Que Paris é a capital do luxo, da sofisticação e da alta gastronomia não resta a menor dúvida. Aqui podemos consumir (em todos os sentidos da palavra) o que de melhor o mundo tem a oferecer. Mas a cidade possui também um lado B underground e sócio-econômico-ecológico vanguardista.

O artigo de hoje fala sobre um desses locais lado B de Paris – o restaurante Freegan Pony – e é mais um reconhecimento de uma iniciativa louvável e muito importante para o futuro da humanidade do que propriamente uma informação ou dica turística.

IMG_1299

A entrada do Freegan Pony, embaixo do Péripherique de Paris.

O Freegan Pony é um restaurante peculiar por vários motivos:

  • Ele ocupa, sem permissão, um galpão abandonado debaixo do Péripherique de Paris (o anel rodoviário que circunda e delimita a cidade);
  • Suas refeições são gratuitas;
  • Os chefs, cozinheiros e ajudantes são voluntários;
  • Sua comida é vegana, ou seja, não há carne de nenhuma espécie ou produto de origem animal ou vindo da exploração dos animais (ovos, leite, mel etc).
  • E o mais importante: toda a comida preparada e servida vem do que não foi vendido (e seria jogado no lixo) no grande mercado Rungis (a Ceasa francesa), que abastece Paris e região.
Cardápio da segunda-feira, dia 04/04.

Cardápio da segunda-feira, dia 04/04.

O local funciona de sexta à segunda. A cada dia, um chef de algum restaurante parisiense (Café Pinson, Aoki, Louvre Bouteille etc) se voluntaria para criar o menu (entrada + prato + sobremesa) a partir dos alimentos recuperados no Rungis e com as sobras de comidas já preparadas no dia anterior. O objetivo é aproveitar tudo e evitar o desperdício, principal bandeira do Freegan Pony.

O espaço é rústico, não por conceito mas por falta de recursos: concreto e tijolos aparentes, penumbra, velas, mobiliário antigo e descombinado. Em princípio achei que o público seria a população carente e os sem-teto da região parisiense, mas a maioria dos frequentadores eram jovens hipsters franceses, alguns casais mais velhos e estrangeiros atraídos pela novidade.

A cozinha aberta do Freegan Pony

A cozinha aberta do Freegan Pony

Freegan Pony é o mais recente empreendimento do squatter (pessoa que vive ilegalmente em imóveis abandonados ou fechados) Aladdin Charni que, entre outros projetos, criou as festas “Poney Club” (de onde vem o nome Freegan Pony), que acontecia em um antigo abatedouro de cavalos (carne que já foi bem popular na França), e a “Pipi Caca”, que acontecia em um banheiro público (também abandonado/fechado) na região dos Grands Boulevards. Aladdin é um “embaixador” do movimento freegan e, nos últimos 7 anos, só tem se alimentado com vegetais, legumes, verduras e frutas descartados pelos supermercados e feiras parisienses no fim de cada dia.

A comida servida no Freegan Pony não vai mudar a sua vida mas é bem feita e honesta – visto as condições e restrições – e a iniciativa merece todo o apoio e divulgação.

IMG_1314

As duas entradas: creme de cogumelo pleurote + kale frito e salada de batatas e lentilha

IMG_1322

Prato principal: nhoque de abóbora, legumes e cogumelo pleurote

IMG_1324

Sobremesa: arroz doce e maça assada

Freegan Poney: Place Auguste Baron (embaixo do Péripherique). Metrô Porte de la Villette, linha 7. Funciona de sexta à segunda a partir das 19:30. É preciso chegar às 19:30 em ponto pois são servidas somente 80 refeições por noite. Verifique a página Facebook do local antes de ir.

MinhaViagemParis1Acesse nosso novo site Minha Viagem a Paris para descobrir e reservar passeios incríveis em Paris e no interior da França.