por Rodrigo Lavalle

©Christian Nouzillet

©Christian Nouzillet

Marina Ibri é brasileira e mora em Paris desde 2006. Ano passado ela abriu a La Brigaderie de Paris, uma empresa que faz brigadeiros haut de gamme sob encomenda. Eu a conheci por intermédio do Florent, o gerente da loja dos “sapatos que trocam o salto”, que me contou todo animado sobre ela e seus doces.

Marina sempre fez brigadeiros para presentear os amigos e, quando se viu questionando sua antiga ocupação (ela é formada em relações internacionais e trabalhava junto à ONU), achou que poderia transformar o ato de gentileza e afeto em um negócio rentável.

IMG_4459

As caixas da Brigaderie de Paris.

Antes que eu fizesse a pergunta principal, ela se adiantou e disse: “Sim, os franceses gostam de brigadeiro! Óbvio que eles não vão comer seis de uma vez (segundo ela essa é a média calculada para as festinhas no Brasil) mas vão saborear um, dois ou, no máximo, três. A mesma abordagem que eu, Rodrigo, tenho com os macarons…”

O brigadeiro – e os doces brasileiros em geral – têm muito mais açúcar que os franceses, o que causa uma estranheza inicial nas duas partes. Até chegar à receita definitiva, Marina testou várias e usou como cobaias todos os franceses com os quais ela interagia no dia a dia, fosse na padaria, no correio ou nos órgãos públicos. Sua receita é a receita brasileira clássica – porém, aperfeiçoada por ingredientes franceses de altíssima qualidade como o chocolate de luxo Valrhona e produtos orgânicos frescos. O gosto é maravilhoso e a consistência um pouco mais firme à que estamos acostumados no Brasil.

IMG_4463

Alguns tipos de brigadeiro oferecidos pela Brigaderie de Paris.

As embalagens e toda a parte gráfica da empresa também foram desenvolvidas por Marina com o auxílio de profissionais da área. As caixas, lindas e fofas, feitas de papelão resistente, são como caixas de jóias que podem ser re-utilizadas. A idéia não é fazer brigadeiros aos centos e sim algo especial que funcione como um presente. O paralelo com os macarons continua funcionando.

Seus clientes são os mais variados: brasileiros vindo de férias à França e que querem presentear os amigos que aqui vivem; franceses interessados em novidades gastronômicas e empresas querendo cativar os clientes. Marina inclusive, ministra cursos de culinária para funcionários de grandes empresas francesas com o intuito de fazer uma integração multi-cultural através da cozinha.

©Christian Nouzillet

©Christian Nouzillet

Por último perguntei o que ela pensava da polêmica envolvendo o chef inglês Jamie Oliver que disse que o brigadeiro e o quindim são porcarias. Ela me respondeu que, pelo visual dos doces provados por ele, aqueles com certeza eram mesmo ruins!

Brevemente o site para encomendas online será lançado. Em 2015 uma loja da La Brigaderie será aberta em Paris (ela não quis me dizer em qual região). Em uma cidade onde, cada vez mais, surgem pâtisseries especializadas em um único produto (chou, tiramissu, éclair), o sucesso será garantido.

Para mais informações, preços e sabores consulte o perfil Facebook da La Brigaderie de Paris ou envie um email para a Marina: contact@labrigaderiedeparis.com.