotos são inspiradas nas fotos de estúdio feitas na Nigéria nos anos 60 e 70. Os produtos mostrados na vitrine mesclam peças especialmente concebidas por marcas europeias para o evento Africa Now e também peças de estilistas africanos.
Galeries Lafayette celebra a criatividade do continente africano

As vitrines principais da Lafayette foram concebidas em torno das fotos de Lakin Ogunbanwo.

  • Apesar de várias marcas como Maje, Rad, Max Mara, Furla terem feito peças exclusivas para o evento, as mais interessantes e autênticas são as da marca Château Rouge (à venda no 2° andar da Lafayette) e as encontradas na loja efêmera do Marché Noir (3° andar). Château Rouge é uma região parisiense habitada basicamente pelos africanos e seus descendentes e é também uma marca que usa os tradicionais tecidos wax (sobre os quais nós já falamos aqui) para fazer roupas contemporâneas e urbanas (leia nosso artigo aqui). Marché Noir é um brechó e casa de chás localizado no Marais (pertinho da Square du Temple) que, além de peças de 2ª mão, vende também grifes vindas da África e peças de fabricação própria de inspiração africana. Uma dessas grifes é a BazaraPagne, do Togo, cuja coleção atual tem inspiração nos quimonos japoneses é foi feita com os tecidos wax porém pretos e não mega coloridos como estamos acostumados. A Marchê Noir desenvolveu vestidos/túnicas inspirados nas vestes de países do norte da África.
Galeries Lafayette celebra a criatividade do continente africano

Roupas da marca Château Rouge à venda no 2° andar da Lafayette

Galeries Lafayette celebra a criatividade do continente africano

A pop up store do brechó parisiense Marché Noir

Grande Parada

No próximo domingo, dia 02 de abril, durante todo o dia acontecerão eventos relacionados ao Africa Now nos 3 prédios da Lafayette: street food; ateliês; visitas guiadas à exposição “Le Jour Qui Vient” e um super parada às 15:15. Clique aqui para ver todo a programação do dia.

Galeries Lafayette Paris Haussmann: 40 boulevard Haussmann, 75009. Metrô linhas 7 e 9, estação Chausée d’Antin – La Fayette ou linhas 3, 7 e 8, estação Opéra.


As Galeries Lafayette oferecem benefícios exclusivos aos leitores do Conexão Paris, clique aqui para saber mais.

Leia todos os artigos sobre as Galeries Lafayette, clique aqui.