Como é a gravidez na França? Como é o pré-natal? Bianca Bernacchi-Bigeard nos conta como foram suas duas gravidezes na França.

Por Bianca Bernacchi-Bigeard, responsável pelos cursos Paris Beauty Week e Paris Beauty Day

Hoje vou contar um pouquinho sobre a experiência das minhas duas gestações aqui na França.

Primera Gravidez

Sou casada com um francês e nossa primeira filha nasceu em 2012, em Pontoise, cidadezinha que fica a 45km de Paris.

Assim que soube da gravidez, marinheira de primeira viagem, pedi o contato de uma ginecologista amiga da minha sogra. Ela me indicou uma outra ginecologista/obstetra que atendia no hospital público de Pontoise.

Durante toda a gestação fui acompanhada pela mesma médica que fazia todos os exames de rotina. Um deles eu fazia mensalmente, a sorologia de toxoplasmose, pois, eu não era – e ainda não sou – imunizada contra a toxoplasmose. Na época, me lembro que o que mais me incomodava era não poder comer queijo de leite cru, sushi, embutidos, ostras e foie gras nas festas de fim de ano. Um sofrimento!

gravidez na França

Bianca na sua atual gravidez (foto: Fabiana Maruno)

Durante as primeiras consultas, conversava muito com minha médica e perguntava sobre a possibilidade de fazer uma cesariana. Logo de cara, vi que era impossível marcar uma cesárea aqui na França! Não tem essa de escolher. Cesariana, só em caso de necessidade.

No finalzinho da gravidez, fui até mesmo consultar um médico que atendia em uma clínica particular em Paris, e ele me disse: “Madame, aqui não estamos no Brasil, mesmo pagando eu não vou fazer uma cesariana em você, pois não vejo motivos para isso.”

A sage femme

O tempo passou e cheguei à 41 semanas. Eu já tinha ido algumas vezes até a maternidade, preocupada e com algumas contrações, e a sage femme (parteira/enfermeira) dizia: “volta pra casa, você vai saber quando estiver entrando em franco trabalho de parto”. Aqui na França, devemos esperar até 41 semanas + 6 dias.

Fui acompanhada por uma sage femme durante toda a gravidez, ela me orientava, dava aula de pilates para me preparar para o grande dia. Todas as grávidas tem direito a esse serviço, que é reembolsado pelo governo.

O dia “D” chegou, comecei a sentir contrações à noite, meu marido registrava o tempo de cada uma, e quando chegou de 5 em 5 minutos, corremos para o hospital.
Chegando lá, fui recebida por uma sage femme,. Pois é, normalmente o médico só entra em cena quando tem que fazer cesariana. É sempre assim nos hospitais públicos franceses.

Fiquei em trabalho de parto durante 12 horas com somente 6 cm de dilatação, um desespero… 12 horas depois de muito sofrimento, chegou um médico e disse que teria que fazer uma cesárea de emergência.

O atendimento da maternidade pública foi nota mil. Quando fazemos cesariana, costumamos ficar 5 dias na maternidade. Além disso, a sage femme vai em casa durante uma semana para ajudar com os cuidados do recém-nascido.

Segunda gravidez

Estou grávida pela segunda vez.

O tempo passou e não desisti de procurar uma médica que atendesse em um hospital particular. Desde a primeira consulta, expliquei tudo o que aconteceu comigo e ela disse: “vamos ver se você muda de ideia para aceitar parto normal dessa vez”. Mas ela não descartou a possibilidade de uma cesária, e isso me deixou muito mais tranquila.

No sétimo mês de gravidez, fiz minha inscrição na maternidade particular e ganhei a maleta rosa que se chama, “La boite rose”. Uma maleta com amostras de produtos para bebês e dicas importantes para as futuras mamães.

gravidez na França

A “boîte rose” ou caixa rosa

Até no supermercado onde faço compras, o Leclerc, também ganhei uma caixinha com amostrinhas para o neném e me deram uma cartão de fidelidade para ter descontos nos produtos de puericultura.

Estamos aguardando o grande dia, mas dessa vez, é quase certo marcarmos uma cesárea.

Hábitos e costumes

Prefiro não comentar com os franceses sobre essa minha escolha de fazer cesariana, é um assunto meio tabu. Creio que a maioria das francesas são contra cesariana, para elas, esta, seria a última opção mesmo!

Conheço muitas que acham melhor ter parto normal e não amamentar, como se não ter parto normal, fosse um fracasso, uma falha. Pois é, a maioria não amamenta. Mas os homens franceses acordam de madrugada para dar mamadeira ao bebê.

O costume de fazer chá de fraldas é raramente praticado na França. Faz pouco tempo que essa tradição americana (baby shower party) foi introduzida por aqui.

Gravidez em outro país é bem diferente, sobretudo, quando se fala da saudades da comidinha e do apoio da família, do sol, dos enjoos dos perfumes… Ainda bem que isso tudo passa e a gente esquece. O melhor está por vir, que é ser mãe, simples assim!

Alguns produtos

Esses são 2 produtos que estou usando durante a gravidez:

  • filtro solar sem perfume, indispensável para não dar manchas no rosto durante a gestação;
gravidez na França

Filtro solar

  • água micelar para limpeza do rosto
gravidez na França

Água micelar


Clique aqui e leia os outros artigos sobre beleza e bem estar que a Bianca escreveu.


Visite nossa agência online Minha Viagem Paris para descobrir os cursos Paris Beauty Week – cinco dias em Paris inteiramente dedicados aos segredos da beleza à francesa – e Paris Beauty Day – um dia para descobrir as novidades e os segredos do mundo da beleza das parisienses.