Nem só no Brasil a questão do assédio diário sofrido pelas mulheres está na pauta do dia.

Um estudo conduzido pelo “Alto Conselho para a igualdade entre as mulheres e os homens” mostrou que das 600 mulheres dos departamentos Seine-Saint-Denis e Essonne entrevistadas, todas já tinham sido vítimas de algum tipo de assédio no transporte público. Desde os famosos “fiu-fius” e  comentários sobre a aparência e a roupa até contatos e agressões físicas.

“A fronteira entre a paquera e o assédio é simples. É o consentimento”. Com essa frase Pascale Boistard, secretária de Estado encarregada dos direitos das mulheres, explicou a campanha nacional lançada para combater o assédio sexual nos transportes públicos na França. Segunda ela, os objetivos da campanha, chamada “Stop ça suffit” (Pare, é suficiente), são “fazer evoluir o comportamento, para que nenhuma agressão seja banalizada ou ignorada” e “dar a cada um e cada uma as ferramentas para reagir”.

O vídeo da campanha mostrando o modo usual de agir dos assediadores faz uso do mapa de uma linha de metrô com suas estações e mostra como um elogio “respeitoso” vai degradando até chegar a agressões verbais constrangedoras e violentas. De “Mademoiselle” até “Responde, sua cadela suja”. O vídeo pede também que tanto a vítima quando as pessoas em volta reajam e tenham a coragem de intervir e dizer “Pare, é suficiente”.

A campanha impressa vai espalhar cerca de 7.000 cartazes nas principais cidades francesas (estações, metrôs e espaços públicos). Seguindo a mesma ideia ela mostra a escalada de pensamentos que passam pela cabeça da mulher que está sendo assediada até que ela ou alguém presente diga “Pare, é suficiente!”

image

Cartaz da campanha

A fim de desencorajar os assediadores, a campanha divulga também as penas e multas relacionadas a cada uma de suas ações: injúrias e ameaças (6 meses de  prisão e 22.500€ de multa); exibicionismo (1 ano de  prisão e 15.000€ de multa); avanços e gestos obscenos (2 anos de  prisão e 30.000€ de multa); contatos físicos como beijos forçados, mão nas nádegas e “encoxadas” (5 anos de  prisão e 75.000€ de multa). Veja a campanha completa aqui.

824909-harcelement-transports

Cartaz com as multas e penas para cada tipo de assédio

Apesar disso a França e Paris são locais seguros onde as mulheres andam sozinhas sem preocupações no metrô e pelas ruas, mesmo durante à noite.

Leiam nossos artigos escritos por leitoras do blog que vieram sozinhas à Paris: