Os cafés de Paris são tão famosos quanto à Torre Eiffel e fazem parte do DNA da cidade.

As tradicionais casas ganharam fama no século passado, ao se tornarem ponto de encontro – e de trabalho – de escritores e artistas. Hemingway e companhia batiam ponto na Closerie des Lilas e nos cafés de Montparnasse. Mais tarde, Simone de Beauvoir e Sartre, no Café Flore, em Saint-Germain. E assim por diante.

Sartre no Café de Flore, em Paris. Foto de Brassai.

Sartre no Café de Flore, em Paris, em 1945. Foto de Brassai.

Desde sempre, os cafés são o ponto de encontro da cidade. Jovens se encontram depois da aula para conversar ou fazer trabalhos da faculdade. Operários se reúnem antes do trabalho para o café matinal. No happy-hour, colegas de trabalho terminam o dia ali,  com uma taça de vinho. Namorados se instalam e deixam o tempo passar. Turistas descansam.

Os cafés também são um local para se frequentar só – ler os jornais, trabalhar, estudar ou simplesmente pensar na vida. Basta entrar, pedir um café e pronto, você passa ali o tempo que quiser.

Fizemos um vídeo sobre os cafés de Paris, para você sentir um pouco do clima e matar a saudade. Clique aqui e acesse nosso canal no youtube com muitos vídeos sobre Paris.

Muita gente fala que os cafés de Paris não são mais os mesmos. Mas a verdade é que o mundo mudou. Hoje, em vez de escrever cartas no cafés, estamos conectados aos celulares. Em vez de papel branco e caneta, vemos computadores em cima das mesas. E hoje não se pode mais fumar dentro dos cafés. Por isso, as calçadas estão sempre cheias e os cafés tiveram que se adaptar, colocando aquecedores na rua.

Mas, de resto, tudo continua como antes. Os cafés continuam servindo os tradicionais pratos de sempre: croque-monsieur e croque-madame, oeuf-mayonesse, omelettes, salada com queijo de cabra quente, tortas…

Croque Madame, tradicional sanduíche servido nos cafés

Croque Madame, tradicional sanduíche servido nos cafés. Foto: ShutterStock

Existem cafés de todos os tipos: os de bairro e tradicionais, os históricos, os hispters, os cafés de baristas. Abaixo, fizemos uma seleção para você. Afinal, não se pode vir a Paris e não conhecer os seus cafés.

Tradicionais:

  • Le Petit Fer au Cheval: pequeninho, com um grande bar em forma de ferradura, é uma instituição do Marais. 30 Rue Vieille du Temple | 75004.
Le Petit Fer au Cheval, o café mais famoso do Marais

Le Petit Fer au Cheval, o café mais famoso do Marais. Foto de Gideon no Flickr.

  • Le Nemours: ao lado dos jardins do Palais Royal, tem um terraço delicioso que vive lotado. 2 Galerie de Nemours | 75001.
A deliciosa varanda do café Le Nemours

A deliciosa varanda do café Le Nemours. Foto: ShutterStock

  • Le Carette: excelente pâtisserie e excelente localização (em plena Place des Vosges). 25 place des Vosges | 75003.
  • Café Charlot: o Haut-Marais é uma das regiões mais simpáticas de Paris. E Charlot é o lugar ideal para você sentir a energia do bairro. 38 Rue de Bretagne | 75003.
pure-cafe

Le Pure Café, no 11˚ arrondissement

  • Le Verlet: a mais antigo loja de café de Paris. Leia mais aqui. 256, rue Saint Honoré | 75001.

Históricos: 

Se tornaram excessivamente turísticos (e caros). Mas, fazem parte da história da cidade.

  • Café de la Paix: em frente à Ópera de Paris, cenário deslumbrante. 5 Place de l’Opéra | 75009. Clique aqui para reservar uma mesa.
O interior do Café de la Paix.

O interior do Café de la Paix. Foto de Michael Clarke Stuff no Flickr

  • Café de Flore: 172 Boulevard Saint-Germain | 75006.
  • Café Les Deux Magots: 6 Place Saint-Germain des Prés | 75006.

Com vista:

  • Café Marly: diante da Pirâmide do Louvre. 93 Rue de Rivoli | 75001.
  • Le Café du Trocadéro: em frente à Torre Eiffel. 8 Place du Trocadéro et du 11 Novembre | 75116. Clique aqui para reservar uma mesa.

Novos cafés:

Há alguns anos, vêm surgindo cafés cuja proposta é oferecer cafés de qualidade. São casas cujos proprietários são baristas, jovens. A decoração foge do tradicional, são espaços quase sempre minimalistas com chão de cimento e paredes inacabadas ou de tijolos aparentes, tudo meio hipster. Há neles um preocupação em ampliar e divulgar a cultura em torno do café, sua origem, tipos e novas formas de preparo e degustação.

  • Caféothèque: O Caféothèque está em todas as listas dos melhores cafés de Paris. Uma das fundadoras deste café/escola é Gloria Montenegro, cafeóloga e diretora da École des Cafés. No Caféothèque, não somente tomamos café excelentes, como podemos comprar cafés reconhecidos e premiados nos países de origem. As etiquetas trazem o nome da fazenda produtora e o nome do país. Leia mais aqui. 52 rue de l’Hôtel-de-Ville | 75004.
  • Coutume: Foi um dos pioneiros dessa nova onda de coffe shops, sendo inclusive o fornecedor de grãos para outros cafés similares e para alguns restaurantes da cidade. 47 rue de Babylone | 75007.
  • Télescope: Expresso ou café de filtro, com grãos torrados no local e moídos na hora. 5 rue Villedo | 75001.

Leia também:


MICHELIN Bib Gourmand França 2018Conheça o guia do Conexão Paris Restaurante e Outras Delícias à venda no site Minha Viagem Paris. Ele traz uma seleção dos melhores restaurantes da cidade, além de queijarias, pâtisseries, caves, bares etc.