Alguns rituais da cultura ocidental possuem várias relatos sobre suas origens. E quase todos eles foram festas pagãs e posteriormente religiosas.

Dia 2 de fevereiro, na França, é dia de comer crepes.

Fevereiro, na Europa, é o mês onde se inicia de novo o cultivo da terra. O mês que provoca o fim do sono hivernal do urso, o mês que nos traz de volta os dias longos e a luz do sol. Nos séculos passados fevereiro era festejado com homens fantasiados de urso, refeições à base de farinha e ovos e, no final, rapto e estupro de jovens mulheres.

A Igreja Católica, para controlar as violências, criou dia 2 de fevereiro a Festa da Apresentação de Cristo no Templo, que corresponde à Festa da Purificação da Virgem Maria (La Chandeleur ou Fête des Chandelles). A purificação fazendo referência ao final da escuridaão do inverno. Às vezes, neste dia, crepes eram distribuídos aos peregrinos que chegavam em Roma.

Outra versão para as crepes no final do inverno seria ligada à um ritual de fecundidade. No dia 2 de fevereiro, com a mão esquerda segurava-se uma moeda de ouro e com a mão direita fazia-se o crepe que era virado de um só golpe. Se o crepe caísse corretamente de volta na frigideira, o ano agrícola seria farto e traria riqueza.


Les inratables de Jean-François Piège: les… par L’EXPRESS

Jean François Piège é um dos chefs parisienses mais renomados. Seu novo restaurante gastronômico acabou de ganhar duas estrelas do Michelin 2016 – de uma só vez – e seu segundo endereço, o pequeno Clover, é um imenso sucesso. Publicamos aqui a sua receita de crepe doce. Ela pode ser servida simplesmente ou em versões sofisticadas. A você de escolher.

Ingredientes:

750 ml de leite, 300 gr de farinha de trigo, 2 ovos grandes, 75 gr de manteiga, 20 gr de óleo, 30 gr de açúcar, uma pitada de sal, raspas de laranja e limão.

Preparação:

Começar misturando os elementos secos: a farinha, o sal e o açúcar. Colocar os ovos um por um, misturando sempre com o fouet. Em seguida incorpore devagar o leite e o óleo, sempre com o fouet. Chegou a hora de colocar a manteiga derretida. Bata mais.

E, por último, raspas de casca de laranja e de limão.

Esquentar a frigideira antiaderente. Colocar uma concha da mistura e deixar dourar. Trocar de lado.

Reservar. Faça assim todas elas.

Para degustar, basta colocar açúcar. A maneira mais simples. As crianças adoram.

Senão, use sua imaginação: geléias, caldas de chocolate, compotas de fruta.

Você pode até fazer uma torta, como sugere o grande chef Piège.

Conselho do chef: usar duas frigideiras. Elas esquentam rápido demais. Enquanto uma está em uso a outra está esfriando um pouco.

Crepe chocolate de Jean Paul Hévin

Crepe chocolate de Jean Paul Hévin

Veja também a receita do grande chef chocolateiro, um dos meus preferidos, Jean Paul Hévin.

Crepe de chocolate de Jean Paul Hévin

Ingredientes para 4 pessoas:

50 gr de fécula de batata
100 gr de farinha de trigo
30 gr de cacau em pó
7 gr de fermento em pó
Uma pitada de sal
1 colher de sopa de açúcar mascavo
2 ovos
250 ml de leite
1 colher de sopa de creme de leite
25 gr de manteiga derretida

Preparação:

A preparação não é difícil. Basta respeitar o tempo de repouso da massa para crepes.
Colocar a fécula de batata dentro de um recipiente, em seguida acrescentar a farinha de trigo e o cacau em pó. Bater bem. Colocar o fermento, o sal e o acúcar mascavo. Misturar de novo.
Em outro recipiente quebrar os ovos e colocar o leite e o creme de leite. Quando a mistura estiver homogênea, coloque a manteiga derretida.
Misturar tudo e deixar repousar à temperatura ambiente durante 1 hora.
Esquentar uma frigideira antiaderente e colocar um pouquinho de manteiga. Atenção, se o cozimento for longo demais, a crepe fica seca. O cozimento deve ser rápido.
Fazer todas as crepes e colocar uma sobre a outra e no final cobrir.
Servir com molho de chocolate ou as famosas geléias de Jean Paul Hévin.

Leia também:

restaurantesConheça o guia do Conexão Paris Restaurante e Outras Delícias, à venda na nossa lojinha. O guia traz uma seleção  dos melhores restaurantes da cidade, além de queijarias, patisseries, caves, bares etc.