A exposição sobre Papéis de Parede no Musée des Arts Décoratifs de Paris é uma fonte de inspiração para designers, arquitetos, decoradores e qualquer pessoa preocupada em criar espaços agradáveis de vida.

A coleção de papéis de parede deste museu é a mais importante do mundo e a exposição apresenta 300 peças emblemáticas. Elas ilustram a evolução do papel de parede do século 18 até hoje. O papel não é somente um material que cobre a parede, ele é capaz de criar universos novos e sensações fortes.

Papel de parede, Pierre Frey

Papel de parede, Pierre Frey

 

Papel de parede, ilusão de ótica

Papel de parede, ilusão de ótica

De sala em sala, vemos as paredes se tornarem nobres, artísticas ou transformadas em mundos imaginários.

Papel de parede inspiração Grécia antiga

Papel de parede inspiração Grécia antiga

Papéis de parede trompe-l’œil que datam dos séculos 18 e 19. Os muros eram revestidos com imagens de rendas e tecidos drapeados que criam ilusão de volumes e texturas. A inspiração é a Grécia antiga.

Papel de parede, ambientes históricos

Papel de parede, ambientes históricos

Papéis que ilustram as correntes da história da arte com motivos etruscos, góticos ou orientais. Ou então, desenhos que relatam fatos históricos.

Papel de parede vegetação exótica

Papel de parede vegetação exótica

Papéis que empurram os limites da parede até terras distantes e exóticas.

Papel de parede, Jean

Papel de parede, Jean Charles de Castelbajac

Nos últimos anos o papel de parede deixou de ser uma ornamentação para se tornar obra de arte. Vários editores contribuiram para esta evolução como Piero Fornasetti, Jean Charles de Castelbajac e Christian Lacroix. De simples decor parcial, o papel virou obra central, tornando a residência um teatro.

Papéis parede, Pierre Frey

Papéis parede, Pierre Frey

Na continuidade do tema, a exposição possui uma segunda parte que é uma homenagem ao grande editor francês de papéis de parede Pierre Frey.

Aqui também ficamos admiradas diante da qualidade e criatividade durante os 80 anos da marca.

Papéis parede, Pierre Frey

Papéis parede, Pierre Frey

Nos anos 1950 as coleção Pierre Frey eram exportadas para Suiça, Inglaterra, Bélgica e Estados Unidos. Mais tarde ele criam uma linha de acessórios com porcelanas, almofadas, toalhes, foulards. Hoje a marca integrou a noção de decoração global com tecidos para móveis, luminárias, tapetes, e acessórios. Hoje Pierre Frey é distribuído pelo americano Fonthill Ltd e a marca possui filiais em Dubai, Singapura, Inglaterra, Alemanha, América do Norte.

Papéis de parede, Pierre Frey

Papéis de parede, Pierre Frey

Neste mesmo museu, não perca a exposição da boneca Barbie. Leia aqui.

Musée des Arts Décoratifs, 107 rue de Rivoli 75001 Paris. Aberto das terças até domingo das 11h até 18h. Noturno nas quintas até 21h somente para exposições temporárias. Fechado às segundas, 25 de dezembro, 1 de janeiro e 1 de maio. Exposição até o dia 4 de abril.